Iogurte

O iogurte ou leite azedo, como inicialmente era chamado, só apareceu em Portugal depois da II Guerra. Apesar disso, o seu uso está enraizado há muito tempo noutros pontos do globo e, com o passar do tempo, vão-se descobrindo outras vantagens que demonstram a obrigatoriedade da sua inclusão em qualquer dieta saudável.

O iogurte é um excelente fornecedor de proteínas completas de elevada qualidade. Rico em cálcio e outros minerais, tais como o fósforo, potássio e magnésio, este alimento, quase novo para os portugueses, contém também grandes quantidades de vitaminas, sobretudo do complexo B. Para além disso, as fermentações melhoram a digestibilidade de alguns glícidos.

Basicamente, o iogurte é um derivado do leite, obtido através de processos de fermentação láctica por acção das bactérias Streptococus Termophilus e Lactobacillus Bulgaricus. Estes microrganismos actuam ao nível do intestino, um dos órgãos que possui maiores quantidades de substâncias imunológicas.

Nuno Castel-Branco, médico endocrionologista, explica que «este controle é suscitado pelos bactérias referidas, que estimulam a capacidade de produção, pelo organismo, das ditas substâncias protectoras, tornando as pessoas menos vulneráveis e mais protegidas relativamente a doenças provocadas por vírus».

Finlandeses na Turquia: a prova dos nove

Um dos dados que levou a esta conclusão foi a observação do decréscimo de intoxicações alimentares a que estavam sujeitos os naturais da Finlândia quando iam para a Turquia. Normalmente vulneráveis a intoxicações alimentares quando chegavam àquele país, observou-se que, ao ingerirem iogurte como método preventivo, os problemas decresciam significativamente: «as anomalias diminuiam à razão de 20 para 80 ou 100 por cento, o que confirmou as suspeitas já existentes sobre as suas propriedades neste campo». O nosso interlocutor acrescenta ainda que «hoje em dia não existem dúvidas sobre estas propriedades, e as investigações visam, sobretudo, relacioná-las com as diferentes estirpes».

Outra das propriedades do iogurte que se encontram sob observação atenta por parte dos especialistas são as baixas de colesterol no fígado induzidas pela sua ingestão.

Resta dizer que noutros países, nomeadamente da Europa Central, o consumo de iogurte já é há muito corriqueiro. As suas características chamaram a atenção do investigador Metchnikov ainda no século passado. Professor da Universidade de Odene, na Ucrânia, Metchnikov trabalhou com Pasteur e substituiu-o na direcção do instituto com o mesmo nome, em Paris. A atenção do cientista ucraniano foi desperta pela longevidade for a do comum que observara nos consumidores do alimento, no seu país natal. A Índia é também outro lugar de tradição para o iogurte, confeccionado a partir do leite de búfalo.

Contudo, em Portugal só conta com cerca de 60 anos de existência, tendo sido trazido por emigrantes de França. Inicialmente, era um alimento raro pela sua exigência de frio, só passível de ser satisfeita em duas ou três boas pastelarias e farmácias onde o leite azedo (como foi chamado), era vendido.

Entretanto, o consumo foi-se vulgarizando, «apesar de ainda estarmos a anos-luz dos franceses que o consomem à media de três pacotes por dia, contra dois por semana da média portuguesa», conclui o médico.

A lactose e as proteínas

O iogurte é um alimento de eleição para a primeira refeição do dia. Deve começar-se o dia com um pequeno-almoço completo, com proteínas, glícidos e gorduras, bem como vitaminas, minerais e fibras. Na impossibilidade de se poder tomar uma refeição completa, deve ingerir-se, pelo menos, um alimento fornecedor de proteínas completas, por exemplo, sob a forma de leite, iogurte ou outro lacticínio. Caso contrário, o rendimento intelectual e físico será muito mais reduzido e muitas das funções internas do organismo estarão comprometidas.

No que diz respeito ao consumo ideal de iogurte, os especialistas sugerem que, na fase adulta, se consuma cerca de quatro iogurtes diariamente, o equivalente a meio litro de leite.

Para os indivíduos de idade superior a 65 anos, é recomendado aumentar a dose para cerca de cinco iogurtes diários – o equivalente a 0, 6 litro de leite; nos adolescentes e grávidas, o ideal seria o consumo de seis iogurtes diários para aleitantes e um litro de leite ou oito iogurtes diários.

Neste artido vamos esclarecer os seguintes pontos

Benefícios do iogurte para a saúde

São inúmeros os benefícios da saúde transmitidos pelo consumo regular de iogurte. Trata-se de um alimento que se revela um excelente regularizador da flora intestinal, reforçando o sistema, pois, ao beneficiar o funcionamento intestinal, previne as diarreias exercendo efeitos antitóxicos e contribuindo para a defesa de microrganismos patogénicos. Tem a virtude de corrigir perturbações gastrointestinais, tais como a diarreia, gastroenterite e obstipação.

O cálcio é um dos minerais que abunda no iogurte e apresenta-se sob a forma mais favorável para ser absorvido pelo organismo, quando comparado com o leite e outros produtos. Fundamental para o crescimento e optimização do património ósseo, o seu consumo é recomendado como factor preventivo em casos de osteoporose e redução do risco de cancros, como sejam o cancro do cólon e do recto. É também importante na prevenção da hipertensão arterial, e alguns tipos de cálculos renais, entre outras doenças.

O iogurte é ainda uma óptima alternativa para quem tem dificuldade de digestão da lactose. Durante a fermentação, as bactérias do iogurte desdobram grande parte da lactose em ácido láctico, glicose e galactose, açúcar este essencial para o sistema nervoso. Após a ingestão de iogurte, a quantidade de lactose livre presente no intestino é relativamente pequena, a ponto de já não desencadear reacções adversas, de intolerância, caso que não se verifica com o leite de vaca.

A Lenda de Abraão

A lenda refere que Abraão comia imenso iogurte e que este foi o responsável pela sua grande longevidade. Os iogurtes mais tradicionais ou dos novos géneros fermentados com bacilos bífidos, LC1 não são mais do que o resultado de uma acidificação do leite controlada pelo homem. É uma alimento de valor nutricional semelhante ao do leite, de muito simples digestão, contribuindo inclusivamente para o equilíbrio da flora intestinal e a promoção de condições favoráveis ao crescimento de microrganismos positivos. Está associado com bons níveis de saúde em particular, do tubo digestivo. O seu teor de gordura é variável, andando o ideal à volta de 1,5 por cento, e são ricos em cálcio, alguma lactose e proteínas de elevado valor biológico.

O Iogurte na Europa

Na Europa, os iogurtes consomem-se geralmente com açúcar, mel, compota, fruta fresca ou seca, à sobremesa e ao pequeno-almoço. Servem igualmente para preparar receitas frias ou geladas, assim como bebidas refrescantes. A culinária descobriu igualmente as suas qualidades como base de molhos frios e como substituto das natas.

Em: Beneficios Para a Saúde, Saúde | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *