Coagulação Intravascular Disseminada

COAGULAÇÃO INTRAVASCULAR DISSEMINADA – SINTOMAS, CAUSAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
Evidências de sangramento ou coagulação anormais, geralmente em paciente criticamente enfermo.
Decorre da ativação e do consumo de fatores da coagulação e antinombóticos, devido a situações de estresse grave, como
sepse, queimaduras, hemorragia maciça.
Pode ocorrer de forma indoleíte crônica, geralmente associada a cancer.
Anemia trombocitopenia, tempo de protrombina elevado e, depois, aumento do tempo parcial de tromboplastina, baixos níveis de fibrinogênio, elevação dos produtos de degradação da fibrina e dímeros D da fibrina

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Hepatopatia grave
. Purpura trombocitopênica trombótica
. Sindrome hemolítico-urêmica
. Deficiênciade de vitamina K
. Outras anemias hemolíticas microangiopáticas (p. ex., valva cardiarca protetica)
. Trombocitopenia ou anemia induzida por sepse
. Trombocitopenia induzida por heparina

COAGULAÇÃO INTRAVASCULAR DISSEMINADA TRATAMENTO
Tratar disturbio subjacente.
Reposição dos fatores da coagulação consumidos com plasma fresco congelado, crioprecipitado e, potencialmente, antitrombina III.
Heparina em determinados casos, particularmente na leucemia pró-mielocítica aguda.
Terapia antifibrinolítica (ácido aminocapróico ou ácido tranexâmico) para o sangramento refratário, porém apenas na presença
de terapia com heparina.

Dica
Ter em mente que as plaquetas e o fibrinogênio podem ser normais na CID crônica.
Referência
Toh CH, Dennis M: Disseminated intravascular coagulation: old disease, new hope.

Em: Outros Temas | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *