Ascite

A ascite consiste no excesso de fluido no espaço entre os tecidos que revestem o abdómen e os órgãos abdominais (chamada cavidade peritoneal).

Consulte também:
Cirrose

Causas da ascite

Uma pessoa com ascite geralmente sofre de uma doença grave no fígado. A ascite resultante de uma doença do fígado é causada pela elevada pressão nos vasos sanguíneos do fígado (hipertensão portal) e baixos níveis de albumina.

A cirrose e qualquer doença que a ela conduz são causas comuns de ascite. A longo prazo, infecções com hepatite C ou B e abuso do álcool durante um grande período de tempo são duas das causas mais comuns de cirrose.

As Pessoas com cancro do cólon, cancro no ovário, cancro do endométrio, cancro do pâncreas e cancro do fígado podem desenvolver ascite. Outras condições que podem conduzir a este problema incluem:

• coágulos nas veias do fígado (trombose da veia porta)
insuficiência cardíaca congestiva
• pancreatite
• espessamento e cicatrizes no “saco” que cobre o coração
A diálise renal também pode ser associada à ascite.

Sintomas de ascite

Quando apenas uma pequena quantidade de líquido é retirado da barriga, podem não haver sintomas. Os sintomas geralmente desenvolvem-se lentamente ou de repente, mas uma acumulação rápida de fluido e sintomas podem ocorrer devido a algumas causas de ascite.

À medida que mais fluido é recolhido, podem ocorrer dor abdominal e inchaço. Em casos mais graves de ascitetambém pode ocorrer falta de ar.

Exames e Testes

Um exame físico pode revelar um inchaço do abdómen (barriga inchada). Os Testes realizados para avaliar o fígado, incluem:

• recolha de urina a cada 24 horas
• creatinina e electrólitos
• testes de função renal
• testes a enzimas hepáticas, bilirrubina, coagulação e de proteína de soro
• análises à urina

Podem ser realizadas paracentese ou punção lombar. Este procedimento envolve a utilização de uma agulha fina para sugar o fluido do abdómen. O fluido é testadode várias formas para determinar a causa da ascite.

Tratamento da ascite

A condição que causa ascite irá ser tratada, se possível. O tratamento pode incluir:

• diuréticos para ajudar a remover o fluido, geralmente aespironolactona (Aldactone) é usadaem primeiro lugar, sendo depois adicionada a furosemida (Lasix).
antibióticos caso se desenvolva uma infecção.
• limitar o sal na dieta (não mais do que 1500 mg / dia de sódio).
• evitar o consumo de álcool

Os procedimentos usados para tratar a ascite que não responde ao tratamento médico incluem:

• colocação de um tubo na área para remover grandes volumes de fluido (chamado de paracentese de grande volume).
• anastomose portossistêmica intra-hepática transjugular, que ajuda a redireccionar o sangue em redor do fígado.

Os pacientes que desenvolvem estágio final de doença do fígado, e cuja ascite já não responde ao tratamento vão precisar de um transplante de fígado.

Possíveis complicações

peritonite bacteriana espontânea (uma infecção potencialmente fatal do fluido da ascite)
• síndrome hepatorrenal (insuficiência renal)
• perda de peso e desnutrição proteica
confusão mental, alteração do nível de alerta ou coma (encefalopatia hepática)
• Outras complicações decorrentes da cirrose hepática

Quando entrar em contacto com um profissional médico

Quem sofre de ascite e desenvolve uma nova dor abdominal e febre deve contactar o seu médico imediatamente.

Nomes alternativos
Hipertensão portal

Informação para profissionais de saúde e estudantes de medicina

A Ascite está geralmente associada a cirrose, mas tanto uma doença cardíaca ou renal também pode estar implicada no seu aparecimento.
. Evidências de macicez móvel, flancos abaulados.
. Paracentese para ascite de início recente ou sintomas sugestivos de peritonite bacteriana espontânea.
. Amostra de líquido obtida para contagem celular, proteína; amilase, cultura bacteriana, citologia e triglicerídios, quando indicado.
. Gradiente de albumina sérica-ascítica ≥ 1,1 g/dl é praticamente diagnóstico de hipertensão portal
. > 250 neutrófilos/μl com porcentagem acima de 50% é típica de infecção

Diagnóstico diferencial

Causada por hipertensão portal:
. doença hepática crônica (80-85% de todos os casos)
. insuficiência cardíaca (3%)

Não causada por hipertensão portal:
. relacionada com neoplasia maligna (10%) e tuberculose

Relacionada com diálise:
. pancreática
. laceração linfática (quilosa)

Tratamento

O tratamento da ascite causada por hipertensão portal é o seguínte:
. Restrição de sódio ( < 2g/dia)
. Restrição hídrica se o sódio sérico for < 120 mmoll/l.
. Diuréticos: em geral, espironolactona e furosemida na razão de 100 mg para 40 mg, para manter o balanço de potássio
. Paracentese de grande volume ( 4 a 6 l) para ascite tensa ou refratária, com reposição de albumina (6 a 10 g/l)
. Derivação portossistêmica intra-hepática transjugular (DPIT) ou derivação cirúrgica nos casos refratários
. Os pacientes com peritonite bacteriana espontânea são tratados durante 5 dias com cefalosporina de terceira geração (p. ex., cefotaxima)
. Profilaxia da peritonite bacteriana espontânea (com norfloxacino ou trimetoprim-sulfisoxazol) para pacientes com peritonite bacteriana espontânea, hemorragia digestiva ou ascite hipoprotéica (< 1,5 g/dl).

Dica
Depois que ocorre peritonite bacteriana espontânea, o transplante de figado é a unica intervenção que prolonga a vida.

05. Fevereiro 2010 by admin
Em: Doenças do sistema digestivo | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *