Adolescência

Quem são os adolescentes?

Os adolescentes são crianças mais velhas, com idades entre os 12 e os 18 anos. O período da adolescência costuma ser complicado porque o adolescente passa por inúmeras alterações. O adolescente está a passar por um período de modificações e de crescimento a nível físico, psicológico, intelectual (aprendizagem nos livros), social (saber viver em sociedade) e emocional. Os pais começam a exigir mais dos filhos nesta altura, mas o adolescente também sente pressão no sentido de estar à altura dos companheiros e das expectativas sociais. Isto significa que o adolescente sente a pressão de pensar e agir como os seus amigos. Os pais e a família ainda desempenham um papel importante apesar de serem os amigos quem influencia (afecta) de forma decisiva o comportamento e a mente do adolescente.

Crescimento e desenvolvimento físico:

Durante o período da adolescência, os ossos, os músculos, as gorduras e a pele crescem muito rapidamente. Durante este período é normal que o adolescente se sinta preocupado em relação ao seu próprio corpo. O adolescente preocupa-se em relação à forma como o seu corpo está a crescer e com todas as alterações na forma como o corpo funciona. É normal que o adolescente adopte uma postura crítica (negativa) em relação à sua aparência e que tenha tendência para se comparar com os companheiros. No período final da adolescência, já se sentirá muito mais confortável em relação à sua aparência e em relação à pessoa na qual se tornou.

Os adolescentes necessitam pelo menos de três refeições diárias para responder às suas necessidades energéticas. O pequeno-almoço é uma refeição importante para fornecer aos adolescentes alimentos nutritivos (saudáveis). O adolescente necessita desses alimentos saudáveis tanto para o crescimento físico como para o ajudar a aprender melhor na escola. As comidas rápidas deverão ser intercaladas com alimentos saudáveis. Muitas comidas rápidas possuem poucos nutrientes (vitaminas, minerais, proteínas e calorias).

A ingestão de calorias em excesso e a falta de prática de exercício está na origem da obesidade (excesso de peso). Se acha que o seu filho tem problemas de peso, não o faça seguir uma dieta. Fale com os médicos em relação às formas de lidar com os problemas de peso. Tente compreender o que sente o adolescente em relação ao seu peso, mesmo que não acredite que ele tenha problemas.

As adolescentes do sexo feminino costumam andar obcecadas (excessivamente preocupadas) em relação ao facto de estarem gordas mesmo que o peso delas seja perfeito. Isto pode fazer com que comecem a seguir dietas não muito saudáveis ou a ter problemas de nutrição, como a anorexia ou a bulimia. Consulte no nosso portal mais informações sobre estes problemas de nutrição.

Os adolescentes do sexo masculino costumam sentir-se pressionados para terem um aspecto forte e muscular, razão pela qual poderão comer excessivamente ou comer apenas alimentos ricos em proteínas.

As raparigas costumam ter dois anos de avanço em relação aos rapazes no que diz respeito à altura. Durante os primeiros anos da adolescência, as raparigas têm um crescimento rápido entre os 10 e os 14 anos de idade. As raparigas costumam atingir a sua altura de adulta por volta dos 15 anos de idade. Os rapazes atingem o seu pico de crescimento entre os 12 e os 15,5 anos. Alcançam a sua altura de adulto por volta dos 19 anos. O adolescente mais novo poderá parecer ter pernas compridas e um aspecto desengonçado. Mas o adolescente adquirirá um aspecto mais cheio à medida que os ossos forem crescendo de tamanho durante os últimos anos da fase da adolescência.

As raparigas armazenam gordura enquanto os rapazes desenvolvem músculos maiores. As adolescentes desenvolvem as ancas por volta dos 12 anos de idade. Os rapazes desenvolvem os ombros por volta dos 13 anos de idade. As raparigas poderão engordar cerca de seis a nove quilos e os rapazes cerca de 13,5 quilos durante esta fase de crescimento acelerado. Mas o peso do adolescente dependerá da sua constituição genética (histórico familiar), dos seus hábitos alimentares e da prática ou não de exercício.

Puberdade:

Durante os primeiros anos da adolescência, o corpo do adolescente desenvolve-se e fica mais maduro a nível sexual. Alguns adolescentes despertam para a sexualidade mais cedo ou mais tarde do que outros adolescentes. Contacte o médico do seu filho se estiver preocupado ou tiver alguma questão a colocar.

As raparigas começam a menstruar (fluxo sanguíneo mensal) por volta dos 12 anos de idade. A rapariga poderá também começar a ficar menstruada mais cedo, por volta dos oito anos de idade, ou mais tarde, cerca dos 13,5 anos de idade.

Apesar da puberdade ter início em idades diferentes, os rapazes costumam iniciar a puberdade entre os 12 e os 16 anos de idade. O corpo do rapaz começa a produzir esperma quando entra na idade da puberdade ou por volta dos 13 anos de idade. Os sonhos húmidos poderão ter início logo que o rapaz apresente os seguintes sinais de desenvolvimento sexual. Aumento da quantidade de pelos escuros, mais grosseiros e encaracolados sobre a região púbica. O pénis, os testículos e o escroto ficam maiores e mais compridos. Os sonhos húmidos são normais durante a adolescência e diminuirão à medida que a criança for crescendo.

Movimentos grosseiros – (Controlo corporal):

Quando o adolescente se encontra nos primeiros anos da adolescência, a sua capacidade física melhora bastante. Rapazes e raparigas ficam mais coordenados e com uma maior capacidade de controlar os seus movimentos. Mas até o adolescente alcançar o crescimento total, nos últimos anos da adolescência, os seus movimentos poderão ainda parecer um pouco estranhos.

Movimentos finos – (Capacidade das mãos e dedos):

A coordenação do corpo, mãos e olhos continua a desenvolver-se e a melhorar durante o período da adolescência.

Actividades da vida diária:

O adolescente consegue tomar conta da sua própria higiene pessoal. Mas, com a puberdade, o adolescente precisa de tomar banho ou duches com uma maior frequência.

Terá oportunidade de observar que o adolescente se cansa com grande facilidade. Os adolescentes acham que como já são mais crescidos, não têm de ir para a cama tão cedo como acontecia antes. No entanto, o adolescente precisa mesmo de mais descanso e de dormir mais horas do que quando era mais novo.

Os desportos e as actividades de grupo são importantes. Estas actividades mantêm o adolescente activo para que não tenha problemas relacionados com o seu peso. Também transmitem ao adolescente o sentido de camaradagem com os amigos, o que é muito importante para esta idade.

Desenvolvimento da linguagem:

O adolescente já consegue comunicar de forma clara e eficaz. A comunicação inclui a expressão dos seus sentimentos bem como a capacidade de colocar esses mesmos sentimentos no papel.

Desenvolvimento intelectual:

O adolescente consegue agora raciocinar de forma mais profunda, de formas mais complexas e lógicas e com maior confiança. O facto de não se deixar ficar durante uma discussão é o melhor exemplo disso. No final do período da adolescência, a criança conseguirá efectuar as seguintes coisas.

Planear o seu futuro ao decidir que tipo de emprego pretende vir a ter quando for grande”.

O adolescente esforça-se bastante para aprender inúmeras coisas e adquirir novos conhecimentos (informações). De seguida utiliza esses conhecimentos para conseguir tomar decisões para que consiga atingir os seus objectivos. Os acontecimentos locais, nacionais e mundiais adquirem importância para o adolescente. Por exemplo, o adolescente pode vir a interessar-se pela protecção do ambiente. Poderá também estar atento às notícias ou demonstrar interesse pelas eleições políticas.

Relacionamento familiar e social:

Não são raras as ocasiões em que o adolescente rejeita as suas normas e valores. Os companheiros desempenham um papel importante ao influenciar (afectar) o modo como o adolescente age e raciocina. Mas, é muito importante que ame, apoie e guie o seu filho adolescente durante este período. Os pais e os restantes membros da família ajudam o adolescente a tornar-se mais responsável e auto disciplinado dando-lhe um bom exemplo.

Durante os primeiros anos da adolescência, o desenvolvimento de relações próximas e o facto de ser aceite num determinado grupo é um factor muito importante. É normal que o adolescente se queira vestir, agir e falar como os seus amigos. As conversas com os amigos por telefone são uma ligação importante com os companheiros. As raparigas passam bastante mais tempo a falar ao telefone com as amigas, sendo o tema da conversa os rapazes, roupas e maquilhagens. Os rapazes também podem passar bastante tempo ao telefone com os amigos a falar sobre desportos e os seus heróis desportivos. No final da adolescência, os grupos de amigos tornam-se menos importantes.

adolescencia Adolescência

À medida que o adolescente começa a desenvolver relações com companheiros, começa a mostrar-se mais interessado pelo sexo oposto. O adolescente poderá experimentar actividades sexuais com os amigos. O adolescente poderá também demonstrar interesse por actividades homossexuais (actividades sexuais com uma pessoa do mesmo sexo). É normal mostrar interesse em amigos do mesmo sexo. Mas tal não significa necessariamente que o seu filho adolescente seja homossexual. A masturbação (auto estimulação sexual) poderá também ser uma das principais preocupações. No final do período da adolescência, os relacionamentos são mais maduros.

Mantenha uma relação aberta, próxima, carinhosa e de apoio com o seu filho. Ajudará assim a desencorajar que a prática de actividades sexuais surja muito cedo. Os adolescentes costumam tornar-se sexualmente activos apenas para se sentirem próximos e amados por outra pessoa. Esta situação acontece normalmente quando os adolescentes não se sentem amados e apoiados pela sua própria família. É ainda muito importante que saiba que sítios frequenta o seu filho adolescente e com quem ele passa o tempo. Não há qualquer problema em limitar a quantidade de tempo que o adolescente poderá passar com uma pessoa do sexo oposto.

Durante a primeira fase e a fase intermédia da adolescência, poderá entrar frequentemente em conflito com o seu filho adolescente. O adolescente poderá ignorar as suas sugestões ou recomendações, particularmente se forem relacionadas com a segurança dele. Estas situações tornar-se-ão particularmente reais se tentar controlar os locais que ele poderá frequentar e as pessoas com quem poderá andar. O adolescente começa a procurar a sua independência nesta fase, pretendendo contudo manter-se dependente dos pais. No período final da adolescência, o adolescente sentir-se-á mais confortável em relação à sua independência relativamente à família. Isto ajudará a diminuir os conflitos entre pais e filhos adolescentes.

Desenvolvimento emocional e da personalidade:

A personalidade e as emoções do adolescente estão em constante mutação. Estes “altos e baixos” têm a ver com o esforço efectuado pelo adolescente para se tornar mais independente.

A auto-estima (a forma como os adolescentes se sentem em relação a si próprios) continua a desenvolver-se. Depressa o adolescente compreenderá que os seus pensamentos em relação aos seus amigos não têm nada a ver com o que pensa de si próprio.

O adolescente não costuma aceitar bem as críticas. Poderá ficar com a sensação de que sempre que lhe estão a ser dados conselhos lhe está a ser feita uma crítica. Por isso, é bastante comum que o adolescente rejeite pura e simplesmente os seus conselhos. Também é uma situação bastante comum o adolescente questionar as acções e a autoridade dos pais e de outros adultos, como os professores. Este criticismo pode provocar conflitos entre o adolescente e os pais ou outros adultos, mas é uma situação normal. O adolescente poderá, por sua vez, recorrer aos amigos para obter aconselhamento.

As crianças mais novas costumam reagir de forma impulsiva sem terem em consideração os resultados das suas acções. Poderá ainda parecer que o adolescente rejeita qualquer conselho e orientação fornecidos pelos adultos. No entanto, o adolescente estará a raciocinar de forma mais profunda antes de agir, particularmente nos últimos anos da adolescência.

Como poderei proporcionar segurança ao adolescente durante o período da adolescência?

À medida que o adolescente se tornar mais independente na tomada de decisões, a pressão dos amigos poderá fazer com que venha a tomar decisões erradas. Os adolescentes mais novos poderão nem sequer pensar nas consequências (resultados) dos seus comportamentos ou actividades inseguras. É importante reconhecer cedo esses sinais, numa altura em que será mais fácil lidar com o problema. Descrevem-se a seguir algumas formas de evitar problemas e de manter o adolescente em segurança.

Dê ouvidos ao adolescente! Encoraje-o a dizer-lhe tudo o que está a suceder na sua vida, de bom e de mau, sem tirar logo conclusões. Permita que fale à vontade sobre um problema seu. Ofereça aconselhamento só depois do adolescente ter tido a oportunidade de lhe dizer a forma como gostaria de lidar com o problema. Fale com ele em relação à melhor maneira de lidar com a pressão dos amigos, especialmente no que diz respeito ao uso de álcool e de drogas, ao tabaco, às relações sexuais e a uma condução perigosa. Uma lição ou o embaraço não funcionam com os adolescentes e poderão fazer diminuir o grau de confiança existente entre si e o seu filho.

Defina expectativas claras e consistentes. Transmita ao adolescente a confiança que deposita nele em relação às decisões que virá a tomar e elogie-o sempre que possível. Seja um bom modelo de comportamento para o seu filho adolescente.

Continue a envolver-se nos estudos e nas actividades escolares do adolescente. Mantenha-se em contacto com os seus professores de forma a notar e a lidar com os sinais de problemas vindouros rapidamente. Pergunte ao adolescente o que pensa seguir como profissão futura. Se o adolescente tiver um emprego, certifique-se que não interfere com a escola.

Passe tempo com o adolescente. Planeie actividades familiares e convide os amigos do seu filho sempre que possível.

Fale com o adolescente em relação às alterações corporais que estão a acontecer assim que atingir a puberdade. Deixe-o colocar qualquer questão e dê respostas claras. Marque uma consulta com um médico e esteja presente na consulta com o adolescente caso se sinta desconfortável a falar desses assuntos sozinho. Prepare a sua filha para o primeiro período menstrual utilizando termos correctos que ela consiga compreender para definir os órgãos do corpo.

Fale com o adolescente relativamente à contracepção e à protecção contra as doenças transmissíveis sexualmente, antes do adolescente se tornar sexualmente activo. Leve a sua filha ao médico para lhe ser feito um exame ginecológico quando ela atingir os 18 anos de idade ou mais cedo se já for sexualmente activa.

Limite a televisão e os filmes. Certifique-se que sabe o que o adolescente costuma ver na televisão e nos cinemas. Apesar da criança já ter mais idade, continue a limitar a quantidade de violência, de sexo, e do uso de álcool e drogas visionados pelo adolescente. Não evite falar em relação aos perigos do sexo, do álcool e do uso de drogas. A televisão e os cinemas parecem tornar estas actividades coisas normais e muitas vezes não apresentam de forma real as consequências de fazer escolhas erradas.

A segurança na Internet também é muito importante. Advirta o adolescente em relação aos perigos da Internet. Certifique-se que sabe quando o seu filho adolescente se encontra on-line. Certifique-se igualmente que o adolescente sabe o que deve e não deve ser dito, caso permita que ele participe em programas de chat, na Internet.

Certifique-se que o adolescente come uma dieta equilibrada e limite o consumo de comidas rápidas dentro e fora de casa, incluindo os alimentos ricos em açúcar e em gorduras.

Encoraje a actividade e o exercício físico regulares. Continue ainda a dar importância à utilização de material de protecção para a prática de desportos. Certifique-se que o adolescente continua a utilizar um capacete para praticar actividades tais como andar de bicicleta, montanhismo e outros desportos.

Ajude o adolescente a ter entre nove a onze horas de sono diário à noite.

Aprenda os sinais do uso de drogas, da iniciação às actividades sexuais e dos problemas alimentares tais como a anorexia (deixar de comer para emagrecer). O reconhecimento dos primeiros sintomas destes problemas poderá dar-lhe a oportunidade de obter ajuda antes que aconteça algum problema mais grave.

Fale com o adolescente em relação a tatuagens e a piercings corporais. Tente ser imparcial ao explicar-lhe os riscos. Alguns desses riscos são a dormência e problemas de discurso provocados pelo piercing da língua e ainda infecções. Explique igualmente que poderá ser difícil garantir um emprego caso as tatuagens e os piercings corporais estejam situados em locais visíveis do corpo.

Continue a certificar-se que o adolescente usa o cinto de segurança sempre que andar de automóvel, mesmo que seja com amigos.

Como reagem os adolescentes ao facto de estarem doentes ou internados num hospital?

Os adolescentes preocupam-se muito com a sua aparência. Por essa razão poderão reagir mal ao facto de estarem internados num hospital. Além disso, podem ter receio de sofrer alterações corporais ou preocupações relativamente à sua aparência. Uma estadia num hospital poderá fazer com que o adolescente fique receoso de perder a independência tão arduamente conquistada. O adolescente poderá recear a perda de privacidade e sentir-se embaraçado. O facto de ter a sua actividade diária interrompida poderá preocupar o adolescente dado ter receio de que venha a interferir com as actividades dos seus companheiros. O adolescente poderá ainda recear o facto de que o afastamento o faça perder a sua posição perante os amigos. Poderá ainda pensar que terá de criar novas amizades.

Ao contrário das crianças mais pequenas, o adolescente consegue descrever exactamente a dor que está a sentir. Consegue indicar onde fica situada a dor, como é a dor, e se é uma dor forte ou não.

Os adolescentes compreendem o conceito da morte. Apesar do adolescente poder saber que irá morrer um dia, poderá pretender evitar pensar na morte. No entanto, o adolescente poderá não se aperceber que um comportamento perigoso, o uso de drogas ou as actividades desportivas de maior risco podem provocar a morte.

Como pode ajudar o adolescente sempre que estiver doente ou internado num hospital:

Tente estar sempre presente quando o adolescente estiver a receber assistência médica. O adolescente poderá não se mostrar muito cooperante com os médicos. Descrevem-se a seguir algumas formas de ajudar a diminuir o receio do adolescente em estar doente ou internado num hospital.

Certifique-se que o adolescente tem privacidade sempre que falar dos seus problemas de saúde ou dos tratamentos. Não fale do seu filho adolescente para outras pessoas ou à frente delas. Certifique-se que o médico fala consigo e com o adolescente numa zona privada de forma a evitar que este fique embaraçado.

Encoraje o adolescente a manter-se independente. Certifique-se que o adolescente se envolve em qualquer conversa relativa ao seu tratamento. Permita-lhe que faça parte do planeamento e da tomada de decisões, o mais possível. Muitos problemas de saúde possuem mais de uma forma de tratamento. Tente oferecer ao adolescente o maior número possível de opções de tratamento e de auto tratamento.

Encoraje o adolescente a manter o contacto com os amigos. Certifique-se que o adolescente tem um telefone no seu quarto, se possível. Tente saber se o adolescente pode utilizar um computador com acesso à Internet para poder enviar um e-mail aos amigos. Alguns hospitais tem computadores disponíveis na biblioteca médica. Planeie com a maior antecedência possível se o adolescente vai faltar à escola durante muito tempo. Pergunte na escola se há computadores portáteis disponíveis para estas situações. Muitas escolas podem fornecer os trabalhos escolares através da Internet.

Peça aos médicos que expliquem qualquer procedimento ou doença ao adolescente utilizando termos que ele consiga compreender. Não faça calar o adolescente. Tente utilizar sempre os nomes correctos para os órgãos e funções corporais. Por exemplo, utilize o termo fezes em vez de cocó.

Encoraje o adolescente a falar-lhe do que está a sentir em relação à sua doença e ao facto de estar internado num hospital. O adolescente poderá sentir receio de algo que poderá não acontecer. As questões poderão ajudar imenso a eliminar ou a reduzir bastante esses receios.

O adolescente necessitará ainda mais de comer uma dieta saudável enquanto estiver adoentado. Colabore com os médicos para se certificar que o adolescente pode escolher a sua própria dieta. É importante que o adolescente se alimente com alimentos saudáveis e que aprecie. Peça aos médicos que tenham um dietista (médico formado em nutrição) a colaborar com o adolescente para definirem o que comer para fazer uma dieta saudável.

Os médicos falarão com o adolescente em relação a possíveis problemas relacionados com o facto de defecar e de urinar. Encoraje o adolescente a caminhar, se tal for possível e a beber líquidos suficientes, como a água e os sumos de frutas. Este procedimento ajudará a manter as fezes normais sendo também importante para uma boa recuperação.

ACORDO DE TRATAMENTO

Ajudar a planear o tratamento do seu filho é um direito que lhe assiste. Para poder intervir neste planeamento deverá informar-se sobre o crescimento e o desenvolvimento dos adolescentes. Poderá então discutir as opções de tratamento com o médico e colaborar com ele para decidir qual o tratamento mais adequado para tratar o caso do seu filho.

30. Janeiro 2011 by admin
Em: Outros Temas | 1 comentário

One Comment

  1. a dolescencia e uma etapa muinto dificil por exemplos eu só angolano vivo na espanha na cida de barcelona foi muinto difici……………………………………………………………..

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *