Açafrão-da-Índia

O açafrão-da-índia é amarelo; tão amarelo que as nódoas de açafrão em pó são praticamente impossíveis de remover. E também saboroso, tão saboroso que é muito provável que nunca mais esqueça o seu primeiro prato de caril com açafrão-da-índia. Mesmo a mostarda que tem no frigorífico seria, com certeza, menos dourada e saborosa sem esta planta.

Um parente do cardamomo, do gengibre, e da zedoária, o açafrão da índia (com as suas folhas largas, semelhantes às do lírio, e do tamanho de um pé, e com as suas flores amarelas e branco-amareladas). O sua origem é a India, Bangladesh, China, e Java, tendo sido introduzido na América Latina e outras zonas tropicais. Mas o seu valor medicinal e culinário encontra-se na raiz; ou para ser tecnicamente mais correcto, no rizoma (a parte subterrânea do caule) o qual é seco e triturado, e utilizado como especiaria em pó.

Usos Terapêuticos do Açafrão-da-Índia:

Problemas da vesícula biliar, hepatite, indigestã0, infecções, falta de apetite, sarna.
Doença de Alzheimer, artrite, asma, pé de atleta, furúnculos, joanetes, bursite, cancro (especialmente do cólon e da mama), cataratas, cólicas, dermatite, diarreia, eczema, fibrose, cálculos biliares, gases, endurecimento das artérias, doença cardíaca, colesterol elevado, triglicéridos elevados, inflamação, dores intestinais, síndrome do intestino irritável, icterícia, falta de menstruaçã0, problemas nas glândulas linfáticas, dores menstruais, enjoo matinal, dores, psoríase, entorses, úlceras, feridas, candidíases.
Usos tradicionais: Hematomas, parto, inflamação dos olhos, epilepsia, febre, hemorragias, hemorróidas, comichã0, tinha (micose).

Propriedades Medicinais do Açafrão-da-Índia:

A curcumina, e os curcuminóides presentes no açafrão-das-índias são os anti-inflamatórios por excelência para o alívio da artrite, os quais ajudam também a vesícula biliar e o fígado a promover a defesa contra o cancro. Estes fitoquímicos combatem a inflamação de forma muito semelhante a uma nova classe de medicamentos chamados de inibidores da ciclo-oxigenase-2 (C0X-2).

Estes medicamentos inibem a libertação das prostaglandinas pela COX-2, as quais são segregadas em resposta a várias fontes de inflamação e inchaç0. A curcumina e os curcuminóides não interferem com a capacidade do corpo de segregar as prostaglandinas pela COX-1, as quais são necessárias para uma coagulação adequada do sangue, entre outras funções importantes para a saúde.

(A aspirina, por seu lado, inibe as prostaglandinas libertadas pela C0X-1 e COX-2, e daí ajudar nos casos de artrite, mas tornar também o sangue mais fluido, aumentando o risco de hemonagia intestinal e úlceras). No caso do combate ao cancro da mama, a curcumina, juntamente com a genisteína na soja tem mostrado inibir a formação de cancro nos tecidos mamários.  Os fitoquímicos isolados actuaram melhor quando utilizados em série em vez de individualmente.

Em estudos envolvendo 16 fumadores crónicos, tomando 1500 mg de açafrão diariamente durante 30 dias verificou-se uma redução dos genes mutantes encontrados na urina dos participantes. Em experiências realizadas com animais, a curcumina diminuiu o risco de cancro n0 cólon em cerca de 60 por cento. Este fitoquímico parece neutralizar os compostos causadores do cancro, detendo as alterações cancerosas nas células, e combatendo directamente as substâncias que permitem os carcinógenos de se espalharem e desencadear a destruição.

A planta estimula também um melhor fluxo biliar, o qual ajuda a digestão das gorduras e reduz o risco de cálculos biliares. Para além disso, o açafrão-da-índia induz a segregação de várias enzimas que assistem o fígado na decomposição e metabolismo de certas substâncias tóxicas. Algumas destes mesmos fitoquímicos inibem os danos oxidativos que levam à coagulação do colesterol e à sua deposição no interior das artérias.

Equivalenles Sintéticos:

A prescrição de corticosteróides é o tratamento de ouro padrão para a artrite, mas fazem inchar a cara, provocam a retenção de líquidos, elevam a tensão arterial, encorajam hemorragias no intestino e a formação de úlceras, e aumentam o risco de osteoporose entre outros problemas. Os medicamentos inibidores da C0X-2, vigorosamente promovidos, tais como o celecoxib (Celebrex), topo de vendas dos novos fármacos em 1999, têm sido publicitados como proporcionando alívio anti-inflamatório não esteróide, sem risco para o estômago e o resto do sistema gastrointestinal, mas pesquisas posteriores indicam que o Celebrex coloca alguns problemas para pessoas com problemas gástricos, em particular ao enfraquecer a regeneração do revestimento intestinal danificado.

O açafrão-da-índia/curcumina é cerca de cinquenta por cento menos eficaz do que os corticosteróides, mas não provoca qualquer dos efeitos secundários acima mencionados. As experiências mostram que 1200 mg de curcumina por dia são tão efectivas quanto o acetato de hidrocortisona (Anusol), a indometacina, e a feunilbutazona (Butazone).

Opções de Dosagem:

Quatrocentos mg de extracto de curcumina três vezes ao dia, 445 mg de suplemento padronizado duas a três vezes ao dia, 1 colher de chá da planta seca num copo de leite quente diariamente, 1 colher de chá a 1 colher de sopa de extracto líquido divido em várias doses ao longo do dia, ou 1/8 a 1/2  de colher de chá de tintura de açafrão-da-índia três vezes ao dia. 

O seu corpo assimilará mais curcumina se a ingerir acompanhada de uma grande quantidade de pimenta preta. A piperina presente na pimenta melhora a capacidade do organismo para usar o açafrão-da-índia talvez até vinte vezes mais, de acordo com as investigações. O gengibre é também um bom companheiro fitoquímico.

Precauções:

Poucas relatadas com um uso regular. Pessoas com obstrução no canal biliar não devem provavelmente tomar esta planta, e pessoas com cálculos biliares devem falar primeiro com um médico especialista em fitoterapia. Doses extremamente grandes de curcuminóides poderão causar úlceras 0u cancro ou reduzir o número de glóbulos brancos e vermelhos no organismo. Se o açafrão-da-índia constituir 10 por cento do total da sua dieta, como aconteceu com alguns ratos numa experiência em laboratório, parte do seu cabelo pode cair.

Outros nomes: açafrão-da-terra (Curcuma longa), cúrcuma, turmérico, açafroa e gengibre amarelo.

Em: Plantas Medicinais | 2 comentários

2 Comentários no Fórum

  1. Só hoje estou lendo seu email, pois comecei a tomar por indicação médica e resolvi pesquisar sobre açafrão indiano.
    Estou lhe enviando a prescrição de como tomar segundo o médico. Dissolva uma colher de sopa em um litro de chá verde e tome ao longo do dia, procure comprar o chá com sabor, pois na água não é saboroso.

  2. Bom dia , gostaria que por gentileza vocês publicassem o modo de uso do açafrão no email citado , ficarei muito grato, pois lendo o artigo , vi que existe uma série de benefícios à saúde humana.

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *