Câncer do Endométrio

Aula gravada de Ginecologia – Câncer do Endométrio

Não é comum em pacientes jovens, é mais comum na paciente que está menopausada, a muito tempo que ela não menstrua e de repente aparece com um sangramento pós-menopausa, que a primeira hipótese que tem que ser afastada é ____ (ela deve ter dito câncer, mas deu um barulho estranho na hora que ela falou).

Fatores de Risco
Fatores de risco, o que pode levar a paciente a ter câncer de endométrio?
1)Obesidade, principalmente pct com índice de massa corpórea acima de 30. Por que vocês acham que a obesidade está relacionada ao câncer do endométrio? Por causa do acúmulo de estrogêneo, toda pct que tem aumento de tecido adiposo, ela tem depósito de estrogêneo nesse tecido gorduroso. É muito freqüente ela ter esse estrogenismo;
2) Idade – entre 50/70 anos de idade, naquelas pacientes que nunca gestaram, nulíparas. E nas pcts que já gestaram é mais comum após os 70 anos de idade;
3) Pcts que tiveram uma menopausa tardia, porque ficou mais exposta a ciclo menstruais, mais exposta a ação do estrogênio.
4) Hipertensão e diabetes não se associam sozinho. Quando você tem um outro fator de risco e tem diabetes ou hipertensão você considera como fator de risco.
5) Nuliparidade;
6) História familiar é importante também;
7) Mais comum em raça branca do que raça negra;
8) Pcts com alto nível sócio econômico, porque são pcts mais sedentários, não praticam atividade física, então é mais comum;
9) Dieta rica em gordura animal;
10) E estresse também;
11) Infertilidade ou historia de irregularidade menstrual associada anovulação, porque a pct anovulatória, ela não ovula, conseqüentemente ela não tem a fase da progesterona, então ela só tem ação do estrogênio no endométrio dela. Então ela está mais sobre a ação do estrogênio, então ela não ovula, ocorre ciclos novos e ela vai sangrar por isquemia e não pela ação da progesterona.
12) Uso isolado de estrogênio na terapia de reposição hormonal sem associação com progesterona. Isso é comum de se ver em pct que tem útero e as vezes faz uso só de estrogênio, por que? Porque a pct que está na menopausa a sintomatologia, a queixa clínica dela é causada pela falta de estrogênio, só que você tem q contrapor a ação desse estrogênio com a progesterona. Se vai ser uma vez por mês, de 3 em 3 meses, como for não interessa, você tem que dar progesterona p/ ela. Em alguns casos vocês pegam, alguns desavisados, o médico faz só estrogênio p/ ela, melhorou a sintomatologia, mas não é assim, tem que tomar cuidado com o endométrio dela. Então a progesterona na reposição hormonal é p/ proteção endometrial. Então se você pega uma paciente que está usando estrogênio sozinho e tenha útero, está errado, agora as pcts q já são histerectomizadas, que não tem útero, está correto usar só o estrogênio, aí você não faz a progesterona;
13) Uso de Tamoxifeno. Tamoxifeno é uma droga usada em câncer de mama. Pct que teve câncer de mama ela usa Tamoxifeno no tratamento dela pós operatório. O que acontece? O Tamoxifeno tem uma ação similar ao estrogênio, a nível endometrial. Então toda paciente com câncer de mama, deve, tratamento atual que está fazendo uso de Tamoxifeno, ela tem que manter controle do endométrio dela. Tomar cuidado, porque ela melhora do câncer de mama e aparece com um câncer de endométrio.
14) Hiperplasia endometrial leve, na aula que nós falamos sobre esterilidade, se não me engano, eu mostrei pólipo endometrial. O que é o pólipo endometrial? É uma projeção, é uma ação local no endométrio, que aumenta, que há proliferação daquele endométrio, então é uma ação, uma parte do endométrio que leva a proliferação dele, e essa proliferação pode levar a uma hiperplasia, e essa hiperplasia a gente vai ver mais na frente que pode ser típica ou atípica. Se for hiperplasia simples típica, sem nenhuma anormalidade, o tratamento é clínico. E se for uma hiperplasia com sinais de atipia, com sinais de anormalidade, é considerada como uma lesão precursora para câncer de endométrio. Tanto o pólipo, como a hiperplasia, o pólipo, antes de ser pólipo, ele foi hiperplasia e com o tempo evoluiu p/ pólipo.
15) Síndrome de Lynch – é uma neoplasia do colo-endométrio-ovário associados;
16) Tumores ovarianos produtores de estrogênio. Existem alguns tumores ovarianos que só produzem estrogênio, conseqüentemente ele vai agir mais no endométrio na parte de proliferação.
17) Síndrome de ovário policístico manifesta da mesma forma que a anovulação crônica. A pct com síndrome de ovário policistico, ela é anovulatória, ela não vai ter ação da progesterona, só do estrogênio.
18) Iradiação prévia complexa(?) fator de ___

As hiperplasias de endométrio podem se assemelhar a displasia de colo de útero, e podem preceder e constituir fatores de risco p/ carcinoma de endométrio, que é aquilo que eu falei. É a pct que tem uma resposta irregular do estrogênio nesse endométrio, ela vai proliferar esse endométrio de forma irregular, ela vai crescer mais do que deveria crescer esse endométrio. Se eu tenho crescimento maior, ela tem uma multiplicação celular desse endométrio maior também. Então é uma chance de ter um ______ ____, de ter uma neoplasia. Se eu tenho uma hiperplasia, você não pode fazer nem o uso de medicação, para depois ____, tem q corrigir essa hiperplasia. Então tem uma hiperplasia, primeiro vc tem que saber de que tipo ela é, vai biopsiar esse endométrio, tem o resultado histopatologico, tem uma hiperplasia assim: ______ ______, falta de progesterona, vai entrar em amenorréia; anhhh é uma hiperplasia complexa, com atipia ou sem atipia, anhh é histerectomizada, tem q fazer ________, o que a gente tem q fazer? Tem corrigir primeiro para depois dar o estadiamento. E ela é considerada como lesão precursora.
Vocês já tiveram aula de câncer de colo com a Vandréia?
Já. Ela não daquelas neoplasias epiteliais cervicais?
Médio, moderado, acentuado e CA(?) in-situ?
A gente faz da mesma forma, ta?
Então toda pct tem q hiperplasia tem q ser corrigido, porque no futuro, pode desenvolver um câncer de endométrio.

As classificações que eu falei: você pode ter uma hiperplasia simples, complexa, com ou sem atipia.
E de hiperplasias SIMPLES, são as glândulas endometriais q estão dilatadas, com a mesma quantidade de glândula e de estroma.
SEM ATIPIA com progressão p/ neoplasia de cerca de 1% dos casos. Você faz uma biopsia do endométrio e vê uma hiperplasia simples, só 1% dos casos tem chances de virar uma neoplasia. Acho q o Daniel pergunta algo e a fita pára de gravar por uns 10 segundos… voltando…
…da mistura de estroma com as células, e você já tem células com alterações que sugerem já atipia, mas isso já é p/ câncer, mas não é diagnóstico. Goiano corta a professora: Diferente de displasia então? Diferente de displasia.

HIPERPLASIA COMPLEXA: já tem alteração, um aumento(?) do estroma, mas ainda não tem atipia, ela tem uma progressão de 3% casos já com neoplasia.
E das HIPERPLASIAS ATÍPICAS também podem ser SIMPLES ou COMPLEXAS. Já existe atipia celular, e se for SIMPLES a probabilidade de se transformar em maligna é de 8% e se for COMPLEXA é de 29%. O tratamento quando é COMPLEXA COM ATIPIA sem ter ____ ta?
E sempre você tem q fazer um tratamento radical, por que a chance de virar é de 29%.

Quadro Clínico
Qual é o quadro clinico?
Paciente chega com câncer de endométrio: ela vai chegar p/ você dizendo que ela é menopausada há algum tempo, já não menstrua a 5,6,7,8 anos. Então ela vai ter uma queixa de corrimento purulento, aqui o corrimento pode se esteriorizar ou não, quem me acompanhou no ambulatório hj?
Nós vimos uma ultrassonografia de uma pct de 57 anos de idade, ela era menopausada aos 40 anos de idade, e na ultrassonografia dela de controle, de rotina, ela tinha um espessamento endometrial, o endométrio dela era de 6mm e que tinha líquido livre na cavidade. O que é líquido livre na cavidade?
O colo do útero dela, da atrofia da menopausa, estenosou tanto que impedia a saída de qualquer secreção da cavidade uterina p/ vagina. Então a pct que tem espessamento endometrial e tem líquido na cavidade, é indicação p/ fazer uma histerescopia, então você tem que olhar aquela lesão,p/ ver o que está acontecendo, por que?
Se for corrimento purulento pode ser câncer. O pús, o câncer de endométrio ele secreta pús, você libera sangue, ta? Então tem q biopsiar. Eu pedi a histeroscopia dela, a histeroscopia foi tentada, mas ela não teve sucesso, porque a estenose do colo dela foi muito intensa, então ela não conseguiu fazer a histeroscopia a nível ambulatorial, então ela tem q ficar internada p/ fazer com anestesia. Mais um fator q fala q esse colo está estenosado e essa secreção não sai. Então pct menopausada, que faz ultrasom de rotina e tem um espessamento com secreção, com líquido livre na cavidade, é indicação fazer histeroscopia, tem que ver aquela lesão. Alguém: E o q ela sentia?
Nada, ela veio p/ exame de rotina, controle. Ela tem q fazer mamografia, ultrasom, fazer preventivo, e ela fez esses exames e na ultrassonografia deu este quadro: um endométrio de 6mm, numa pct menopausada não é um endométrio exagerado, mas 6mm eu já considero um espessamento. Então espessamento endometrial pequeno com líquido na cavidade. Então é só p/ vcs lembrarem… Então corrimento purulento pode se exteriorizar ou não. Hematométria (?) e piométria (?), sangue ou pús, pela estenose pode se exteriorizar ou não, se for uma pct menopausada com colo perveo deve se exteriorizar, vc consegue investigar, se não estiver exteriorizado vc vai ver no ultra-som dela líquido na cavidade uterina, a cavidade é fechadinha, é virtual, né? Conforme vai tendo distensão pelo líquido, no ultra-som vai ver.

Presença de células neoplásicas no Papa-Nicolau – Quando vc colhe um preventivo de uma pct menopausada que vem fazer o preventivo anual, e vc colhe o material do canal cervical com aquela escovinha, quando vc passa e vem células endometriais, quer dizer, lá de dentro do endométrio, vc em 5% dos casos tem associação com o câncer. Por que? No endométrio, no caso de câncer do endométrio vc tem descamação desse endométrio, então vc vai perder células endometriais aí, então quando vc faz Papa-Nicolau, não é normal ver células endometriais, c vc viu é um alerta.

Mas existem outras causas que a pct também chega e não tem câncer, então nem todo sangramento na menopausa é câncer. As vezes a gente investiga e não é câncer, mas é bom ver. E quais são essas causas?
- Atrofia de endométrio (em 60 a 80% dos casos isso ocorre, pq? O endométrio é uma camada que reveste a cavidade uterina, o miométrio ele tem vasos sanguineos que vascularizam ele correto? Se aquele endométrio recobre os vasos sanguíneos, ele impede que ocorra os sangramentos, vamos supor que ela esta usando um hormônio, porque ela entrou na menopausa, ela não tem mais ação daquele endométrio recobrindo os vasos, então os vasos começam a ficar expostos, se eles ficam expostos ele vão sangrar, ta?

Então a gente faz o ultra-som e vem um endométrio de 2mm, um endométrio de 1mm, então, só o fato desse endométrio não estar mais repitelizando não estar mais recobrindo toda a cavidade uterina, ele pode levar a um sangramento, isso pode acontecer tanto na menopausa, tanto na pct em menacme, pq? A pct em menacme q usa anticoncepcional q é base só de progesterona, ele seca o endométrio, então pode ter um sangramento por atrofia;
- Hiperplasia, que foi aquilo que eu falei sobre a lesão precursora, em 5 a 10% dos casos ocorre um sangramento por hiperplasia e não é câncer;
- Pólipo endometrial. A hiperplasia é uma lesão, uma alteração toda da cavidade, o pólipo é localizado no endométrio. O pólipo endometrial ele em 2 a 12% dos casos eles podem evoluir com sangramento e pode ser confundido, pode se fazer o diagnóstico diferencial com câncer de endométrio. O pólipo endometrial é muito comum após a menopausa também, então é muito comum vc ver pólipo endometrial em pct menopausada.
- E naquelas pcts em reposição hormonal, algumas pcts não se adaptam de imediato ao uso de determinados hormônios, então com o inicio da reposição hormonal, ela volta a ter epitelização do endométrio, o endométrio volta a crescer, mas ela cursa com sangramento anormal, então pode acontecer só pelo uso da medicação quando ela não se adapta, ta? Então vc trocando, vc ajustando a dose, vc ajustando o uso vc consegue corrigir esse sangramento. Alguma dúvida?

Diagnóstico

Como é dado o diagnóstico?
Primeiro vc tem q conversar com a pct. Toda vovozinha, toda pct q chegou menopausada e falou q tem sangramento o primeiro diagnóstico q tem q vir a sua cabeça é o câncer, os outros vc vai fazer diagnóstico diferencial, então vc tem q pensar no câncer. Se vc não pensar em câncer vc pode comer mosca, e câncer é o mais grave de todos, os outros são até patologias benignas, o câncer não. Então ela vai dizer q é menopausada, que ela tem sangramento ou não. Eu atendi uma pct a um mes atrás +/-, era uma senhora, se 61 anos, menopausada a 10 anos +/- (ela parou de menstruar aos 51 anos de idade), tinha filhos, tinha tido 7 filhos ou 8, eu sei que ela tinha uma quantidade d filhos muito grande, e todos tinham nascido de parto normal, então, ela não tinha fatores de risco p/ câncer de endométrio. Mas ela fez uma ultrassonografia de controle porque ela fez um sangramento discreto, sugeria locais de sangue, e foi ao ginecologista e o ginecologista pediu o ultra-som dela. Na ultrassonografia dela veio um espessamento endometrial de 27 mm. Nuuuuusssa Numa pct memopausada que não faz reposição hormonal, ela só tinha hipertensão se não me engano. Ela era hipertensa, num sei se era diabética, mas os restantes de fatores de risco ela não tinha!
E tinha um espessamento endometrial de 27mm. Pediu um ultra-som confirmou isso, agora ele pediu uma histeroscopia, e na histeroscopia era câncer. Já era uma lesão extensa. Então com 10 anos de menopausa ela já evoluiu c/ câncer. Ela pode mais nova ter tido hiperplasia? Provavelmente… as vezes não tratou, as vezes não investigou, não sabia o que era… ¨anhhhhh era mioma, sangrava muito era mioma¨ (ela falou c/ ironia), mas não investigou…

Então a histeroscopia contribuiu muito p/ diagnóstico do câncer do endométrio.
O exame físico é pobre, vc não consegue dar o diagnóstico no exame físico de endométrio, vc consegue suspeitar. A histeroscopia eu acho q é um dos principais exames p/ vc dar o diagnóstico, associado com a biópsia. A histeroscopia te identifica a lesão, te mostra onde ela está, e ela te guia p/ vc fazer a biópsia, ta? Então eu acho q é um dos exames q mais contribuiu p/ diagnóstico precoce do câncer do endométrio. Porque antigamente… Alguém: É caro?

Prof: Se vc for fazer uma histeroscopia diagnóstica, q é um caso de suspeita dessas, com uma biopsia deve ficar em torno de R$250,00/ R$300,00, não é um exame barato, p/ população em geral né?
Mas é um exame razoável. Eu acho q em toda suspeita vale a pena pedir. Então ele serve p/ t guiar a biópsia, e te dá uma imagem q confirma as vezes o diagnóstico no visual. Com a histeroscopia vc consegue fazer a biópsia do endométrio, então toda suspeita de câncer de endométrio é obrigatório fazer biópsia, vc só tem a confirmação do diagnóstico através da biópsia. As vezes tem diagnóstico visual mas tem q confirmar com a biópsia.

Curetagem uterina semiótica(?), não sei se eu já falei com vcs. A curetagem é um procedimento que vc faz as cegas, vc coloca a cureta, q é comprida, e na ponta dela vc tem uma fenestração e vc enfia via cólon/vagina e vai ___ e raspa. Quem q garante q conforme vc raspa, vc consegue pegar toda região dos pomos uterinos. Ela desenha o útero: Aqui está o útero… Conforme vc coloca a cureta, vc tem certeza q vc raspou toda essa cavidade, toda essa localização, vamos supor q ela tenha um câncer bem nessa região corno alto(?), ninguém garante… E foi comprovado que a curetagem só colhe 60% do material da cavidade, ela não consegue colher material de toda cavidade. Então vc deixa a desejar, 40% da cavidade não investigada, eu acho q é muito p/ vc perder num diagnóstico de câncer.

Então a curetagem é utilizada?
É, é muito utilizada, não é pouco não, é muito! Então vcs vão ver em enfermarias de ginecologia de serviço público, ou até de serviço privado que não tenha disponibilidade. Alguém interrompe… Então o q acontece? No serviço público que vc não tem disponibilidade da histeroscopia imediato, e as vezes a pct está sangrando muito, e vc tem uma suspeita forte, vc lança mão da curetagem, mas não é o melhor método, eu quero que fique bem claro p/ vcs isto, q é um método muito usado, muito utilizado, mas não é o melhor, ele deixa 40% de falha.
Ultrassonografia transvaginal ou pélvica.

A transvaginal a gente faz de preferência, q ela avalia mais a superfície endometrial, e é utilizada em pcts que tem a permeabilidade do canal vaginal. Existem pcts menopausadas, q tem uma estenose, que tem um fechamento da vagina tão intenso que vc não consegue fazer transvaginal, aí vc tem q fazer a pélvica, ou pcts que nunca tiveram atividade sexual, ta? Então se ela tiver uma atividade sexual, ou teve, ela tem a vagina possível de fazer ultra-som transvaginal. E a pélvica em casos especiais. Mas não é a melhor, ta?
E na ultrassonografia transvaginal, vc busca principalmente a avaliação da espessura endometrial. Quando eu peço no caso de pct q eu tenho suspeita de alteração endometrial eu já coloco: ¨Solicito ultrassonografia transvaginal com avaliação de espessura endometrial¨, p/ o ultrassonografista saber que eu quero q avalie aquilo, é o principal q eu quero q ele veja, porque é a minha suspeita clínica.

Doppler Fluxometria p/ avaliar a vascularização – Em casos de neoplasias, essa vascularização vai estar aumentada.
CA125 – Que é um marcador tumoral. Ele não é muito utilizado em câncer do endométrio, mas eu tenho q citar p/ vcs, ele é mais usado no caso de tumores ovarianos.
E a tomografia e a ressonância são mais usados quando vc tem o diagnóstico e quer avaliar invasão da serosa. O endométrio reveste internamente a cavidade, então vc tem o endométrio revestindo a parte interna do útero. Vc tem a parte interna… tem a musculatura q é o miométrio, e a invasão tumoral desse câncer de endométrio… E a invasão tumoral vai invadir endométrio, miométrio até ele chegar na serosa, então estadiamento do câncer de endométrio é feita só com a retirada da peça.

A biópsia a gente vai conseguir tirar o material da superfície, mas vc não consegue fazer um corte na parede do útero, e deixar aquela parede aberta. Então vc tem que tirar, confirmou o diagnóstico de câncer de endométrio, vc vai ter q retirar a peça inteira, então vc vai promover uma histerectomia. Se esse endométrio tiver muito invadido, mais de 50% do miométrio, o prognóstico dessa pct é muito ruim, porque começa a invadir serosa também, a serosa é a parte esterna do útero. Então começa a ter invasão de órgãos adjacentes, compressão de alças adjacentes, então é mais grave, ta? Então o diagnóstico é sempre retirando a peça p/ estadiamento.

Alguém pergunta algo, e a prof responde assim: Se vc tiver uma entrada só do endométrio, de forma superficial, seria indicação de _______ (deu uma falha na fita… não deu p/ entender…) continuando… com ____adenoma de ovário vc faz histerectomia com ovário e trompa, se vc tem uma _____ no miométrio isso so não adianta, tem que fazer uma histerectomia, um esvaziamento ganglionar, as vezes com quimioterapia, radioterapia. Vc só faz histerectomia radical com uma ressectomia(?) em endométrio só.
Aqui é a imagem de um câncer… Essa provavelmente é uma pct menopausada, pq? O restante da cavidade está lisa, vcs vêem que câncer é vegetativo, ele é aspecto celebróide, o restante da cavidade é lisa, vc vê que a vascularização… tem um detalhe… pq a pct sangra? Ela sangra porque tem a vascularização superficial muito aumentada. Aqui é muito interessante, aqui é um pólipo e o câncer estava aqui embaixo, a lesão do câncer é uma ____lesão. (PQP não dá p/ escutar msm! Me desculpem….) Tassia: e o pólipo? O pólipo é uma lesão precursora. Vcs lembram que eu falei q o pólipo é hiperplasia por calo endométrio? Então naquela região ele proliferou só que a base neoplásica. Tássia: Pode achar q é mioma olhando assim…? Pode. Goiano: Posso ter um carcinoma junto com o pólipo não pode? Pode. È mais comum vc ter diagnóstico de câncer quando a pct tem pólipo associado vc ter na base dele a lesão ____. Ou vc tem pólipo, vc sempre tem q investigar a base dele, q a base é a maior concentração. Costuma ser bem próximo mesmo, tem um q são mais distantes, mas costumam ser bem próximo da raiz dele. Vc pode até ter mioma, pólipo, câncer, hiperplasia no restante da cavidade. Tássia: Como q vc sabe se é mioma ou se é pólipo? Pela histeroscopia? Pela histeroscopia vc vê pela consistência. O mioma ele é duro, ele é firme, porque mioma é muscular, e o pólipo conforme vc vai tocando nele, ele é mais molinho, porque ele é formado pelo endométrio, então pelo contato com a pinça.

O estadiamento: Sempre é cirúrgico. Não esquecer desse detalhe. Sempre q cair em questão de PROVA, o estadiamento de câncer de endométrio é cirúrgico. Mas vc vai ter algumas etapas a cumprir:
1) Uma dela é a coleta de líquido peritonial p/ avaliação citológica. Então vc sabidamente vai operar a pct q tem câncer d endométrio, vc submeter a uma histerectomia. A primeira coisa quando vc abre essa pelve é fazer um lavado peritonial, vc vai jogar soro ali dentro, lavar essa pelve e colher esse material p/ citologia. Se não houver liquido livre já livre nessa cavidade, q vc possa aspirar, vc vai jogar 20 a 50mL de solução salina p/ poder colher esse material. Vai fazer exploração do abdômen e da pelve com biópsia e incisão de quaisquer lesões que extra-uterinas por estimativa(?) de metástase. Então se vc olhar e tiver um gânglio, tiver uma lesão já em peritônio já é obrigatorio a vc biopsiar sempre, mas primeiro faz a citologia. Histerectomia total e salpingoooforectomia bi-lateral. O útero deve ser aberto afim de avaliar o seu tamanho e a extensão tumoral miométrio e região cervical. Então tanto invasão de parede, como a invasão p/ canal. A biópsia ____ deve ser executada, então sempre pedir ao patologista da sala, e avaliação em grau histológico d tumor, com presença de invasão cervical e profundidade do miométrio. Então vc tem q avaliar a invasão até q grau, até q tamanho, e do endométrio até a q porção da parede.

Nunca esquecer da citologia, porque todo mundo esquece da citologia.
Os linfonodos pélvicos e para-aórticos devem ser removidos para análise histopatológica caso suspeito. Os retro-peritoniais, mesmo clinicamente negativos devem ser biopsiados nas seguintes circunstâncias: 1)Quando vc tem uma histologia tumoral agressiva; 2)Quando o tumor for seroso, escamoso, de células claras, ou adenocarcinoma endometrióide grau III; 3) Invasão superior a metade do miométrio, com inspeção istmo cervical do tumor e o tamanho do tumor maior que 2cm; 4) e a presença de doença extra-peritoneal.

Estadiamento (não cai em prova)

Não cai em prova, mas eu sempre trago estadiamento p/ vcs terem o conhecimento. Porque eu acho q aula de câncer sem estadiamento fica meio vazio. Então qual grau? Qual grau que faz ____, quimioterapia, radioterapia? O q é isso aqui vcs sabem? Ninguém reponde, a não ser quem trabalha com isso e com pólipos, ta? Mas é importante p/ vcs saberem. Então in-situs, ele ainda está na cavidade uterina, ele ta no endométrio; quando vc tem invasão menos da metade do endométrio, invadindo mais da metade; vai chegar até o colo, canal cervical, comprometimento de glândulas endocervicais, invasão de estroma cervical, propagação p/ fora do útero, vai invadir serosa, anexos, citologia tumoral positiva, metade do istmo vaginal, metade do istmo pélvico. Virou a fita…

Quando mais tardio for o diagnóstico pior o prognóstico dessa pct.

Quanto ao grau de diferenciação

O grau de determinado carcinoma expressa a sua diferenciação. Quanto mais avançado o grau menor a diferenciação dele. Segundo a Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia em 89, ela propôs além do estadiamento convencional de I, II, III, IV, ela promoveu também graus de diferenciação em GI, GII, GIII.

GI – O padrão de crescimento é sólido em 5% ou menos de tumor;
GII – 6 a 50% do tumor
GIII – é quando o fator de crescimento sólido é mais de 50% do tumor, mais de 50% do tumor endurecido.

Devemos lembrar que não só as áreas sólidas denotam o padrão endurecido, mas também as atipias nucleares, que apresentam diferenciação escamosa.

O Tratamento

O tratamento é uma coisa especifica. Vai depender de caso p/ caso e o estadiamento deve ser sempre relacionado ao grau de diferenciação. Mas o q eu quero q vcs lembrem, em todo e qualquer tipo de aula, é que quanto mais cedo vc diagnosticar esse tumor, melhor é o prognóstico dessa pct. Então quanto mais cedo vc suspeitar de câncer, anhhhh é a pior hipótese diagnóstica que eu tenho, mas é a primeira que eu tenho q pensar. Se eu for investicar essa pct todas as patologias benignas p/ depois pensar na maligna a gente perde tempo as vezes. Ainda mais quando a gente trabalha, q a gente mora num país subdesenvolvido, q a possibilidade de vc pedir exame p/ um pct mais pobre no serviço público é muito maior, então as vezes vc tem q falar p/ ela: ¨olha, vc tem q fazer o exame particular, é muito importante, vc precisa q ele feche seu diagnóstico¨. Então as vezes vc deixa de pedir uma US?

Deixa… Vc pula a ordem propedêutica. Mas vc perde menos ehhh… dando o diagnóstico mais precoce possível. Então vc pensa as vezes: ¨anhhh vc vai pedir US antes de pedir a histeroscopia?¨ Ta errado? Não está completamente errado, mas é o diagnótico q tem mais certeza. (Acho q ela deu uma enrolada nisso, tipow, eu acho q ela inverteu… deveria ser pedir histeroscopia antes de US…). Peço apenas desculpa por algumas falhas na fita terem dificultado ouvir bem toda a materia.

Em: Outros Temas | 1 comentário

One Comment

  1. tenho 38 anos, não tenho filhos, fui submetida 2 cirurgias ectópicas. 1º em 2006 2º em 2008, meu periodo menstrual é regular e normal, a 2 semanas por vontade propria pedi ao meu médico para fazer uma ecógrafia, meus espanto, o médico me diz que tenho o utero aumentado de tamanho e que suspeita de hiperplasia hindometrial. como é possivel? não tenho sintomas nenhum, nem sequer estou na menopausa? por favor deêm-me uma ajuda e explicação. e porque até eu estava a me preparar para fazer uma inseminação, ou fertilização in vitro! será que já não poderi realizar o grande desejo de ser mãe?

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *