Insónia

A maioria dos adultos já experienciou insónia ou perturbações do sono em algum momento da sua vida. A insónia é um sintoma, não um diagnóstico por si só ou uma doença. Por definição, a insónia é a “dificuldade em iniciar ou manter o sono, ou ambos”, ou a percepção de sono de má qualidade.

A insónia pode estar relacionada com a qualidade inadequada ou a quantidade de sono. A insónia não é definida por um determinado número de horas de sono que se obtém, já que os indivíduos variam em suas práticas e necessidades de sono.

Embora a maioria das pessoas saiba o que é a insónia e quais os sintomas e a performance individual depois de uma ou duas noites sem dormir, poucos consideram consultar um médico. Muita gente continua a ignorar as opções comportamentais e médicos disponíveis para tratar a insónia.

Ler: Remédio caseiro para distúrbios do sono

A insónia afecta todas as faixas etárias. Entre os adultos, a insónia afecta mais mulheres do que os homens. A incidência tende a aumentar com a idade. É geralmente mais comum em pessoas em grupos de baixo nível socioeconómico (em termos de rendimento mensal), alcoólatras crónicos e pessoascom problemas de saúde mental.

Ler: Solução Natural para Insônia

Causas da Insónia

A insónia pode ser causada por uma série de razões diferentes. Essas causas podem ser divididas em três eixos:

• Factores situacionais ou circunstanciais;
• Condições médicas ou psiquiátricas;
• Problemas primários do sono.

A insónia também pode ser classificada pela duração dos sintomas, podendo estes ser:

• Transitórios;
• De curta duração;
• Crónicos.

A insónia transitória dura geralmente menos de sete dias, a insónia de curto tem frequentemente um prazo de duração de aproximadamente uma a três semanas, e a insónia crónica tem um prazo de duração superior a três semanas. Muitas das causas da insónia transitória e de curto prazo são semelhantes, e podem incluir:

• Jetlag;

• Mudanças no trabalho por turnos;

• Ruído excessivo e/ou desagradável;

• Temperatura ambiente desconfortável (muito quente ou muito frio);

• Situações stressantes na vida quotidiana (preparação para um exame académico, a perda de um ente querido, o desemprego, divórcio ou separação);

• Presença de uma doença médica aguda, que pode ou não requerer cirurgia ou hospitalização;

• Privação de drogas, álcool, sedativos ou medicamentos estimulantes;

• Insónia relacionadas com altitude elevada (montanhas).

Sintomas físicos de difícil controlo (dor, febre, problemas respiratórios, congestão nasal, tosse, diarreia, etc.) podem também levar o indivíduo a sofrer de insónias. O controlo destes sintomas e das suas causas subjacentes podem levar a uma redução ou abolição total da insónia. O stress desperta mais comummente a insónia aguda ou a de curto prazo. No entanto, se não foram tomadas providências médicas, a insónia poderá evoluir para uma condução crónica.

As causas de insónia crónica ou a longo prazo

A maioria das causas de insónia crónica ou a longo prazo são geralmente associadas a uma condição psiquiátrica subjacente ou a um estado fisiológico (médico) fora do normal.

Causas psicológicas da Insónia

Os problemas psicológicos mais comuns que podem levar à insónia são:

Ansiedade;

Depressão;

• O stress (mental, emocional, circunstancial, etc.);

Esquizofrenia, e / ou

• Mania (transtorno bipolar).

A insónia pode ser um indicador de depressão. Muitas pessoas têm insónias durante a fase aguda de uma doença mental. Como mencionado anteriormente, a depressão ea ansiedade estão fortemente associadas com a insónia. De entre todas as outras causas secundárias, tanto médicas como psicológicas, da ansiedade, a insónia e a depressão são as mais comuns.

Causas fisiológicas da Insónia

As causas fisiológicas da insónia derivam de distúrbios do ritmo circadiano (perturbação do relógio biológico), desequilíbrio de sono e vigília, a uma variedade de condições médicas. A seguir estão as condições médicas mais comuns que desencadeiam a insónia:

• Síndromes de dor crónica;

• Síndrome de fadiga crónica;

Insuficiência cardíaca congestiva;

• Angina nocturna (dor no peito) causada por doenças de coração;

• Doença de refluxo ácido (DRGE);

Doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC);

Asma nocturna (asma com sintomas respiratórios noite do tempo);

• Apneia obstrutiva do sono;

• As doenças degenerativas, como mal de Parkinson e doença de Alzheimer (Muitas vezes a insónia é o factor decisivo para a colocação do doente num lar de idosos);

• Os tumores cerebrais, acidentes vasculares cerebrais ou traumatismos cerebrais

Grupos de Alto Risco

Além de pessoas que sofram de uma ou mais das condições médicas listadas acima, alguns grupos podem estar em maior risco de desenvolver insónia:

• Viajantes;

• Os trabalhadores com mudança frequente de turnos;

• Idosos;

• Adolescentes e jovens adultos;

• Mulheres grávidas;

• As mulheres na menopausa;

• Pessoas que abusam de drogas ou estupefacientes;

• Alcoólicos

Medicamentos relacionados

Alguns medicamentos também têm sido associados com o desenvolvimento de insónia. Entre eles estão:

• Algumas combinações de medicamentos para o tratamento de constipações e asma;

• As variedades prescritas desses medicamentos podem também conter estimulantes e, assim, produzir efeitos similares sobre o sono;

• Alguns medicamentos utilizados para tratar a pressão alta também têm sido associados com distúrbios do sono;

• Alguns medicamentos utilizados para tratar a depressão, ansiedade e esquizofrenia.

Outras causas:

• Os estimulantes mais comuns e mais frequentemente associados com sono de má qualidade incluem a cafeína e a nicotina. Se o indivíduo sofrer de insónias deve considerar não apenas restringir o uso de cafeína e nicotina nas horas imediatamente antes de deitar, mas também limitar a ingestão diária total.

• O álcool é frequentemente usado como um auxílio à indução de sono. No entanto, é uma má escolha. O álcool está directamente associado a perturbações do sono e cria uma sensação de cansaço e noite mal dormida pela manhã.

• Um parceiro de cama perturbador, que sofra de um ressonar ruidoso ou de periódicos e bruscos movimentos corporais também pode prejudicar a sua capacidade de obter uma boa noite de sono.

Sintomas da Insónia

Os profissionais médicos associam frequentemente a insónia a uma variedade de sinais e sintomas. Muitas vezes, os sintomas cruzam-se com outros indícios de condições físicas ou mentais:

• Algumas pessoas com insónia podem queixar-se de dificuldade em adormecer ou de acordar frequentemente durante a noite. O problema pode começar com o stress. Assim, quando o indivíduo começa irracionalmente a associar a cama com a dificuldade ou incapacidade de dormir, o problema pode tornar-se crónico.

• Na maioria das vezes, os sintomas diurnos levarão as pessoas a procurar atendimento médico. Os problemas diurnos causados pela insónia podem incluir o seguinte:

Leia Também:  Apneia do Sono: Ocorre quando a garganta bloqueia a passagem do ar

◦ Dificuldade de concentração e foco;

◦ Dificuldade de memorização;

◦ Danificação da coordenação motora (serdescoordenado);

◦ Irritabilidade e dificuldade na interacção social;

◦ Acidentes com veículos de motor por causa do cansaço (privação de sono dos motoristas);

• Estes sintomas diurnos podem ser agravados pelas tentativas desinformadas de tratamento.

◦ Álcool e anti-histamínicos podem agravar os problemas de privação do sono.

◦ Ingestão de sedativos sem receita.

Muitas pessoas com insónia não se queixam de sonolência diurna e, de facto, podem ter dificuldade em adormecer durante sestas diurnas intencionais.

Distúrbios Primários do Sono

Além das causas e condições listadas acima, há também uma série de condições que estão associadas com a insónia, na ausência de outra doença subjacente. Estes são chamados transtornos primários do sono, em que o distúrbio do sono é a principal causa da insónia. Estas condições causam geralmente insónia crónica ou a longo prazo. Algumas das doenças são as listadas abaixo:

Insónia Idiopática (causa desconhecida) ou insónia na infância, que começa cedo na infância e resulta em problemas do sono ao longo da vida. Pode ser uma condição hereditária;

Apneia do sono central. Esta é uma doença complexa. Pode ser a causa primária da insónia em si ou pode ser causada por outras condições, tais como lesão cerebral, insuficiência cardíaca, altitude elevada e baixos níveis de oxigénio;

Síndrome das pernas inquietas (uma condição associada a sensações rasteira na perna durante o sono que são aliviados por movimento da perna);

Desordem de movimento periódica de um membro (uma condição associada com o movimento involuntário repetido das pernas durante o sono);

Distúrbios do ritmo circadiano (perturbação do relógio biológico), que são as condições incomuns de tempo de sono (por exemplo, ir dormir tarde e acordar tarde, ou ir dormir cedo e acordar muito cedo);

Estado equívoco de suspensão, em que o paciente tem uma percepção ou sensação de não dormir adequadamente, mas não há indícios objectivos de qualquer distúrbio do sono;

Síndrome do sono insuficiente, em que o sono da pessoa é insuficiente devido a situações ambientais e de estilo de vida, como dormir numa sala iluminada e barulhenta;

Higiene inadequada do sono, em que o indivíduo tem um sono, ou uma preparação de sono, de pouca qualidade.

Quando procurar assistência médica?

Quando ligar para o médico:

• Se a insónia perdurar durante mais de três a quatro semanas, ou se de alguma forma os seus sintomas interferirem com as suas actividades quotidianas ou a sua capacidade de funcionar durante o dia, o paciente deverá consultar o seu médico.

• A insónia é geralmente um sintoma de uma situação subjacente ou outro problema médico ou psicológico, que pode precisar de se rtratado em primeiro lugar ou ao mesmo tempo.

Quando ir ao hospital

• Geralmente, para a maioria dos tipos de insónia, o paciente não será hospitalizado. No entanto, podem resultar alguns acidentes de uma má coordenação e lapsos de atenção,visto o paciente sofrer de privação de sono.

• Dores cada vez mais fortes e dificuldades em respirar durante a noite podem também indicar que o paciente deverá procurar assistência médica de emergência.

Diagnóstico

O profissional de saúde vai iniciar uma avaliação da insónia analisando o historial médico completo. Como a maioria das avaliações médicas, uma avaliação completa do historial clínico e exames físicos são aspectos importantes da avaliação e tratamento da insónia.

O profissional de saúde procurará identificar qualquer doença médica ou psicológica que pode estar a contribuir para a insónia do paciente. Uma análise completa ao historial médico e um exame de triagem, incluindo exames para transtornos psiquiátricos e uso de drogas e álcool, é fundamental na avaliação de um paciente com problemas de sono. O exame físico pode concentrar-se particularmente no coração e exame dos pulmões, medição do tamanho do pescoço e visualizar as passagens de ar nasal e oral (para ver se a apneia do sono deve ser avaliada em detalhes).

• Um paciente com insónia pode ser questionado sobre a existência ou não de ganho de peso recente, e ressonar crónico. Isso pode dirigir uma investigação sobre a possibilidade de apneia obstrutiva do sono. Em tal caso, o médico pode solicitar um teste de noite do sono (polissonografia). Estudos do sono são frequentemente feitos nas instituições especializadas, intituladas de “laboratórios de sono”, por médicos formados em medicina do sono, muitas vezes trabalhando com especialistas pulmonares. Este teste não é, no entanto, parte da avaliação de rotina para a insónia inicial.

• O historial do sono pode ser útil na avaliação de um paciente com insónia. Neste historial devem constar elementos como o horário de dormir, quarto e hábitos de sono, tempo e qualidade do sono, sintomas diurnos e duração da insónia, elementos estes que podem fornecer pistas úteis para a avaliação de um paciente com insónia.

• Os medicamentos de rotina, uso de álcool, uso de drogas, situações de stresse social e ocupacional, hábitos de sono ou ressonar do parceiro de cama, e horário de trabalho são alguns dos outros temas que possam ser discutidos pelo seu médico ao avaliar a insónia.

• A escala de Epworth é um questionário válido, que pode ser usado para avaliar a sonolência diurna. Esta escala pode ser útil na avaliação da insónia.

• A actigrafia é uma outra técnica para avaliar os padrões de sono-vigília ao longo do tempo. Os actigraphs são pequenos dispositivos a ser usados no pulso (aproximadamente do tamanho de um relógio) que medem os movimentos. Contêm um microprocessador e memória on-board, e podem fornecer dados objectivos sobre a actividade do dia.

• Um diário do sono pode ser preenchido diariamente por um período de duas semanas. O paciente é convidado a registar quando se deita, dorme, acorda do sono, fica acordado na cama, e se levanta de manhã. Pode ainda registar a quantidade diária de exercícios, álcool e cafeína, e medicação. O diário irá incluir a avaliação pessoal do paciente, a sua prontidão em vários momentos do dia, em dois dias consecutivos no período de duas semanas.

Tratamento da Insónia

Em geral, a insónia transitória é solucionada quando a condição subjacente é removida ou corrigida. A maioria das pessoas procura atendimento médico quando a sua insónia se torna crónica. O foco principal do tratamento da insónia deve ser direccionado no sentido de encontrar a causa.

Depois de uma causa ser identificada, é importante gerir e controlar o problema subjacente, pois este só desta forma se pode eliminar a insónia de uma forma definitiva. Tratar os sintomas de insónia sem abordar a principal causa raramente é uma abordagem bem-sucedida.

Na maioria dos casos, a insónia crónica pode ser curada, se as suas causas médicas ou psiquiátricas foremavaliadas e tratadas adequadamente.

As terapias podem ser utilizadas de forma conjunta com terapias voltadas para a causa subjacente, seja esta física ou psiquiátrica. Estas são também as terapias recomendadas para algumas das doenças de insónia primária.

Leia Também:  Apneia do Sono: Ocorre quando a garganta bloqueia a passagem do ar

Geralmente, o tratamento da insónia implica, simultaneamente, aspectos não-farmacológicos (não médicos) e farmacológicos (médicos). Este método torna-se melhor para individualizar o tratamento para cada paciente, com base na causa.

Estudos têm demonstrado que a combinação de tratamentos médicos e não médicos normalmente é mais bem-sucedida no tratamento de insónia do que qualquer um deles sozinho.

Tratamento não-médico da Insónia e Terapia Comportamental

Os tratamentos não-farmacológicos ou terapias não-médicas são a higiene do sono, a terapia de relaxamento, o controlo do estímulo e restrição de sono. Estes tratamentos da insónia também são conhecidos como terapias cognitivo-comportamentais.

Higiene do Sono

A higiene do sono é um dos componentes da terapia comportamental para insónia. Várias medidas simples podem ser tomadas para melhorar a qualidade e a quantidade do sono de um paciente. Estes passos incluem:

• Dormir o quanto o paciente precisa para se sentir descansado; não dormir demais.

• Exercitar-se regularmente pelo menos 20 minutos diários, idealmente entre quatro a cinco horas antes da hora de dormir do paciente.

• Evite forçar-se a dormir ou a adormecer.

• Mantenha um horário regular de sono, bem como de despertar.

• Não beba bebidas com cafeína a partir do meio da tarde (chá, café, refrigerantes, etc.); deverá evitar também ceias nocturnas que incluam álcool (bebidas alcoólicas antes de ir para a cama).

• Não fume, principalmente à noite.

• Não ir para a cama com fome.

• Ajuste o ambiente da divisão onde irá dormir (luz, temperatura, ruído, etc.)

• Não deverá ir para a cama com problemas, mas sim tentar resolvê-los antes de ir para a cama.

Terapia de Relaxamento

A terapia de relaxamento envolve determinadas medidas, tais como meditação e relaxamento muscular, a diminuição das luzes e audição de música calma antes de ir para a cama.

Controlo de estímulos

A terapia de controlo deestímulos consiste em algumas etapas simples que podem ajudar os pacientes com insónia crónica.

• Vá para a cama quando sentir sono.

• Não ver televisão, ler, comer, ou preocupar-se quando estiver na cama.
Asua cama deve ser usada somente para o sono e actividade sexual.

• Se não adormecer 30 minutos depois de se deitar, levante-se e vá para outra sala e retome as suas técnicas de relaxamento.

• Configure o despertador para acordar a uma certa hora todas as manhãs, mesmo nos fins-de-semana. Não ajuda dormir demais.

• Evite fazer sestas longas durante o dia.

Restrição de sono

Restringir o seu tempo na cama só para dormir pode melhorar a sua qualidade de sono. Esta terapia é chamada de restrição do sono. Ela é alcançada restringindo o tempo na cama que o paciente gasta apenas a dormir. Uma hora de deitar rígida e hora de acordar pré-definida obriga o paciente a levantar-se, mesmo que se sinta sonolento. Isso pode ajudar o paciente dormir melhor na noite seguinte por causa da privação do sono da noite anterior. A restrição do sono tem sido útil em alguns casos.

Outras medidas simples que podem ser úteis para tratar a insónia incluem:

• Evite refeições grandes e líquidos excessivos antes de dormir

• Controlaro seu ambiente.

◦ Luz, ruído e temperatura indesejáveis podem perturbar o sono. Trabalhadores em turnos e trabalhadores nocturnos, devem adereçar especialmente estes factores. Diminuir as luzes do quarto, relaxar, limitar o ruído e evitar a tarefas stressantes antes de ir para cama pode ser benéfico.

◦ Evite fazer o trabalho no quarto que deve ser feito noutro lugar. Por exemplo, trabalhe fora do quarto e evite ver televisão, ler livros e comer na sua cama.

O ritmo circadiano de uma pessoa (relógio biológico) é particularmente sensível à luz. Os pais que precisam dormir durante o dia pode ter que fazer alterações ao regime das crianças para que lhes permita dormir.

Medicamentos para a Insónia e terapias médicas

Há vários medicamentos de prescrição para tratar a insónia. Geralmente, recomenda-se que não sejam utilizados como a única terapia e o tratamento é mais eficaz quando combinados com tratamentos não-médicos. Num estudo científico, observou-se que quando os sedativos foram combinados com terapia comportamental, os pacientes eram mais propensos a vencer a doença do que aqueles onde os sedativos foram usados isoladamente. Os comprimidos mais comummente usados para dormir são listados a seguir, incluindo medicamentos de balcão e indutores de sono naturais.

Adjuvantes ao sono com prescrição

• Sedativos benzodiazepínicos: Seis desses medicamentos sedativos foram usados para tratar a insónia. Há relatos de melhora subjectiva da qualidade e quantidade do sono ao usar estes medicamentos. Os exemplos incluem, temazepam (Restoril), flurazepam (Dalmane), triazolam (Halcion), estazolam (ProSom, Eurodin), lorazepam (Ativan) e clonazepam (Klonopin).

• Sedativos não benzodiazepínicos: Os exemplos incluem, eszopiclone (Lunesta), zaleplon (Sonata), e zolpidem (Ambien).

• O Ramelteon (Rozerem) é um medicamento de prescrição que estimula os receptores de melatonina. O Ramelteon promove o início do sono e ajuda a normalizar distúrbios do ritmo circadiano. Ramelteon é aprovado pela Food and Drug Administration EUA (FDA) para tratamento da insónia.

• Alguns antidepressivos (por exemplo, amitriptilina [Elavil, Endep] e trazodona [Desyrel]) têm sido utilizados para o tratamento da insónia em pacientes com depressão por causa de algumas propriedades sedativas. Geralmente, elas podem não ser úteis para a insónia em pessoas sem depressão.

Medicamentos disponíveis na farmácia

• Os anti-histamínicos com propriedades sedativas [por exemplo, a difenidramina (Benadryl) ou doxylamine] também têm sido utilizados no tratamento de insónia, pois podem causar sonolência, mas não melhoram o sono e não devem ser usados para tratar a insóniacrónica.

• Melatonina: A melatonina é separada pela glândula pineal, uma estrutura do tamanho de ervilha no centro do cérebro. A melatonina é produzida durante as horas escuras do ciclo dia-noite (ritmo circadiano). Os níveis de melatonina no organismo são baixos durante o dia. A glândula pineal responde à escuridão, aumentando os níveis de melatonina no organismo. Este processo é considerado fundamental para manter o ritmo circadiano. À noite, a melatonina é produzida para ajudar seu corpo a regular os seus ciclos de sono-vigília. A quantidade de melatonina produzida pelo seu corpo parece diminuir à medida que envelhecemos. Suplementos de melatonina podem ser benéficos em pacientes com problemas de ritmo circadiano.

Remédios Naturais para a insónia

Valeriana officinalis (Valeriana) é um medicamento de ervas muito popular usado nos Estados Unidos para tratar a insóniaque, eventualmente, pode beneficiar alguns pacientes com insóniacrónica.

• A camomila não demonstrou qualquer benefício real no tratamento dainsónia.

• Outras ervas auxiliares para sono natural, tais como, dogwood, kavakava, e L-triptofano, podem estar associadas a potenciaisefeitos adversos, quando utilizadas para a insónia.

Follow-up

Siga as recomendações do profissional de saúde para os problemas médicos e psicológicos do paciente. O paciente deverá dar o seu feedback médico após terem seguido um plano de tratamento. Muitas vezes o paciente vai ter mais de uma opção e mais que uma medicação disponível para ajudá-lo. Um paciente não deve perder a esperança, se o primeiro medicamento não lhe dá os resultados que espera ou se sentir efeitos secundários ou preocupações. Deverá, contudo, reportá-los imediatamente ao seu médico.

Leia Também:  Apneia do Sono: Ocorre quando a garganta bloqueia a passagem do ar

Prevenção

As seguintes sugestões têm como objectivo ajudar a prever e modificar situações que podem estar associados com insónia. Eles não são infalíveis, nem protegem o paciente das consequências da privação do sono, uma vez que esta tenha ocorrido.

Insónia de Jet Lag

• terapia comportamental e medicamentos a curto prazo têm sido utilizados.

• Se a pessoa que viaja pode antecipar uma viagem, deve começar a mudar as horas de dormir lentamente, para coincidir com o as horas do destino.

• tranquilizantes de curta duração (benzodiazepinas) mostraram-se úteis. A melatonina, uma hormona secretada pela glândula pineal, que regula os nossos ciclos de sono / vigília, também tem sido utilizado.

Insónia de mudança de turno

• A terapia comportamental tem-se mostrado muito útil para prevenir a insónia e sintomas de privação do sono em trabalhadores em turnos.

• Uma pessoa deve mudar seus horários para a frente no sentido horário, de dia para noite, e depois da noite para turno da noite, e dar tempo suficiente para adaptar-se (pelo menos uma semana) entre as mudanças de turno.

• A luz brilhante é um forte estímulo para o ritmo circadiano. A luz brilhante está a ser analisado como um sincronizador de ritmo.

• Os trabalhadores de turnos devem dar extrema importância a bons hábitos de sono com horário regular para dormir e despertar.

Sestas suplementares podem ser necessárias para assegurar a vigilância do tempo de trabalho.

◦ Discutir o uso de sestas com um médico.

◦ Algumas pessoas promovem o uso de sedativos de curta duração nos primeiros dias após uma mudança de turno, mas nem todos concordam.

Insónia de Stresses Agudos

• O stress pode ser positivo ou negativo, e as preocupações sobre o sono podem variar. Muitos stressantes desaparecem com apoio e confiança.

• Educação sobre a importância de bons hábitos de sono também é útil.

• Algumas pessoas podem necessitar de tratamento a curto prazo com medicamentos.

As recomendações gerais para prevenção de insónia incluem o seguinte:

• Trabalhar para melhorar seus hábitos de sono.

Saiba relaxar. A auto-hipnose, biofeedback e respiração de relaxamento são muitas vezes úteis.

Controle o seu ambiente. Evite a luz, ruídos e temperaturas excessivas. Use a cama só para dormir e evitar usá-lo para ler e assistir televisão. A actividade sexual é uma excepção.

Estabeleça uma rotina de sono.

• Evite grandes refeições, ingestão excessiva de líquidos e exercícios vigorosos antes de deitar e reduza o uso de estimulantes, incluindo cafeína e nicotina.

• Se você não consegue dormir dentro de 20 a 30 minutos, tente uma actividade relaxante, como ouvir música suave ou ler.

• Limite sestas durante o dia a menos de 15 minutos, a menos que orientado pelo seu médico. Porém há certas alterações do sono que beneficiarão de sestas. Deve discutir este assunto com seu médico.

Prognóstico da Insónia

A recuperaçãode um caso deinsóniapode variar:

• Se tiver insónia causada pelo jet lag, os sintomas desaparecem geralmente depois de alguns dias.

• Se está deprimido e teve insónia por muitos meses, é improvável que os sintomas desapareçam sozinhos. O paciente pode precisar de avaliação e tratamento médico.

• O resultado dependerá também do facto de coexistência de condições médicas, que podem incluir insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), e síndrome de dor crónica.

Insónia em Crianças e Bebés

Não é raro as crianças e os bebés sofrerem também de insónias. Razões pelas quais os bebés sofrem de insónia:

• Querem que seus pais reparem neles

• Podem sofrer de doenças digestivas ou cólica infantil, que é uma doença em que os bebés choram por mais de três horas por dia.

• As crianças estão muitas vezes com fome

• Os dentes estão a começar a crescer

• Podem estar doentes

Algumas dicas para ajudar as crianças e bebés a livrarem-se da insónia:

• Tente não confortar o bebé imediatamente quando este chora durante a noite. É melhor esperar até que o bebé pare de chorar. Atenção constante pode ser um estímulo para as crianças de ficarem acordadas à noite.

• Observe se a criança é incapaz de dormir por causa do barulho excessivo. Tente tocar músicas clássicas ou lenta para cobrir ambiente ruidoso.

• Não faça uma criança ir para a cama como uma sanção ou repreensão por algo. Isso pode causar insónia, porque ao invés degostarem de dormir, podem temê-lo.

• Os pais não devem acostumar um bebé a dormir nos seus braços. Quando o bebé já atinge seis meses de idade, tente fazê-lo dormir no seu berço por elemesmo.

• Ler histórias na cama ou cantar uma canção de adormecer é muitas vezes uma causa de insónia, porque sem essas rotinas as criançasserão incapazes de dormir.

• Não dar a uma criança um sono induzido por meiosmédicos a menos que o médico o aconselhe. Tanto quanto possível, não use produtos químicos ou medicamentos na cura da insónia.

• Lembre-se que os comprimidos para dormir podem ter efeitos secundários.

• Se a condição permanece depois de tentar medidas caseiras para curar a insónia, consulte um médico.

Para curar a insónia infantil, os pais devem estar preparados para deixar o seu filho chorar até aprender a dormir sozinho. Os pais também podem tentar diminuir lentamente a atenção que eles dão a cada noite para por o bebéa dormir até que este possa fazê-lo totalmente sem supervisão dos pais. As crianças, especialmente os bebés precisam dormir o suficiente para que cresçam saudáveis emocionalmente e fisicamente. Os pais devem ser muito sensíveis e atentos ao hábito de sono do seu filho. Eventualmente ambos os pais e a criança serão afectados pela insónia se o problema não for atendido. O quarto deve ser um lugar para dormir e deve ser pacífico.

Insónia na Gravidez

Muitas grávidas dizem que é difícil dormir porque não conseguem ficar confortáveis, têm necessidade de correr para a casa de banho constantemente, têm cãibras nas pernas, e estão ansiosas com a chegada do seu bebé. Com tantas mudanças físicas e emocionais a acontecer, não é nenhuma surpresa que 8 em cada 10 mulheres tenham insónia e outros problemas de sono durante a gravidez.

Como resolver o problema?

• Comece a desacelerar antes de dormir com algum tipo de ritual relaxante. Tome um banho morno, uma xícara de chá de camomila, oiça música calma, peça ao seu parceiro para massajar os seus pés – qualquer coisa que a ajude a relaxar.

• Quando estiver na cama, relaxamento muscular progressivo ou mentalização guiada pode ajudá-la a mergulhar no sono.

• Verifique se o seu quarto está a uma temperatura confortável para dormir. É suficientemente escuro e silencioso? Cortinas de cor escura podem ajudar a manter longe a luz indesejada, e máquinas de som podem ajudar a mascarar o zumbido do tráfego ou qualquer outro ruído.

Se o sono não vier rapidamente, tente não se preocupar. Tornar-se cada vez mais ansioso com o passar dos minutos apenas piora o problema. Se acha que tem um distúrbio grave do sono, consulte o seu médico. Entretanto, lembre-se que a insónia pode ser frustrante, mas durante a gravidez, também é perfeitamente normal que ocorra.

loading...

16. Junho 2010 by admin

One Comment

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. Sofrió de 100% de insanias ja algún tempo e ja fíz varias consultas estou desesperado.

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *