Bronquiolite em Pediatria – bebés recem nascidos

Bronquiolite em pediatria – Bebés recem nascidos (infecção das vias respiratórias mais pequenas, bronquíolos, do pulmão):

A bronquiolite é uma infecção das vias respiratórias mais pequenas dos pulmões (bronquíolos). As vias respiratórias incham e provocam dificuldade respiratória. A bronquiolite ocorre habitualmente em bebés recem nascidos com idade inferior a 12 meses. Não é muito comum após os dois anos de idade. Os bebés prematuros e as crianças com doenças pulmonares ou cardíacas têm maiores probabilidades de ter uma bronquiolite. Esta infecção é mais comum durante o Inverno. A criança poderá ficar doente durante dois a sete dias. É possível apanhar esta infecção mais do que uma vez.

Causas de bronquiolite em bebés recem nascidos:

A bronquiolite é muitas vezes provocada pelo vírus sincicial respiratório (VSR). O VSR consegue viver durante pelo menos 30 minutos nas roupas e até seis horas nas superfícies, como uma mesa. A infecção também pode ser provocada por outros vírus. A bronquiolite passa facilmente de pessoa para pessoa, bastando um simples contacto. A criança pode apanhar bronquiolite estando perto dos objectos utilizados ou tocados por uma pessoa infectada, como o tampo de uma mesa ou um pano.

Sinais e sintomas:

A bronquiolite começa como uma simples constipação. A criança pode espirrar, ter corrimento nasal, febre ou tosse. Quando o vírus se espalha para as vias respiratórias mais pequenas, a criança começa com dificuldade respiratória. Estes problemas respiratórios podem surgir dois a três dias após os primeiros sinais de constipação. Poderá apresentar um som sibilante (ruído de tom elevado ouvido ao inspirar e ao expirar) durante alguns dias. Esse som sibilante é provocado pelo estreitamento das vias respiratórias inferiores. A criança poderá parecer mais cansada do que o habitual. São comuns infecções dos ouvidos juntamente com a bronquiolite. Nem todas as crianças com bronquiolite têm febre.

Como se Diagnostica:

O diagnóstico da bronquiolite é clínico. Não são habitualmente necessários quaisquer exames para além da observação pelo pediatra.

Riscos e Complicações:

A bronquiolite é uma doença que se resolve habitualmente sem complicações e a maioria das crianças melhora em três a cinco dias. Menos de 5% das crianças necessitam de ser internadas no hospital e são principalmente os bebés mais pequenos (com menos de três meses) ou com outras doenças cardíacas ou pulmonares.

Tratamentos da bronquiolite em bebés recem nascidos:

O ar seco aumenta a vontade de tossir. Pelo contrário, a atmosfera húmida ajudará a soltar o muco acumulado nas vias aéreas facilitando assim a respiração. Mantenha o nariz da criança desobstruído utilizando uma pequena válvula de sucção em borracha macia. Ofereça líquidos para beber, principalmente água. Os antibióticos não têm interesse no tratamento da bronquiolite. Mas há outros medicamentos que podem ser administrados e ajudar a criança a sentir-se melhor. Não deixe ninguém fumar perto da criança. Nos casos mais graves, a criança poderá ter de ser observada pelo pediatra que aconselhará o tratamento mais adequado.

 Vírus Sincicial Respiratório

O que é:

O vírus sincicial respiratório é um vírus que provoca uma infecção das vias respiratórias mais pequenas, nos pulmões. Com este vírus, as pequenas vias respiratórias incham e podem provocar dificuldade respiratória. Esta infecção é comum nos primeiros meses da Primavera ou do Inverno. As crianças com idade inferior a 12 meses têm maiores probabilidades de apanhar este vírus.

No entanto, as crianças mais velhas e os adultos também podem apanhar esta infecção. Esta pode ser uma infecção bastante grave se a criança também sofrer de outros problemas de saúde, tais como doenças cardíacas ou pulmonares. A criança poderá ficar doente durante vários dias, podendo ainda apanhar esta infecção mais do que uma vez.

Causas:

Esta infecção é provocada pelo vírus sincicial respiratório, o qual se espalha pelo ar através da tosse e dos espirros. Também se pode disseminar tocando num objecto utilizado por uma pessoa infectada, como, por exemplo, um pano.

Sinais e sintomas:

A criança poderá começar por ter uma constipação ligeira com tosse, dores de garganta, febre e corrimento nasal. Outro sinal de infecção é uma respiração sibilante, a qual é um ruído audível quando a criança inspira e expira. A criança poderá sentir dificuldade respiratória. A criança poderá sofrer tiragem. Acontece quando a pele situada entre as costelas se retrai com cada respiração.

A criança poderá ter falta de apetite e não sentir vontade de ingerir líquidos, parecendo ainda mais cansada do que o habitual. Os seus lábios e unhas das mãos e dos pés poderão ficar com um aspecto pálido ou apresentar uma cor azulada. As narinas (aberturas do nariz) da criança poderão apresentar-se mais abertas. Poderá parecer que a criança está a tentar obter mais ar.

Como se Diagnostica:

O diagnóstico é clínico. Se a criança apresentar estes sintomas deverá ser observada por um médico.

Cuidados a ter:

Mantenha uma lista escrita dos medicamentos que a criança está a tomar, das alturas em que os está a tomar e das razões pelas quais os está a tomar. Leve sempre consigo a lista dos medicamentos ou os frascos dos medicamentos quando tiver consultas com o médico da criança. Saiba porque está a criança a tomar cada um dos medicamentos. Peça ao médico mais informações sobre os medicamentos.

Dê sempre os medicamentos à criança da forma prescrita. Contacte o médico da criança se achar que os medicamentos não estão a ajudar ou se a criança sentir efeitos secundários. Não deixe de dar os medicamentos à criança antes de falar com o médico.

Não dê aspirina ou quaisquer medicamentos que contenham aspirina. O fornecimento de aspirina à criança quando esta se sente doente poderá provocar uma doença bastante grave designada como síndroma de Reye. Leia os rótulos dos medicamentos antes de os fornecer à criança para verificar se contêm aspirina.
Não há qualquer problema em fornecer à criança paracetamol para a febre e para que se sinta mais confortável. Fale com o médico antes de fornecer ibuprofeno.
Tente manter a criança afastada de pessoas constipadas. Lave as mãos com água e sabão diversas vezes para evitar espalhar a infecção.
Se a criança ficar constipada, utilize um humidificador de brisa fresca no seu quarto. Encha o humidificador de água fresca e coloque-o fora do alcance da cama da criança. Direccione a brisa para o rosto da criança. A utilização de um humidificador ajudará a soltar o muco presente na garganta da criança, facilitando assim a sua respiração.
Mantenha o nariz da criança sem muco.

Utilize gentilmente uma pêra de sucção de borracha para extrair o muco. Aperte a pêra e introduza a extremidade numa das narinas da criança. Aperte a outra narina com os dedos. Solte a pêra de forma a que aspire o muco presente na narina. Esvazie a pêra de sucção para um lenço e repita o procedimento se necessário. Repita o procedimento na outra narina.

Poderá fazer gotas salinas (água salgada) para o nariz para ajudar a soltar o muco presente no nariz da criança. Num recipiente limpo, misture 1/4 de colher de chá de sal com 115 gr. (1/2 chávena) de água morna. Coloque três gotas da solução em cada narina. Poderá utilizar um pedaço de algodão humedecido para introduzir as gotas para o nariz.Aguarde um minuto. Use a seringa em forma de pêra para retirar as gotas para o nariz e o muco das narinas da criança.
Tente fazer com que a criança beba água, sumo de maçã, limonada ou chá. Os líquidos deverão estar à temperatura ambiente.

A criança poderá necessitar de mais descanso do que o habitual. Poderá ter de lhe dar de comer com mais frequência do que a habitual dado que a criança poderá ficar mais cansada durante a amamentação. Limpe bem o nariz da criança antes de a amamentar ou de lhe dar o biberão de forma a que consiga respirar durante a amamentação. Deverá também limpar o nariz da criança antes de a deitar a dormir.
Não permita que pessoas fumadoras estejam perto da criança. O fumo poderá piorar a tosse e a respiração da criança.

CONTACTE O SEU MÉDICO SE:

A criança se apresentar mais sonolenta do que o habitual, urinar menos, tiver a boca seca ou os lábios gretados. Também o deverá contactar caso a criança chore sem deitar lágrimas ou se tiver tonturas. São sinais de desidratação.

Não conseguir fazer com que a criança beba líquidos.
A criança tiver uma temperatura superior a 40º C .
Tiver questões ou dúvidas a colocar relativas à doença ou aos medicamentos da criança.

PROCURE IMEDIATAMENTE AJUDA SE:
Contacte o 112 pedindo ajuda se a criança apresentar um dos sinais seguintes:

Dificuldade em respirar.
Dificuldade em engolir.
O esterno (parte intermédia do peito) apresentar um aspecto cavado a cada respiração.
A pele situada entre as costelas ficar retraída com cada respiração.
Os lábios ou as unhas ficarem com uma cor azulada ou esbranquiçada.

Riscos e Complicações:

Os riscos de sofrer de uma doença mais grave ou de morrer são bastante reduzidos caso siga todas as indicações fornecidas pelos médicos. Contacte o médico se ficar preocupado ou se tiver questões a colocar relativas aos medicamentos ou aos tratamentos da criança.

Tratamentos:

Normalmente, a criança poderá ser tratada em casa se não apresentar dificuldade respiratória. No entanto, poderá ser necessário hospitalizar a criança caso a sua respiração não apresente melhorias. A criança poderá necessitar de oxigénio, de medicamentos e de tratamentos respiratórios enquanto estiver internada no hospital. Os antibióticos não têm qualquer tipo de efeito nesta infecção.

Contacte o 112 para obter ajuda caso a criança sinta dificuldade respiratória ou tenha dificuldade em engolir. Contacte também este número de emergência se a pele situada entre as costelas se retrair a cada respiração. Contacte ainda o 112 se os lábios ou as unhas da criança apresentarem um aspecto azulado ou esbranquiçado.

Apoio emocional: Deverá permanecer junto da criança para lhe dar algum conforto e apoio. A criança vai sentir-se mais segura no hospital tendo os pais junto dela.

Tratamentos respiratórios: A criança poderá necessitar de fazer tratamentos para ajudar a abrir as vias respiratórias. Conseguirá assim respirar melhor. Poderá ser utilizada uma máquina para ajudar a criança a respirar. Terá a ajuda de um médico durante estes tratamentos. A criança poderá começar por necessitar dos tratamentos com uma maior frequência. À medida que for melhorando, deverá necessitar apenas dos tratamentos sempre que sentir dificuldade em respirar.

Broncodilatadores: Este medicamento poderá ser necessário para ajudar a abrir as pequenas vias respiratórias dos pulmões. Algumas doenças pulmonares podem fazer com que estas vias fiquem mais estreitas. Este medicamento ajudará a criança a respirar melhor e a sentir-se melhor. Também ajudará a criança a obter mais oxigénio para os pulmões e para o sangue.

Medicamentos para a febre: Este medicamento é fornecido para ajudar a baixar a febre. Alguns exemplos são o paracetamol ou o ibuprofeno. Este medicamento poderá ser fornecido por via oral ou através do recto da criança. A febre mais baixa deverá ajudar a criança a sentir-se melhor.

Oxigénio: A criança poderá necessitar de oxigénio extra durante a sua doença. O oxigénio pode ser fornecido através de uma máscara plástica colocada sobre a boca e nariz. Não retire o meio de fornecimento de oxigénio sem pedir ao médico. Se o fizer, o corpo da criança poderá ficar sem oxigénio suficiente.

Oxímetro de pulso: Esta é uma máquina que lhe especifica a quantidade de oxigénio presente no sangue da criança. Um cordão com uma pinça ou uma faixa adesiva é colocado no seu ouvido, dedo da mão ou dedo do pé. A outra extremidade do cabo é ligada a uma máquina. Os médicos utilizam esta máquina para verificar se a criança necessita de mais oxigénio.

Cinesiterapia: É um tratamento indolor que ajuda a soltar a expectoração dos pulmões da criança. Uma enfermeira utilizará as mãos para bater gentilmente nas costas e no peito da criança. Este movimento permitirá soltar expectoração dos pulmões da criança, tornando mais fácil o acto de tossir. Em alternativa, a enfermeira poderá utilizar uma máquina para bater gentilmente no seu peito e nas costas. A criança poderá tossir um pouco mais depois de concluída a cinesiterapia. A cinesiterapia facilita a respiração e ajuda a criança a recuperar mais rapidamente.

Em: Outros Temas | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *