Hemorragia Digestiva Baixa

A hemorragia digestiva baixa é uma perda de sangue com origem no intestino ou na zona do ânus, e manifesta-se por saída de sangue vivo (ou sangue já digerido) pelo ânus, acompanhando ou não as fezes.

Causas da hemorragia digestiva baixa

Infecções agudas ou crónicas do intestino podem provocar hemorragias, tal como alguns medicamentos que interferem com a coagulação do sangue (aspirina, anti-inflamatórios). Algumas inflamações do intestino podem também originar perdas de sangue. Os tumores intestinais, benignos ou malignos, podem igualmente sangrar. Em pessoas idosas, são frequentes as hemorragias intestinais com origem em divertículos do cólon ou em pequenos vasos sanguíneos da parede intestinal. Outra origem frequente de hemorragia digestiva baixa são as hemorróidas, que habitualmente se manifestam por perdas frequentes de sangue vivo.

Sinais e sintomas da hemorragia digestiva baixa

Os sinais podem depender da localização da hemorragia no tubo digestivo, do tipo de lesão que sangra e do volume da hemorragia. As fezes podem ser castanho-avermelhadas (cor de mogno) ou podem apresentar sangue vivo em quantidade variável. Por vezes, as dejecções são constituídas só por sangue. Em algumas ocasiões, há perdas frequentes de sangue só no final da evacuação. Pode também aparecer apenas um vestígio de sangue no papel higiénico.

As perdas de sangue podem acompanhar-se de dores, febre, palidez, boca seca ou sensação de sede. • Poderá sentir-se fraco, com tonturas, confuso ou ter um ritmo cardíaco acelerado. A sua tensão arterial pode descer e a sua respiração ser mais rápida. Estes são sinais e sintomas graves que obrigam a recorrer a um Serviço de Urgência hospitalar.

Diagnóstico – Como se Diagnostica:

Qualquer pessoa com Hemorragia Digestiva Baixa deve ser avaliada por um médico. Esta avaliação inclui a medição da temperatura, da tensão arterial e da frequência do pulso (contagem dos batimentos cardíacos) . Colocar-lhe-ão uma braçadeira no braço para medir a tensão arterial. Essa braçadeira estará ligada a um aparelho que indicará a sua tensão arterial. Poderá ter que realizar alguns exames:

Análises ao sangue: Poderá necessitar de tirar sangue para análises, a partir de uma veia da mão ou do braço. O sangue será depois analisado para calcular aproximadamente a quantidade de sangue perdida e para orientar o tratamento.

Anuscopia: Este exame permite que os médicos observem o interior do ânus. O ânus é a abertura por onde as fezes saem. Este exame é precedido por um toque rectal realizado pelo médico. A anuscopia propriamente dita inclui a introdução de um curto tubo, bem lubrificado, no ânus, sendo este observado quando se retira lentamente o tubo.

Sigmoidoscopia: Este exame analisa a parte terminal do intestino, embora numa extensão mais curta do que a colonoscopia. Um sigmoidoscópio flexível é suavemente introduzido pelo ânus ao longo do intestino. É possível então observar o interior do cólon (intestino grosso) para descobrir a causa da hemorragia. Durante este exame poderão ser aplicados tratamentos no interior do intestino para parar a hemorragia.

Colonoscopia: Este exame permite observar directamente o revestimento interior do intestino numa extensão maior. Um tubo flexível, com iluminação adequada, comandado do exterior, é delicadamente introduzido pelo ânus. Isto permite observar o interior do cólon (intestino grosso) para descobrir a causa da hemorragia. Durante este exame poderão ser aplicados tratamentos no interior do intestino para parar a hemorragia. È frequente que sejam administrados sedativos antes de se iniciar este exame.

Clister opaco: É uma radiografia do intestino após se ter administrado contraste baritado através de um clister, para se analisar o seu interior. O contraste de bário é utilizado para ajudar a visualizar melhor o cólon nas radiografias que são obtidas com o doente em diferentes posições.

Cuidados a ter depois de ter alta:

Siga sempre as instruções do médico ao tomar os medicamentos. Contacte-o, se achar que os medicamentos não estão a ajudar ou se notar efeitos secundários. Não deixe de os tomar sem consultar previamente o médico. Se estiver a tomar antibióticos, tome-os até ao fim ainda que já se esteja a sentir melhor. Mantenha uma lista dos medicamentos que está a tomar, incluindo a indicação de quando os deve tomar. Leve a sua lista de medicamentos ou os frascos dos comprimidos sempre que for ao médico. Informe-se sobre a razão pela qual está a tomar cada um dos medicamentos. Peça ao seu médico mais informações sobre os seus medicamentos.
Se estiver a tomar medicamentos que o façam sentir-se sonolento, não conduza nem manuseie equipamento pesado.

Contacte o seu médico para marcar uma consulta de acompanhamento. Anote quaisquer questões que tenha sobre a hemorragia e sobre a forma como está a ser tratada. Lembrar-se-á, assim, de colocar todas estas questões durante a sua próxima consulta. Não beba bebidas alcoólicas. Elas podem provocar lesões no cérebro, no coração e no fígado. Quase todas as partes do corpo podem ser sofrer lesões causadas pelo álcool. Ingerir bebidas alcoólicas também pode agravar a sua doença.

Se fuma, pode ser uma boa altura para deixar de fumar. Fumar prejudica gravemente o coração, os pulmões e o sangue. É mais provável vir a sofrer de um ataque cardíaco, de uma doença pulmonar e de um cancro se fumar. Nunca é demasiado tarde para deixar de o fazer. Estará não só a ajudar-se a si próprio, como também aqueles que o rodeiam. Se tiver dificuldades em deixar de fumar, informe-se junto do seu médico sobre possíveis formas de o fazer.

Se sofrer de prisão de ventre, poderá ter dificuldades em evacuar. Evite fazer muita força quando evacuar. Caminhar é uma boa forma de melhorar o funcionamento do intestino. Coma alimentos com um elevado teor de fibras, tais como cereais, feijão, legumes e pão integral, a fim de facilitar a actividade intestinal. O sumo de ameixa pode ajudar a amolecer as fezes. Os médicos também lhe poderão dar um medicamento à base de fibras ou um laxante para ajudar a amolecer e a regularizar as fezes.

O exercício físico torna o coração mais forte, baixa a tensão arterial e mantém-no saudável. Planeie juntamente com o seu médico o programa de exercícios físicos mais adequado para o seu caso. Comece a praticar exercício físico quando o seu médico lho permitir. É preferível começar lentamente e ir aumentando o ritmo à medida que adquirir mais resistência.

Contacte o seu médico se:

Tiver quaisquer perguntas ou preocupações sobre a sua doença ou medicamentos.
Se tiver dores fortes no abdómen (barriga) apesar de já ter tomado a medicação.
Estiver com comichão, a pele inchada ou com manchas vermelhas. Os seus medicamentos poderão estar a provocar estes sintomas, o que poderá significar que é alérgico a eles.

Procure imediatamente ajuda se:

As fezes apresentarem grandes quantidades de sangue.
Tiver uma frequência cardíaca acelerada, uma respiração rápida ou se se sentir confuso ou com tonturas. Estes sinais podem indicar um estado de choque. Isto é uma emergência. Ligue para o 112 e solicite que o levem ao hospital ou clínica mais próxima. Não conduza você mesmo!

Riscos e Complicações da hemorragia digestiva baixa:

A hemorragia digestiva baixa é uma situação que pode ser grave, já que a perda de sangue pode ser difícil de controlar, causando uma anemia aguda e podendo obrigar a uma intervenção cirúrgica de urgência. As hemorragias mais frequentes têm origem em hemorróidas e não constituem perigo embora o problema tenha que ser tratado. Embora estas hemorragias não sejam graves, é importante que sejam adequadamente investigadas e tratadas pois uma situação aparentemente benigna (hemorróidas) pode mascarar um problema mais grave (tumor intestinal). Algumas complicações têm que ver com a doença que causou a hemorragia e com a sua evolução. Outras complicações da hemorragia estão relacionadas com doenças associadas que podem agravar-se pelo facto de se perder muito sangue em pouco tempo poderá assistir-se ao agravamento de doença cardíaca ou renal devido a uma hemorragia importante.

Tratamento da hemorragia digestiva baixa

A maior parte das hemorragias digestivas baixas pára por si. Os exames e os tratamentos que receber dependerão da localização da hemorragia, da sua causa e da quantidade de sangue que perdeu. Se perdeu um volume de sangue muito grande, ou se a sua tensão arterial baixou, deverá deslocar-se ao hospital para a realização de exames e tratamentos. Os médicos tentarão descobrir a causa da hemorragia. Para a parar, poderá necessitar de tomar medicamentos ou, mais raramente, de se submeter a uma cirurgia. Poderá também necessitar de uma transfusão de sangue.

Transfusão de sangue: Poderá necessitar de uma transfusão de sangue se o seu nível de glóbulos vermelhos no sangue for baixo, situação designada por anemia, e que corresponde à perda de uma quantidade importante de sangue.

Soros: Provavelmente irão ser administrados soros e medicamentos através de um tubo introduzido na veia, até a hemorragia estar controlada. Deste modo, pode-se controlar a tensão arterial e fornecer líquidos ao organismo na quantidade necessária.

Oxigénio: Poderá necessitar de oxigénio administrado através de máscara ou através de sondas nasais. Informe o seu médico se o oxigénio lhe estiver a secar o nariz ou se as sondas nasais o estiverem a incomodar.

Receba os novos artigos no seu email:

Em: Outros Temas | 1 comentário

One Comment

  1. Adorei o website interresante,gostaria k dessem as condutas perante paxiente cm hemorragia d. Baixa

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *