Febre Tifóide (paratifóide – tifo)

A febre tifóide é uma infecção grave que é contraída através do consumo de alimentos ou água contaminada pela bactéria Salmonella typhi. A paratifóide, uma doença semelhante à febre tifóide, mas normalmente mais moderada, é causada por estirpes diferentes da Salmonella (Salmonella paratyphi). Agente causador: salmonella typhi (bacilo de Eberth).

Os virus da Salmonella que causam a febre tifóide e a paratifóide podem resistir à congelação e à secagem. Podem ser transmitidos pelas fezes e alimentos, sendo o foco de contaminação a mosca e outros insectos, ou através das mãos das pessoas que preparam os alimentos, se não forem cuidadosas na sua higiene pessoal. Os raros surtos de tifo na Europa têm sido causados por contaminação fecal de produtos de carne enlatada. O abastecimento de água contaminada é também uma fonte comum de contágio e, mesmo o gelo, pode ser veículo de transmissão da doença. O marisco pode ser contaminado pelos canos de esgotos contendo fezes infectadas. A febre tifóide e a paratifóide são raras no mundo desenvolvido devido aos elevados padrões de segurança alimentar, boas condições sanitárias e tratamento de esgotos existentes. Contudo, estas doenças continuam a ser comuns nas regiões do mundo subdesenvolvido e se pretender viajar para um desses países deverá recorrer à vacinação.

Foto “Salmonella typhi” invade célula humana.

715px SalmonellaNIAID Febre Tifóide (paratifóide   tifo)

Causas da febre tifóide:

A febre tifóide é causada pela ingestão de alimentos e bebidas contaminadas com a bactéria Salmonella Typhi. Calcula-se que são necessários cerca de 10 milhões de bactérias Salmonella para causar a infecção. Durante a doença as bactérias instalam-se na vesícula biliar. De aqui são libertadas no intestino e aparecem nas fezes. Quando as pessoas recuperam da doença, normalmente a bactéria de reserva na vesícula biliar desaparece. Num número restrito de casos (cerca de 3%) as bactérias continuam aí a multiplicar-se durante alguns anos ou durante o resto de vida da pessoa. Isto ocorre mesmo apesar da pessoa não evidenciar sintomas. A pessoa é tida como portadora de febre tifóide e pode continuar a ser uma fonte de infecção para outros.

Febre tifóide sintomas e sinais:

Os sintomas da febre tifóide normalmente aparecem entre uma e duas semanas após a infecção. Isto significa que a doença pode ser contraída no estrangeiro, mas somente aparecer após ter regressado a casa. Os sintomas comuns são:

  • Dor de cabeça (normalmente aparece primeiro);
  • Febre;
  • Tosse seca;
  • Perda de apetite;
  • Sensação generalizada de má disposição;
  • Desconforto na barriga (abdominal) e sensação de estar inchado;
  • Obstipação, normalmente seguida de diarreia;
  • Erupção de manchas vermelhas (conhecidas como rosetas) no peito, na parte superior do abdómen e nas costas.
  • Sem ser ministrado qualquer tratamento, a doença normalmente permanece cerca de quatro semanas. Na primeira semana, a temperatura sobe diariamente, e posteriormente desce. Na maioria dos casos, os sintomas aliviam após a terceira semana e a temperatura voltou ao normal ao fim de quatro semanas.
  • Geralmente, o desconforto na barriga (abdominal) não é grave. Dores fortes nesta zona podem resultar de complicações (ver a parte das complicações abaixo), tal como perfuração do intestino que irá requerer cuidados médicos urgentes.

Diagnóstico – Como se Diagnostica:

O diagnóstico é levado a cabo colhendo uma amostra de sangue ou das fezes da pessoa susceptível de ter contraído a doença para ser testada em laboratório. Os anticorpos da bactéria Salmonella typhi podem ser detectados no sangue cerca de uma semana após o aparecimento dos sintomas. Por conseguinte, eles desenvolvem-se com regularidade em quantidade significativa durante várias semanas em alguém com a doença activa.

Prevenção – Cuidados a ter:

A compreensão dos mecanismos de propagação da doença é de utilidade na prevenção. Na Europa epidemias de febre tifóide diminuíram fortemente depois da implementação de boas condições sanitárias e sistemas de tratamento de esgotos nos finais do século XIX e princípios do século XX. Padrões elevados de higiene alimentar e higiene pessoal, também ajudam a reduzir a possibilidade de propagação da doença. Se pretender viajar para os países em vias de desenvolvimento, deveria tomar as seguintes precauções, especialmente se viajar para zonas longínquas ou acampar:

Lave sempre as mãos após utilizar a casa de banho, sobretudo antes da preparação dos alimentos e antes de comer.
Se tiver quaisquer dúvidas sobre a água disponível para beber, lavar os alimentos ou lavar os dentes, ferva-a, esterilize-a com pastilhas para desinfecção ou utilize água engarrafada de preferência gaseificada em embalagem devidamente acondicionada e selada.
Evite usar gelo a menos que tenha a certeza de que foi feito a partir de água tratada e desinfectada com cloro. Inclui-se o gelo usado para conservar os alimentos frescos, assim como o gelo utilizado nas bebidas.
Normalmente é seguro beber chá quente ou café, vinho, cerveja, água gaseificada e bebidas sem álcool e sumos de frutas embalados ou engarrafados.
Coma alimentos cozinhados de fresco que tenham sido cozidos cuidadosamente e ainda se mantenham a ferver;
Evite alimentos que tenham sido conservados quentes;
Evite alimentos não cozidos, a menos que os possa descascar;
Evite alimentos susceptíveis de ter estado expostos ao contacto com moscas;
Evite gelados oriundos de fontes não seguras, tais como tendas ou comerciantes ambulantes
Evite ou ferva o leite não pasteurizado
O peixe e o marisco nalguns países podem ser duvidosos. O marisco fresco, tal como as ostras é um risco em particular.
Também pode recorrer à imunização/vacinação que oferece um índice de protecção contra uma pequena concentração do número de bactérias, apesar de poder ser derrotada por um grande número delas.

Riscos e Complicações da febre tifóide:

A maioria das pessoas em boa forma e saudáveis irão recuperar da febre tifóide, sendo os tratamentos actuais muito eficazes. Contudo, se não for tratada, pode causar algumas complicações que podem ser fatais, tais como:

  • Perfuração do intestino: pode levar à peritonite.
  • Hemorragias internas e úlceras graves.
  • Falha no fígado e paragem dos rins.

Tratamento da febre tifóide:

A febre tifóide normalmente trata-se com antibióticos, como o cloranfenicol. Se a doença se mostrar resistente ao medicamento, outros medicamentos, tais como a ampicilina também podem ser eficazes. Nos casos graves da doença também são ministradas doses de corticosteróides. Quando surgem complicações, tais como a perfuração do intestino ou hemorragia interna, uma cirurgia pode ser necessária, apesar de normalmente esta ser um último recurso. Com o diagnóstico atempado e tratamento adequado, normalmente é possível uma recuperação total.

Foto: Manchas rosa no peito de um paciente com febre tifóide devido à bactéria Salmonella Typhi.

800px Salmonella typhi typhoid fever PHIL 2215 lores Febre Tifóide (paratifóide   tifo)

12. Maio 2011 by admin
Em: Outros Temas | 8 comentários

8 Comentários no Fórum

  1. Meu sogro foi diagnosticado, com essa febre tifoide, demorou muito.. fez varios exames.

  2. me ajudou bastante agora eu vou tirar nota 10 na escola…….. ^___^

  3. Nossa vlw msm,ajudou mto!
    Miih ♥

  4. muito bom mi ajudou d++++++
    aeee

  5. Gostei d+.Me ajudo muito na minha pesquisa de ciências !! muito obrigada tirei total na pesquisa!Agora se eu precisa de ajuda pra fazer trabalhos de ciências já sei onde procurar…

    Bjs.

    Jessie. :D

  6. esse site é muito bom gostei por causa dele minha prova valendo 100 tirei 80,5

  7. Nossa isso mesmo e o que eu chamo de febre deve ser in-mortal kkk nao nao e…

    isso e incrivel…

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *