Erros em Cirurgia Plástica

Erros em Cirurgia Plástica – Porque o azar está sempre á espreita

A cirurgia plástica esta na ordern do dia. Os últimos acontecimentos, nacionais e internacionais, catapultam esta especialidade médica para a ribalta. Solange Magnano, que foi Mis Argentina em 1994, morreu de embolia pulmonar três dias depois de se submeter a uma cirurgia plastica para aumentar os gluteos (gluteoplastia de aumento). A modelo argentina faleceu, aos 38 anos, em Buenos Aires, Esta morte inesperada reacendeu as preocupações sobre a vereadora de Chaco, no Norte da Argentina, que está em coma desde Julbo de 2008, depois de ter realizado uma lipoaspiração.

Por cá, tivemos a notícia sobre Manuel Machado, O treinador do Nacional da Madeira, aos 53 anos, esteve em coma induzido, na unidade
de Cuidados Intensivos do hospital do funchal, por ter sido, alegadamente, sujeito a uma lipoaspiração ao abdómen, que não correu como o esperado e que causou alguns problemas relacionados com uma infecção. O técnico de futebol esteve em estado grave mas felizmente recuperou.

Apesar de não existirem dados concretos, o que se sabe é que o número de cirurgias plásticas está a aumentar em Portugal, sendo a lipoaspiração a mais procurada pelos portugueses, seguida pelas intervenções para aumentar o peito (mamoplastia de aumento). Os homem  já representam 20 por cento dos casos, emboras as mulheres continuem a liderar a lista de procura dos cirurgiões plasticos.

Quando se fala em cirurgia, não se pode deixar de referir o grau de risco que acarreta. A maioría dos casos de complicações graves em Portugal surge em casos de intervenções feitas em locais sem condiçoes mínimas para o efeito ou realizadas por profissionais sem habilitações para tal. A especialidade de cirurgia plástica reune seis anos de formação, avaliações, um exame eliminatório muito exigente e o reconhecimento por parte dos pares. Mas, por lei, um médico com a formação completa está babilitado a executar actos médicos e cirurgicos.

Assim, a Ordem dos Médicos não pode mover um processo a um médico que faz uma cirurgia fora da sua área de especialidade, uma vez
que reconhece essa competência a todos os médicos. Deve, contudo, no caso de alguma coisa correr mal, apurar responsabilidades. Para minimizar riscos de problemas futuros, a Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica alerta: em caso de dúvidas, os pacientes devem verificar junto da Ordem dos Médicos se o médico a que querem recorrer está inscrito como especialista em cirurgia plástica.

Cirurgia plástica, sim! Mudar, melhorar o aspecto físico, aumentar a auto-estima; sim! Mas nunca menosprezando os riscos, nunca dando uma ajuda ao azar. Cirurgia sim, consciente, planeada, informada, segura e protegida…

Em: Cirurgias Plásticas e Estética | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *