Aborto , Como Interromper a Gravidez

O que é o aborto ?

O aborto é a remoção do feto e da placenta (placenta) do útero. Geralmente, o feto e a placenta são termos utilizados após oito semanas de gravidez, enquanto os outros termos descrevem o tecido produzido pela união do óvulo com o espermatozóide até oito semanas. Cerca de 1.200.000 mulheres americanas decidem interromper uma gravidez a cada ano. Outros nomes conhecidos para um aborto são , aborto eletivo, aborto provocado, e aborto terapêutico.

Para que é feito ?

Nos Estados Unidos, o aborto é quase sempre usado para encerrar uma gravidez não planejada. As Gestações não planejadas acontecem quando não são utilizados metodos para o controle da natalidade, são usados de forma abusiva ou falham na prevenção da gravidez , como exemplo , a pilula e o preservativo . O aborto também é usado para interromper a gravidez quando os exames mostram que o feto é anormal, enquanto que o aborto terapêutico é recomendado quando a saúde da mãe está em perigo.

Cerca de metade de todos os abortos são realizados durante as primeiras 8 semanas de gravidez e cerca de 88% durante as primeiras 12 semanas.

Preparação

O Seu médico irá perguntar sobre toda a sua história médica e examiná-la. Embora utilizado um teste de gravidez em casa muitas vezes é necessário fazer outro teste para confirmar que está grávida. Em alguns casos, precisa-se de um ultra-som para determinar de quantas semanas está grávida e qual o tamanho do feto, para garantir que não haja uma gravidez ectópica (Uma gravidez que se desenvolve fora do útero ) , que corre geralmente no tubo que transporta o óvulo do ovário para o útero (trompas), e é vulgarmente conhecida como gravidez tubária.

Um teste de sangue irá determinar o seu tipo de sangue e se você é Rh positivo ou negativo. A proteína Rh é produzida pelas células vermelhas do sangue da maioria das mulheres. Estas células são consideradas de sangue Rh positivo. Algumas mulheres têm glóbulos vermelhos que não produzem a proteína Rh. Estas células são consideradas de sangue Rh negativo. As mulheres grávidas que têm sangue Rh negativo estão em risco de reagir ao sangue do feto que é Rh positivo. Como esta reação pode prejudicar uma futura gravidez, as mulheres com sangue Rh negativo normalmente recebem uma injeção de imunoglobulina Rh (RhIG) para evitar problemas relacionados ao fator Rh após um aborto espontâneo ou induzido.

Como é feito

Os médicos podem usar drogas, cirurgia ou uma combinação de ambos para acabar com uma gravidez. O método depende de quão longe é a sua gravidez, o seu histórico médico e preferências. Os Abortos no início da gravidez, antes das 9 semanas, poderam ser realizados de forma segura, sem drogas. Geralmente, os abortos entre 9 e 14 semanas são feitos através de cirurgia, embora a medicação possa ser usada para ajudar a suavizar e abrir o colo do útero. Após 14 semanas, o aborto pode ser realizado através do uso de drogas indutoras que causam contrações uterinas ou pela combinação destas drogas com a cirurgia.

Abortos médicos. O aborto através de drogas, conhecidos como abortos médicos são realizados dentro de 49 dias do início da gravidez. A gravidez geralmente começa duas semanas após o primeiro dia do período menstrual, de modo que este corresponde a nove semanas após a última menstruação. Os Medicamentos usados para induzir o aborto incluem:

  • Mifepristone (Mifeprex) Conhecido como RU-486, mifepristone é um comprimido tomado por via oral (pela boca). Aprovado para uso nos E.U. em 2000, este medicamento neutraliza o efeito da progesterona, um hormônio necessário para a gravidez. Mais de 3.000.000 mulheres na Europa e na China receberam o medicamento durante a gravidez. Quais os efeitos colaterais são náuseas, vômitos, sangramento vaginal e dor pélvica ,normalmente, esses sintomas podem ser tratados com medicação. Em raras ocasiões, o sangramento pode ser severo. Neste caso, você poderá ser internada em um hospital para receber transfusões de sangue. O Mifepristone é mais eficaz quando outros medicamentos, como o misoprostol (Cytotec), são tomados 48 horas depois. Isso faz com que o útero se contraia. Entre 92 e 97% das mulheres que receberam o mifepristone em combinação com, ou em seguida ao misoprostol têm um aborto completo dentro de 2 semanas.
  • Misoprostol (Cytotec): O Misoprostol sozinho ou o mifepristone seguido, pode induzir o aborto. O misoprostol é uma prostaglandina como uma droga que causa a contracção do útero. Uma forma de administração é tomar o medicamento por via oral. O outro é inserido na vagina. Com o formulário vaginal é menos provável de produzir efeitos colaterais e é tão eficaz quanto o oral (tomado pela boca). Os efeitos colaterais incluem diarréia, náuseas, vômitos e sangramento vaginal.
  • Metotrexato: O Metotrexato é utilizado com menos frequência desde que o Food and Drug Administration (FDA) aprovou o mifepristone nos Estados Unidos. No entanto, o metotrexato pode ser utilizado em mulheres alérgicas á mifrepristona ou quando ele não está disponível. O metotrexato é geralmente injetado em um músculo. Entre 68 e 81% das gestações são abortadas no curso de 2 semanas , e entre 89 e 91% após 45 dias. O Metotrexato é a droga mais usada para tratar a gravidez ectópica, que são implantadas fora do útero. Ela mata o tecido em rápido crescimento de casos de gravidez ectópica. Quando os médicos prescrevem o metotrexato para o tratamento destas gravidezes devem ser monitorados os níveis de hormônios na gravidez, até que mais não seja detectado no sangue das mulheres. Este acompanhamento não é necessário quando usado o metotrexato por abortos médicos, onde é sabido que a gravidez está implantada no útero.

Em raras ocasiões, quando uma gravidez continuar após o uso destas drogas, existe um risco de que o bebê nasça deformado. O risco é maior com o misoprostol. Se o tecido da gravidez não for completamente removida do corpo dentro de duas semanas , ou se ela sangra muito, então você pode precisar de fazer uma cirurgia para completar o aborto. Cerca de 2 a 3% das mulheres que têm um aborto médico iram necessitar de cirurgia, geralmente de sucção dilatação e curetagem (D e L), também chamada de aspiração a vácuo.

Uma mulher não deve fazer um aborto se:

  • tem mais de 49 dias grávida
  • tem problemas de sangramento ou toma anticoagulantes
  • tem insuficiência adrenal crônica ou de tomar determinados medicamentos esteróides
  • não pode comparecer ás visitas médicas necessárias para garantir que o aborto esteja completo
  • não têm acesso aos cuidados de emergência
  • tem convulsões que não são controladas (no caso do misoprostol)
  • sofre de doença intestinal inflamatória aguda (no caso do misoprostol)

Aborto cirúrgico

Aspiração Menstrual: Este procedimento, também chamado de extração menstrual ou aspiração manual, é feito uma a três semanas após ela sinta falta de um período menstrual. Este método também pode ser usado para remover o tecido remanescente de um aborto (também chamado de aborto espontâneo). Um médico insere um pequeno tubo flexível para o útero através do colo uterino e usa uma seringa portátil para sugar o material (tecidos) da gravidez dentro do útero. Geralmente, a anestesia local é aplicada no colo do útero para amenizar a dor na dilatação do mesmo. A anestesia local paralisa apenas a área injetada e você permanece consciente. A Medicação administrada por via intravenosa (na veia) pode reduzir a ansiedade e resposta global do corpo à dor. A Aspiração menstrual dura aproximadamente 15 minutos ou menos.

Aborto sucção ou aspiração: Às vezes chamada de sucção D & C (para a dilatação e curetagem), este procedimento pode ser realizado até 13 semanas após o primeiro dia da última menstruação. A D e L por aspiração é o procedimento mais vezes usado para interromper a gravidez. O colo do útero dilata (alarga) e é feita a introdução de um tubo rígido oco no útero. Uma bomba elétrica suga o conteúdo do útero. O processo leva aproximadamente 15 minutos. Geralmente, a anestesia local é aplicada no colo do útero para reduzir a dor, e dilatando. A Medicação administrada por via intravenosa (na veia) pode ajudar a reduzir a ansiedade e aliviar a dor.

Dilatação e curetagem (D e L): Em um processo de dilatação e curetagem, dilata-se o colo do útero e os instrumentos utilizados com arestas vivas, conhecidas como Legras, para remover o tecido da gravidez. Muitas vezes, a sucção é feita para garantir que todos os conteúdos são retirados do útero. 

Dilatação e evacuação (D e E): Este é o procedimento mais comum para interromper a gravidez entre as 14 e 21 semanas. É como se fosse uma sucção D & C, mas com instrumentos de maiores dimensões. O colo uterino é dilatado ou aberto e esticado para o tamanho necessário para a D e L. A sucção é usada junto com uma pinça ou outros instrumentos especiais para assegurar remover-se todo o tecido da gravidez. Este procedimento leva mais tempo do que os outros.

Histerectomia abdominal. Esta é uma operação muito utilizada para remover o feto do útero através de uma incisão no abdômen. É rara, mas pode ser necessária se você não poder fazer um D e E. A anestesia vai manter o seu inconsciente durante a cirurgia.

Indução do parto. Após as 14 semanas de gravidez, o aborto pode ser realizado dando as drogas que vão expelir o feto e a placenta. Geralmente, o procedimento requer hospitalização por mais de um dia, uma vez que envolve trabalho de parto . Às vezes é necessário realizar uma dilatação e evacuação para extrair totalmente a placenta. Este Trabalho pode ser induzido por uma de três maneiras:

  • Invasiva. Atraves de drogas injetáveis faz-se a introdução de uma agulha no abdômen e no útero, geralmente dentro do saco amniótico
  • Não-invasiva. Dando a droga induzida (pela boca), por via intravenosa (numa veia) através de uma injecção no músculo ou inserida na vagina
  • Uma combinação de técnicas invasivas e não invasivas. Geralmente são necessárias em abortos feitos no final do segundo trimestre, antes de 24 semanas.

Monitoramento

No caso de um aborto médico no início da gravidez, geralmente requer-se três ou mais visitas para receber medicação para o aborto e para certificar-se de que todo o tecido da gravidez  foi extraido. O sangramento relacionado com o aborto pode durar até duas semanas.

Você geralmente pode retomar a maioria das atividades diárias dentro de algumas horas após um aborto cirúrgico que utiliza anestesia local . Se tiver recebido sedativos ou esteve inconsciente, como no caso da anestesia geral, não pode conduzir ou utilizar máquinas perigosas durante pelo menos 24 horas. Em ambos os casos, deve evitar o sexo por 2 semanas para prevenir a infecção e permitir que o colo do útero retome a sua forma e tamanho normais. É recomendado para a maioria das mulheres que se desloquem ao consultório médico cerca de 2 semanas após o procedimento.

 Em geral, você deve consultar o seu médico cerca de duas semanas após o procedimento. O seu médico vai dar-lhe as recomendações específicas sobre quando poderá retomar as atividades diárias e de trabalho, dependendo da sua situação.

As cólicas podem ser tratadas com paracetamol (Tylenol) ou ibuprofeno (Advil e outros). A Cólica pode ser mais dolorosa depois de um aborto realizado no final do segundo trimestre. Depois de um aborto medicamentoso ou cirúrgico é susceptível de lhe dizerem para não usar compressas, e não ter relações sexuais por pelo menos duas semanas. Isso ajudará a diminuir o risco de infecção no útero. O sangramentoVaginal é tambem muito comum durante vários dias até uma ou duas semanas após o aborto cirúrgico, dependendo en que altura da gravidez foi feito o aborto.

Riscos

Os riscos do aborto medico incluem infecção, hemorragia e abortos incompletos, o que significa que são restos de tecidos da gravidez. Estes problemas são raros e podem ser tratados. Em um aborto incompleto deve repetir-se a dose do medicamento para interromper a gravidez ou executar-se um D & C por sucção. Se houverem infecções estas podem ser tratadsa com antibióticos. O sangramento excessivo é tratado com medicamentos e, possivelmente, com dilatação e curetagem. Em raras ocasiões, pode ser necessária uma transfusão de sangue se o sangramento for extraordinariamente intenso.

Publicidade

Os riscos do aborto cirúrgico são muito baixos e raros . Os principais riscos do D e L e D e E são o sangramento contínuo, infecção do útero (endometrite), remoção incompleta do tecido da gravidez e originar-se um buraco no útero (perfuração uterina) durante a cirurgia (exploração) . É provável que se requeira um segundo procedimento cirúrgico para remover-se o tecido que não foi elaborado pela primeira vez ou para reparar o útero perfurado.

Raramente as mulheres tornam-se inférteis após um aborto sem complicações. No entanto, a infertilidade pode ocorrer quando um aborto cirúrgico causa algumas complicações por sangramento excessivo , perfuração ou remoção incompleta do tecido da gravidez.

Quando chamar um profissional

Contacte o seu médico se algum dos seguintes problemas existir :

  • febre de 100,4 graus Fahrenheit (38 graus Celsius)
  • sangramento mais pesado do que um período menstrual normal, um ou mais pensos completamente embebidos por hora ou se detectar grandes coágulos de sangue
  • dor abdominal ou dor nas costas
  • corrimento vaginal ou cheiro diferente
  • Se você não tiver um sangramento no prazo de 24 horas após o aborto médico de gravidez precoce .

04. Outubro 2009 by admin

182 Comentários no Fórum

  1. Boa tarde,
    Estou grávida de 12 semanas é possível fazer um aborto seguro e sem dor?

  2. Por favor, preciso de ajuda!! onde compro CYTOTEC em BELÉM?? Meninas daqui que já conseguiram, me repassem a informação por favor!

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *