Mastectomia

A Mastectomia é uma operação onde o peito inteiro, normalmente incluindo o mamilo e a auréola, é removido. De uma forma geral, a mastectomia é realizada no âmbito do tratamento do Cancro da Mama. Em grande parte dos casos, as mulheres com cancro da mama podem decidir se querem ser tratadas com lumpectomia ou com mastectomia. A lumpectomia consiste na remoção do tecido do peito canceroso, bem como a borda de tecido saudável que se situa à volta. A lumpectomia tem a particularidade de conservar o seio, sendo seguida por terapia por radiação (grandes doses de raios X ou outros raios de alta energia para matar células do cancro). Uma mulher poderá decidir fazer uma mastectomia em vez de uma lumpectomia pelas seguintes razões:

• Se o tumor for grande e, depois da lumpectomia, sobrasse pouco tecido do peito;
• Se não quiser passar por terapia de radiação depois da cirurgia;
• Se acreditar que terá menos ansiedade em relação à recorrência do cancro com uma mastectomia;
• Se a mulher tiver tumores em mais do que um quadrante da mama, a maioria dos médicos recomenda uma mastectomia.

Historicamente, uma mastectomia para o cancro da mama incluía uma dissecação de um nódulo linfático da axila (remoção da maior parte dos nódulos linfáticos da área). Desde a década passada, a abordagem alterou-se um pouco na medida em que as mulheres podem submeter-se a uma biopsia sentinela dos nódulos linfáticos (remoção dos primeiros poucos nódulos linfáticos que drenando o tecido da mama) em vez de uma dissecação dos nódulos linfáticos das axilas. A nomenclatura é tal que uma mastectomia radical modificada e uma mastectomia radical incluem a dissecação de um nódulo linfático como parte do processo. Com a adopção da biopsia sentinela dos nódulos linfáticos em tratamentos de primeiros estágios do cancro da mama, a nomenclatura da mastectomia também se foi alterando.

Tipos de Mastectomia

Dependendo das características do tumor, do peito e do paciente, o cirurgia poderá escolher um dos seguintes tipos de mastectomia:

Mastectomia Simples ou Total

O cirurgião remove o tecido do peito inteiro mas não retira o tecido muscular que está por de baixo do peito. Este tipo de mastectomia pode ser combinado com uma biopsia sentinela dos nódulos linfáticos em qualquer caso de primeiros estádios de cancro invasivo e em alguns casos de carcinoma ductalin-situ, quando a mastectomia é escolhida como opção de tratamento. Qualquer um destes pode também ser combinado com uma dissecação dos nódulos linfáticos da axila (o que, por convenção, tornaria a mastectomia simples numa mastectomia radical modificada). Existem ainda vários sub-tipos de mastectomia simples dependendo da quantidade de pele que é retirada.

Mastectomia Tradicional

O cirurgião remove uma elipse de pele que inclui a pele do mamilo/complexo aureolar. Este é o tipo de mastectomia mais comummente praticado. Se a mulher não quer a reconstrução imediata ou esta não é oferecida, oresultadofinal é um peito plana com uma cicatriz de cerca de 20 centímetros de comprimento, geralmente orientada transversalmente.

Preservação de pele: Além do tecido mamário como foi referido, a pele removida é apenas a do mamilo e aréola, geralmente através de uma incisão circular ao redor da aréola. Se o seio é grande, o cirurgião pode ter de fazer uma incisão de “fechadura” (que inclui uma incisão recta numa determinada direcção, geralmente para baixo) para permitir a remoção do tecido mamário.

Preservação do mamilo: O cirurgião faz uma incisão à volta do mamilo, mas deixa a aréola intacta. Novamente, com o objectivo de remover todo o tecido da mama, a incisão deverá ser maior do que o que se obtém com a remoção do mamilo, o que muitas vezes significa uma incisão em forma de S.

Total preservação de pele: O cirurgião remove o tecido mamário, mas deixa toda a pele (incluindo a pele do mamilo e aréola) para trás. A incisão pode ter lugar na parte exterior do seio, no sulco inframamário, ou à volta da aréola.

As mastectomias preservadoras de pele são ideais para pacientes que foram submetidos a mastectomia profilática. A preservadora de pele, preservadora de mamilo e preservadora total de pele são geralmente feitas em conjunto com reconstrução mamária imediata. O benefício destes procedimentos é que mais cobertura de pele da mama é preservada para tornar mais fácil a recriaçãodo peito. Não foi realizado nenhum estudo aleatório para avaliar se existe um risco aumentado de recorrência local (na pele da mama ou no músculo) com as técnicas de preservação de pele. A maioria dos cirurgiões estima que a preservação da pele aumenta mais o risco de recorrência local do tumor em 1% ou 2% num período de 20 anos (3%/5% para os tradicionais e 5%/7%, para os que preservam a pele).

Mastectomia radical modificada

Combina uma mastectomia simples ou total, incluindo a pele do mamilo e aréola, e inclui a remoção da maior parte dos nódulos linfáticos da axila (nódulos axilares), utilizando uma incisão de 15 a 20 centímetros. Uma mulher que se submete a uma mastectomia radical modificada pode ter reconstrução mamária imediata ou tardia.

Mastectomia radical

O cirurgião remove o tecido do peito inteiro, todos os nódulos linfáticos da axila, e os músculos da parede torácica (músculos peitorais) que se encontram sob a mama afectada pelo tumor. A mastectomia radical era bastante comum no passado. No entanto, apenas raramente é executada nos dias de hoje.

Indicações da mastectomia

Apesar do aumento das possibilidades de oferecer técnicas de conservação da mama para pacientes com cancro da mama, existem certos grupos que podem ser melhor servidos por procedimentos tradicionais de mastectomia, incluindo:

  1. Mulheres que já tiveram a terapia de radiação para a mama afectada;
  2. As mulheres com duas ou mais áreas de cancro na mesma mama que estão muito longe de ser removidas através de uma incisão cirúrgica, mantendo a aparência da mama satisfatória;
  3. As mulheres cujas lumpectomias iniciais com (uma ou mais) re-excisões ainda não eliminaram completamente a cancro;
  4. As mulheres com certas doenças graves do tecido conjuntivo, como esclerodermia, que as tornam particularmente sensíveis aos efeitos secundários da radioterapia;
  5. As mulheres grávidas que exigiriam radiação enquanto ainda grávidas (risco de danos para o feto);
  6. As mulheres com um tumor com mais de 5 cm, que não encolhe muito com a quimioterapia neoadjuvante;
  7. As mulheres com um cancro que é grande em relação ao seu tamanho do peito
  8. As mulheres que testaram positivo para uma mutação deletéria no gene BRCA1 ou BRCA2 e optaram pela remoção profilática das mamas
  9. Pacientes com cancro de mama masculino

Riscos e complicações da mastectomia

A maioria das mulheres recupera sem quaisquer complicações, todavia, como em qualquer cirurgia, existem riscos associados. Todas as cirurgias envolvem um certo risco de infecção, hemorragia, riscos associados à aplicação de anestesia geral (problemas de coração ou pulmões, por exemplo), e reacção a medicamentos. Riscos ligados especificamente à mastectomia incluem entorpecimento da pele do peito e necrose (morte de tecido) da mesma pele. O entorpecimento não requer nenhum tratamento, mas a necrose pode requerer regresso à sala de operações para uma revisão da cicatriz. Por fim, riscos ligados à mastectomia onde os nódulos linfáticos das axilas são removidos incluem inchaço do braço (designado linfedema) e possível lesão dos nervos na zona da axila.

Preparação para a mastectomia (pré operatório)

Poucos dias antes da cirurgia, um profissional de saúde avalia a saúde geral da mulher para garantir que ela está apta para a cirurgia. Vários testes, tais como hemograma de rotina, urina e eletrocardiograma, podemvir a ser realizados alguns dias antes da cirurgia. Antes da cirurgia, o anestesiologista examina a mulher e revê os resultados dos exames.Se a mulher estiver a tomar algum medicamento ou for alérgica a algum outro, o cirurgião eo anestesista devem ser devidamente informados. O cirurgião eo anestesista devem ser ainda informados se a mulher está a tomar alguns suplementos de ervas, uma vez que alguns, como o ginkgo, podem aumentar o risco do paciente de hemorragia e, portanto, deve ser interrompido antes da cirurgia. Se a cirurgia está programada para de manhã cedo, a mulher é obrigada a não comer ou beber qualquer coisa após a meia-noite na noite antes da cirurgia.

Tomar banho com um sabonete antibacteriano na noite antes da cirurgia pode ser necessário. A mulher deve seguir lealmente as instruções dadas pelo profissional de saúde. A paciente terá ainda que assinar um termo de consentimento, afirmando que compreende os riscos envolvidos na cirurgia edeve sentir-se à vontade para tirar dúvidas com o cirurgião ou o anestesista antes da assinatura do termo de consentimento e em qualquer altura do tratamento.

Resultados

Se o cancro da mama for detectado num estádio precoce, o tratamento resulta em 10 ou mais anos de sobrevivência para mais de 90% dos casos tratados. A sobrevivência a longo termo é semelhante quer a mulher escolha mastectomia ou lumpectomia. A diferença entre os dois tratamentos respeita ao risco de recorrência local (na mama ou na parede do peito). O risco de recorrência nos 20 anos seguintes após uma mastectomia é de 3-5% comparado com os 15-20% da lumpectomia e radiação. O auto exame da mama e uma mamografia anual ajudam na detecção dos primeiros estágios do cancro da mama. Além da mastectomia, tratamentos como terapia hormonal, terapia por radiação e quimioterapia (se necessário) aumentam as hipóteses de sobrevivência livre de recorrência.

Cirurgia (Durante o procedimento)

Uma linha intravenosa (IV) administra os medicamentos que podem ser necessários durante a cirurgia. A função do coração é controlada por uma máquina de ECG. A “pulseira” para medir e controlar a pressão arterial durante a cirurgia é colocada no braço da mulher. O local da operação devidamente é lavado e esterilizado. Panosesterilizados são colocados sobre a mulher para que esta se proteja contra infecções. Apenas o local da operação é mantido descoberto. A anestesia geral é finalmente administrada e pode ainda ser administrada uma dose de antibióticos para evitar infecções. O cirurgião faz uma incisão em função do procedimento previsto e remove posteriormente o tecido mamário subjacente. Este tecido mamário é removido e enviado para um laboratório de patologia para análise. Um patologista examina o tecido ao microscópio para determinar se ele é benigno (não-canceroso) ou malignos (canceroso). A pele é fechada com pontos.

Alguns tubos de drenagem são normalmente inseridos no local da cirurgia para drenar o sangue e fluidos que podem continuar a vazar dos tecidos depois mesmo de a pele estar fechada. Um curativo (compressa normalmente) pode ser colocado sobre o local da operação para minimizar a exsudação após a cirurgia. A duração da operação depende do tipo de mastectomia que será realizada. A maioria das mastectomias leva de uma a duas horas, não incluindo o tempo necessário para osprocedimentos dos nódulos de linfáticos (biopsia sentinela dos nódulos linfáticos ou dissecação axilar) ou procedimentos de reconstrução.

Depois do Procedimento (pós operatório)

Após a cirurgia, a mulher é levada a uma sala de recuperação, onde seus sinais vitais (pressão arterial, pulso e respiração) são monitorizados. Uma vez estável, ela é movida para fora da sala de recuperação. Dependendo da gravidade da dor, podem ser dados analgésicos por via oral ou por injecção intravenosa à mulher. O medicamento não elimina a dor, mas reduz consideravelmente a dor. Uma mulher que se submete a uma mastectomia, permanece geralmente no hospital entre um a sete dias, dependendo do tipo de mastectomia e do tipo de reconstrução(se houver). Algumas mulheres são capazes de ir para casa na noite de sua mastectomia.

Quando procurar assistência médica

  1. A paciente deve contactar um profissional de saúde se alguma das seguintes situações ocorrerem após uma mastectomia:
    febre;
  2. sinais de uma infecção (como vermelhidãoexcessivano localda incisão);
  3. aumento de drenagem do fluido;
  4. pontos a sair.

Ler também:

- Reconstrução Mamária – Fotos, preços, depoimentos e resultados da Reconstrução após uma Mastectomia.

 
Em: Outros Temas | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *