Cirurgia Plástica

Publicidade

O que é a cirurgia plástica?

Se tem dúvidas acerca da cirurgia plástica chegou o momento de saber que a mesma se pode dividir entre a Cirurgia Plástica e Estética. A última, de forma vulgar, pode ser considerada como um ramo da primeira.

A Cirurgia Plástica Reconstrutiva é muito vasta e é responsável pelo tratamento das pessoas que sofreram queimaduras graves, os grandes acidentados, e aqueles cujas partes do corpo ficaram destruídas, englobando a Cirurgia da Mão e a especialidade maxilo-facial.

Em muitas partes do Mundo, a Cirurgia Estética é um ramo da Cirurgia Plástica, mas há já algumas correntes mundiais que caminham no sentido de esta vir a ser tratada quase como uma entidade com autonomia própria.

No que respeita á história da medicina, sabe-se que a cirurgia estética é relativamente recente e autónoma, ao contrário da cirurgia plástica, que é milenar. Cerca de 1500 anos antes de Cristo, já os indianos descreviam um retalho indiano utilizado para fazer a reconstrução facial daqueles cujo nariz era amputado devido a castigos.

Mais recentemente, a nível mundial, começou mesmo a haver uma certa confusão, porque se considerava que este tipo de cirurgia (a estética) era apenas realizado por cirurgiões plásticos. Distinguem-se então conceituados especialistas, como Ivo Pintanguy, um dos principais impulsionadores da cirurgia estética.

A partir desse momento surge um movimento marcante na história, que foi responsável por denegrir a imagem desta especialidade. A comercialização das cirurgias plásticas foi intensamente promovida, de tal forma que, só quem tivesse bons recursos económicos é que poderia pagar as operações. Durante muitos anos, a Cirurgia Estética acabou por tornar-se perfeitamente elitista. Muitas pessoas não tinham qualquer acesso a esta solução.

Actualmente, os serviços de Cirurgia Plástica em Portugal são poucos e estão sobrecarregados. Não existem meios humanos e materiais para estas cirurgias, que acabam, muitas vezes, por não ser consideradas como prioritárias ao nível do Serviço Nacional de Saúde. O sistema alternativo privado não é comparticipado, excepto em alguns casos pontuais, e teve de sofrer uma evolução gradual para conseguir proporcionar soluções às necessidades das pessoas.

Hoje, a comercialização de novos tratamentos diminuiu significativamente os valores das cirurgias que se realizam atualmente. Muitas clínicas têm sistemas de facilidade de pagamento, explicados previamente aos clientes.

Da mesma forma, já é possível recorrer a empréstimos bancários para arealização das suas cirurgias. É preciso ter-se a noção que este não é um luxo ao alcance de um pequeno grupo de pessoas. A Cirurgia plástica é um direito de qualquer cidadão que sinta essa necessidade.

Anos volvidos desde os primórdios desta especialidade, é curiosa a falta de informação e o perfeito desconhecimento por parte da generalidade dos portugueses. Comparativamente, o Brasil cultivou a história da Cirurgia Estética e a população apresenta, genericamente, conhecimentos válidos desde muito cedo.

E por isso que, nesse país, existem mais de 5.000 cirurgiões plásticos legalizados. Por outro lado, e como reverso da medalha, existem umas quantas centenas de cirurgiões que não são formados para o fazer.

As cirurgias estéticas são e deverão ser feitas apenas por médicos que se especializem nesta área cirúrgica e com experiência neste campo. Quer isto dizer que uma pessoa que procura uma cirurgia estética vai a uma consulta médica feita por um especialista.

Será uma consulta médica que segue os mesmos parâmetros de qualquer consulta onde é feito um diagnóstico, são usados nomes e termos médicos próprios e consignados em qualquer código de nomenclatura médica mundial.

É neste momento que se observa a importância e as repercussões benéficas do resultado de uma cirurgia plástica no que respeita à saúde geral, melhoria da circulação, da mobilização, da inserção social, familiar, afectiva e emocional, com os respectivos benefícios na melhoria da auto-estima, produtividade, relacionamento familiar e social.

Novos conceitos aparecem no sentido da prevenção em estética. Prevenir através de técnicas menos agressivas com resultados imediatos é importante, pois também representa uma função de prevenção, impedindo que o agravamento se dê tão depressa ou de forma tão pronunciada. Por outro lado, também não se desejam os estigmas de uma cirurgia plástica, tais como a aparência artificial, o reconhecimento notório de que se fez uma “plástica”, entre outros.

Por fim, importa referir que não existe uma idade certa para se recorrer à cirurgia estética. Há, ou haverá, isso sim, um ou mais momentos na vida, que serão mais indicados ou mais propícios para o efeito, momentos esses em que a intervenção será mais eficaz e necessária.

Publicidade

Conheça um pouco mais sobre cada uma das cirurgias plásticas existentes, qual o seu fim, uma estimativa de preços, dicas de clínicas onde fazer, resultados obtidos, testemunhos, algumas fotos antes e depois, bem como outras informações úteis:

Abdominoplastia

A abdominoplastia é um método cirúrgico que promove a retirada de gordura extra, resolve problemas de...

Outras cirurgias:

Cirurgia Facial

Cirurgia Corporal

Publicidade

52 Comentários no Fórum

  1. Gostaria de saber o valor da miniabdominoplastia gostaria muito de fazer e estou pesquisando

  2. Ah 2 meses fiz abdomoplastia e mamoplastia estou muito triste porque uma mama ficou muitos mais baixa que a outra e com um uma cicatrizes horrorosa uma como o corte em forma de circulo e a outra reta . Meu umbigo da para ver de longe que Não esta co centro . Nessessariamente preciso de ajuda por favor me diga se tem como reparar essa situacao . A mama acho que nao vai ser deficio mas umbigo so mesmo um proficional para me dar essas resposta . Ajude me por favor

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *