Alecrim (Rosmarirus officinalis)

O alecrim de nome científico Rosmarirus officinalis é uma planta arbustiva, com flores de cor azul pálido (ocasionalmente brancas ou rosas) e folhagem verde acinzentada, semelhante à do pinheiro (e com o cheiro igualmente semelhante), proporciona um perfume familiar quer na casa de banho quer na cozinha.

Ler:  Chá de Alecrim

O óleo essencial de alecrim é usado para perfumar casas de banho; as suas folhas secas são usadas como aromáticas em ensopados, sopas, e pratos de carne. Na Grécia Antiga, o aroma desta especiaria, nativa do Meditenâneo desde Portugal e Espanha até Marrocos e Tunísia, a sul, perfumava os corredores das academias: os estudantes usavam raminhos na cabeça para melhorar a memória durante os estudos.

É possível que estivessem a manter também o cabelo saudável e a evitar a calvície, como mais tarde os ervanários reivindicavam como efeitos terapêuticos desta planta. Até Shakespeare faz referência à medicina mnemónica, o que deu origem a0 título da planta: «planta da recordação». Não se esqueça disto à medida que for lendo sobre os outros trunfos, deste membro da família das Lamiáceas, no combate às doenças.

Usos Terapêuticos e Benefícios do Alecrim para a Saúde

- artrite, problemas circulatórios, problemas de vesícula biliar, indigestão, falta de apetite, doença do fígado, ciática.
- Doença de Alzheimer, cataratas, hematomas, cancro (especialmente cancro da mama), diabetes, sonolência, gases, doença gástrica, endurecimento das artérias, doença de coração, doença intestinal, letargia, tensão arterial reduzida, enxaquecas, dores musculares, dores nevrálgicas, paralisia, dor nas costelas (pleurodinia), choque séptico, entorse, dor de estômago, varizes.

Usos tradicionais: Eczema, perda de cabelo, dor de cabeça, feridas.

Propriedades Medicinais do Alecrim

O alecrim proporciona-nos muito para lembrar – e o fitoquímico «fio enrolado no dedo» para o fazer. Cerca de seis substâncias na planta (várias das quais são rapidamente absorvidas através da pele) ajudam a prevenir o colapso da acetilcolina, um químico no cérebro, cuja deficiência tem sido associada à doença de Alzheimer.

Contém boas concentrações de cerca duas dúzias de antioxidantes. (A oxidação figura também no processo de deterioração do cérebro). Outros compostos estimulam uma melhor circulação sanguínea através do corpo, incluindo no cérebro. Os antioxidantes ajudam também a proteger os capilares e previnem o endurecimento das artérias e doenças do coração.

Relativamente a este aspecto, a diosmina, presente no alecrim, é muito provavelmente ainda melhor do que a rutina presente no castanheiro-da-índia, nos amores-perfeitos e violetas. Os seus olhos beneficiam também com os antioxidantes, bem como com pelo menos quatro químicos reconhecidos como anti-cataratas.

O óleo essencial, cineol estimula o sistema nervoso central e serve como tónico natural. Em experiências realizadas em laboratório, o óleo de alecrim mostrou baixar também o nível de açúcar no sangue. Todas estas acções documentadas são fitoterapia de ponta, mas muitos dos usos tradicionais do alecrim são também apoiados pela ciência, incluindo o encorajar uma melhor libertação de ácidos digestivos e dispersar os gases intestinais.

Equivalentes Sintéticos

Não existe nenhum fármaco sintético que gere um melhor fluxo sanguíneo para 0 cérebro. O principal medicamento anti-Alzheimer, a tacrina (Cognex), causa vómitos, náuseas, e um aumento da probabilidade de problemas no fígado (incluindo icterícia), e um maior risco de úlceras.

O alecrim (e a salva com uma acção semelhante) é um adjunto complementar perfeito da Ginkgo biloba no seu arsenal de plantas contra a doença de Alzheimer e a perda de circulação de sangue no cérebro.

Opções de Dosagem:

Meia a 1 colher de chá de um extracto líquido de rebentos de alecrim 3 vezes ao dia, ou 1 colher de chá de folhas de alecrim frescas ou secas cortadas colocadas em infusão numa chávena de água quente todos os dias.

Precauções e contra indicações

Nenhuma relatada com um uso sensato da planta inteira. Se ingerir uma grande quantidade, a urina pode adquirir uma coloração avermelhada. Uma descoloração induzida pelo alecrim não é sinal de problema, mas urina ensanguentada e avermelhada é um aviso de que algo está errado. Se está a tomar alecrim e vir este sintoma, não entre em pânico, mas consulte um médico para ter a certeza.

O óleo essencial é tóxico, por isso não deve ingeri-lo sem ser diluído. Se o fizer, pode sofrer de irritação no estômago, intestinos, ou rins. Pode também notar uma reacção na pele. Pessoas com epilepsia devem ter cuidado, pois o alecrim contém cânfora, um óleo volátil conhecido por causar convulsões.

Origem do alecrim: Regiões mediterrâneas, o alecrim, cujo o nome vem do árabe al-iklil, sempre foi muito apreciado pelas suas virtudes aromáticas e medicinais.

Em: Plantas Medicinais | 1 comentário

One Comment

  1. o alecrim para tosse, resfriado,expectorante. É TIRO E QUEDA !

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *