Aloína

A aloína, um composto obtido a partir do suco (não do gel) das folhas interiores e secas do Aloé vera (babosa), é um poderoso laxante. A folha de Aloe vera contém dois extratos fundamentais, o gel – suco incolor da polpa, composto por um parênquima aquífero, e a aloína – suco amarelo, resina oleosa de látex, que se encontra entre a casca e o parênquima. (N. da T.)

Usos Terapêuticos e Benefícios da Aloína para a saúde

**

- prisão de ventre.
Usos tradicionais: arteriosclerose, cólicas, elevados níveis de açúcar no sangue (hiperglicemia), infecções, falta de menstruaçã0, problemas no fígado, irregularidades menstruais, seborreia, tuberculose, tumores, úlceras, lombrigas.

Propriedades Medicinais da Aloína

Em determinado momento, a aloína foi muito utilizada como laxante, mas isso já não acontece. As antraquinonas presentes neste suco são um pouco fortes demais. Elas funcionam, mas encontram-se entre os últimos recursos como remédio para a prisão de ventre. Experimente, primeiro, uma dieta rica em fibras, e se precisar de uma ajuda suplementar, prefira o psílio ou a cáscara-sagrada.

Opções de Dosagem:
250 mg do suco de aloé em forma de cápsulas ou 50 a 200 mg de suco seco por dia.

Precauções e Contra Indicações da Aloína

Não será, com certeza, para uso prolongado. Pode provocar dores abdominais e irritação gastrointestinal. Não tome a aloína se tiver hemorróidas ou doenças nos rins. O gel e o suco das folhas secas são duas coisas completamente diferentes.

Não tem que se preocupar se utilizar o gel obtido a partir das folhas cortadas recentemente. Mas se ingerir um produto contendo aloína, é melhor manter o caminho para a casa de banho desimpedido durante as próximas 6 horas, mais ou menos.

Receba os novos artigos no seu email:

Em: Plantas Medicinais | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *