Melancia (Citrullus lanatus): Variedades da Planta, Origem e Produção

A melancia, de nome científico Citrullus lanatus, é um fruto grande e de forma mais ou menos esférica, que se consume cru como sobremesa. Tem a polpa de cor avermelhada ou amarelada e o seu sabor é doce. É um alimento muito refrescante que fornece algumas vitaminas e minerais e muito poucas calorias ao organismo.

Neste artigo vamos falar um pouco sobre as variedades da Planta, Origem, Produção, suas categorias, benefícios e propriedades.

benefícios de comer melancia

Esta pode alcançar os 25 cm de diâmetro e os 15 kg de peso. Tem uma forma ovada ou esférica, com uma casca lisa e de cor verde escuro, que por vezes apresenta bandas irregulares mais claras. A polpa é doce, sumarenta, refrescante e de cor amarelada ou avermelhada. Contém muitas sementes negras, castanhas ou brancas. Algumas variedades cultivadas nos últimos anos modificaram estas características clássicas das melancias, dando frutos sem sementes, variedades com a polpa amarela ou melancias de menor tamanho.

A melancia consome-se geralmente em cru, em rodelas, aos quartos ou mesmo em bolas. Também se utiliza na elaboração de sorvetes, purés, marmeladas e em doces. Na Rússia prepara-se um vinho muito popular a partir de sumo de melancia. A casca por vezes é envolvida em açúcar e nos meios rurais serve como alimento do gado. Em algumas regiões as sementes consomem-se tostadas e salgadas.

É um alimento muito rico em água que contém pouca gordura e proteína, pelo que fornece muito poucas calorias. É uma fonte importante de potássio e de vitamina A. É um fruto refrescante e com propriedades diuréticas. Em muitos países americanos é usada com fins medicinais.

Benefícios e Propriedades da melancia para a Saúde

A melancia tem propriedades hidratantes e diuréticas uma vez que contém cerca de 90% de água. Fornece apenas 26 kcal/100 g, as quais procedem dos açúcares próprios do fruto. A cor rosada da polpa da melancia deve-se à presença do carotenóide licopeno. Este componente é um carotenóide, não provitamina A, com uma boa actividade antioxidante. O licopeno representa 30% do total de carotenóides no plasma humano.

A principal fonte de licopeno é o tomate. A melancia e a toranja rosa são os outros frutos que fornecem este carotenóide à dieta humana. Estudos populacionais mostram uma relação entre o consumo frequente de tomates e produtos derivados do tomate e uma diminuição do risco de contrair câncer, particularmente câncer de próstata. Nestes estudos refere-se que o licopeno pode ser o factor determinante que explique este efeito benéfico da melancia. A melancia também é rica em vitamina C.

Na medicina natural a melancia tem diversas aplicações curativas, em que se utiliza a polpa, a casca ou as sementes. É benéfica contra as insolações, a hipertensão ou a faringite, entre outras doenças. É muito utilizada em diversos países americanos pelas suas propriedades curativas.

Para combater estes problemas pode-se consumir a polpa da melancia, as suas sementes ou mesmo a casca. As sementes contêm substâncias que fazem baixar a tensão e aliviam os sintomas da cistite aguda, enquanto que a polpa contém citrulina e arginina, dois compostos com propriedades diuréticas.

O que Procura?
Tipos e Variedades de Melancia (Citrullus lanatus)

A melancia utiliza-se com fins medicinais em muitos países do Centro e Sul da América. No México utiliza-se uma cocção de folhas para combater a malária. Em Porto Rico a polpa madura é utilizada como diurético e como tónico para aliviar a bronquite e as doenças pulmonares, enquanto que na Venezuela a casca é usada para tratar as doenças hepáticas. Conheça todas as propriedades medicinais e benefícios aqui.

Tipos e Variedades de Melancia

Actualmente existe um amplo catálogo de variedades de melancia, conheça algumas variedades aqui.

Planta da melancia

planta da melancia

A melancia é uma planta rasteira e trepadora, de caules alongados, com folhas divididas em lóbulos. O seu fruto é uma baga que pode alcançar os 15kg de peso, apresenta uma casca dura de cor verde e uma polpa doce de cor mais ou menos avermelhada. Actualmente as melancias podem-se enxertar sobre outras espécies da mesma família resistentes a determinadas doenças do solo.

A melancia é uma planta anual que pertence à família das Cucurbitáceas. O seu nome científico é Citrullus vulgaris Schrad ou Citrullus lanatus (Thunb.). Tem os caules herbáceos, rasteiros e trepadores, podendo alcançar até os 5m de comprimento, são cilíndricos, com sulcos longitudinais e estão cobertos de pêlos.

planta da melancia com sulcos cobertos de pêlos

A página superior das folhas é muito suave ao tacto, enquanto que a página inferior é muito áspera e com nervos muito pronunciados. As folhas aparecem divididas em segmentos arredondados, tendo cada um entre 3 e 5 lóbulos.

As flores nascem nas axilas das folhas, são solitárias e de cor amarela. Existem flores masculinas e femininas e estas são polinizadas por insectos.

As flores femininas dão lugar às melancias, que são bagas grandes, de forma mais ou menos esférica e de tamanho variável, podendo pesar entre 2 e 15kg. A polpa é rosada ou avermelhada e contém muitas sementes achatadas de cor variável (castanho, negro, branco, etc.). A casca do fruto pode ser lisa ou com bandas mais claras e a sua cor varia entre o verde escuro e o verde claro.

Devido ao ataque de diversas doenças do solo, especialmente do fungo Fusarium oxysporum, actualmente as melancias cultivadas são enxertadas sobre outra planta que tenha as raízes resistentes a este parasita.

Para as enxertias usam-se espécies próximas da melancia como a Cucurbita ficifolia (também conhecida como chila-caiota, gila-caiota, abóbora-chila e gila ou chila), Abóbora-d’água (Benincasa hispida) ou a Abóbora-cheirosa (Cucurbita moschata), todas elas pertencentes à família das Cucurbitáceas.

Origem e Produção

A melancia começou a ser cultivada em África, estendendo-se depois pela Europa, Próximo Oriente e Índia. Posteriormente chegou à China e à América. Actualmente é mais cultivada na Ásia, embora a África, Europa e América do Norte também tenham grandes produções. A China é o principal país produtor.

Existem duas hipóteses sobre a origem da melancia. A primeira delas refere que deriva de populações selvagens de África, enquanto que outros investigadores indicam que é originária de uma espécie de Cucurbitácea que cresce silvestre no vale do Nilo.

O que Procura?
Chia: Para que Serve, Benefícios, ContraIndicações e Informação Nutricional

Muito provavelmente começou a ser cultivada em África, de onde se dispersou pelo Mediterrâneo, Próximo Oriente e Índia. Até ao século XVI existem poucos registos desta espécie, mas a partir dessa época começa a ser bastante popular. A melancia chegou à América com a conquista do Novo Mundo.

Actualmente a Ásia é o principal continente produtor de melancias, com mais de 80% da produção mundial. A África, Europa e América do Norte têm produções semelhantes, à volta de 3-4 milhões de toneladas anuais.

Os 5 países que produzem mais melancia em todo o mundo

Top 5 países que produzem mais melancia

Fonte: faostat.fao.org

Por países, o principal produtor é a China, com a grande maioria da produção total. Seguem-na a Turquia, Irão, Brazil e o Egipto.

Exportação

Em relação às exportações, o México, a Espanha, a Grécia, os Estados Unidos e a Hungria são os principais países.

Importação

Os principais países importadores de melancia do mundo são os Estados Unidos, seguido da Alemanha, do Canadá e da Polónia.

Disponíbilidade no mercado

A melancia é um fruto de Verão. Devido á sua difícil conservação, pode-se consumir apenas durante esta estação, embora exista um comércio crescente de contra-estação de melancia.

Categorias e Qualidade

As características mínimas das melancias, indicadas nas normas de qualidade europeias, exigem que estas estejam sãs, limpas, quase sem danos por pragas ou doenças, firmes e não esmagadas.O calibre determina-se pelo peso de cada unidade e em cada embalagem deve indicar-se claramente a origem, variedade, categoria e calibre.

As normas de qualidade sobre a melancia encontram-se no Regulamento (CE) n.º 1093/97 da Comissão de 16 de Junho de 1997. Neste regulamente refere-se que as melancias devem-se apresentar inteiras, sãs, limpas, praticamente isentas de parasitas ou de danos causados por eles, firmes e suficientemente maduras, não esmagadas, sem humidade exterior anormal e sem cheiros ou sabores estranhos.

O desenvolvimento dos frutos deve ser tal que permita o seu transporte e manipulação e a chegada ao local de destino em condições satisfatórias.

As melancias classificam-se em duas categorias segundo a sua qualidade:

Categoria I

Estas melancias devem estar bem formadas, isentas de fendas e contusões, à excepção de pequenas fendas superficiais. Aceita-se um pequeno defeito de coloração para a zona da melancia que tenha estado em contacto com o solo. O pedúnculo não deverá medir mais de 5cm.

Categoria II

Estas melancias poderão apresentar ligeiros defeitos de forma ou de coloração da casca e leves contusões ou defeitos superficiais devidos a impactos ou danos causados por parasitas ou doenças.

O calibre determina-se pelo peso de cada peça, sendo o mínimo de 1,5kg. No caso de estarem embaladas, a peça mais leve e a mais pesada não podem diferir mais de 2kg, ou 3,5kg se a mais pequena pesa mais de 6kg.

São admitidas tolerâncias de qualidade e calibre para cada volume ou lote. Em qualquer um dos caso admite-se que 10% das melancias não correspondam às características próprias da categoria ou do calibre indicado.

O conteúdo de cada embalagem deve ser homogéneo, deve conter melancias da mesma origem, variedade e qualidade. Os materiais usados devem ser novos, limpos e sem substâncias que possam alterar o produto. As melancias podem-se apresentar em embalagens ou a granel.

O que Procura?
10 Incríveis Benefícios da Raiz de Dente-de-leão

Cada volume deverá estar correctamente etiquetado, indicar claramente o nome do embalador e/ou expedidor, o país de origem, a categoria, o calibre e o peso líquido ou o número de unidades.

Gestão atmosférica pós-colheita

A melancia é um produto que se conserva mal, pelo que não se pode armazenar durante mais de 2-3 semanas em condições normais. As condições óptimas são 2-10ºC e uma humidade de 80-95%. A temperaturas inferiores o frio pode provocar estragos.

A técnica de pré-arrefecimento não é muito usada para a melancia e, se for realizada, não se deve baixar dos 7ºC para evitar danos nos frutos.

A melancia é um fruto sensível ao frio que pode sofrer estragos a temperaturas inferiores a 4,5-10ºC. Não obstante, se antes do armazenamento no frio são submetidas a temperaturas mais altas, as melancias resistem melhor às baixas temperaturas.

Por exemplo, provou-se que se os frutos se mantêm durante 4 dias a 26ºC, podem ser posteriormente armazenados a 0ºC durante 12 dias sem que ocorram danos. Se não se fizer este pré-tratamento, apenas aguentam 4 dias.

As melancias não se podem conservar durante mais de 2-3 semanas. Em condições óptimas e com frutos manipulados muito cuidadosamente pode-se alcançar os 2-3 meses, embora o sabor perca qualidade. Uma temperatura entre 2 e 10ºC e uma humidade relativa de 80-95% são as condições óptimas de conservação.

Se as melancias vão ser comercializadas num prazo inferior a duas semanas podem-se conservar entre 13-16ºC. No caso de períodos de conservação longos podem-se colocar os frutos em bolsas de plástico perfurado ou cobri-los com papel encerado.

Pós colheita

As melancias transportam-se a 10ºC e com humidade relativa alta. Não se devem transportar e distribuir com produtos que libertem etileno, já que este acelera o envelhecimento.

As melancias são sensíveis ao etileno, pelo que não se devem transportar ou armazenar com produtos que o produzem. Se se o fizer, os frutos perdem a cor vermelha da polpa, que amolece e exala maus cheiros.

O transporte deve durar no máximo entre 14 e 21 dias. A temperatura óptima é de 10ºC e a humidade deve encontrar-se entre os 85% e os 90%.

Doenças e problemas pós-colheita

As melancias podem ser afectadas por vários problemas durante o armazenamento, como por exemplo o aparecimento de doenças produzidas por fungos e bactérias e os danos provocados pelo frio ou por um excesso de etileno na câmara.

Danos por frio: produzem-se com temperaturas inferiores a 4ºC e manifestam-se pelo aparecimento de manchas pardas na casca e de maus sabores. As temperaturas baixas também induzem a perda de cor vermelha da polpa.

Danos por etileno: as melancias são sensíveis ao etileno; se são armazenadas em presença deste gás sofrem diversas alterações como perda de firmeza e de grossura da casca, o que reduz muito a sua qualidade.

Doenças: as melancias podem sofrer ataques de diversos fungos ou bactérias durante a sua conservação. O principal ponto de entrada destes microorganismos é a zona do pedúnculo, pelo que é importante conservar uma pequena porção de caule para evitar que através da ferida penetrem os patogéneos.

Conheça os Benefícios da melancia.

loading...

04. Janeiro 2011 by admin

4 Comentários no Fórum

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. quais os paises que mais consomem a melancia?

  2. Eu querias adquirir sementes de uma melancia nativa que já existiu aqui em Sergipe, ela é de uma coloração verde e polpa bem avermelhada e a mesma está em extinção causada pela monopólio e exótica crinson sweet. Quem puder fazer isso, meu nome é Milton Cardoso Rua Carlito Melo,84 conjunto Valadares Carmópolis-Sergipe cep 49740-000 correio (e-mail) miltoncardoso_lindo[@]hotmail.com

  3. Melancia é incrivel ^^!
    Eu fiz um video sobre os benefícios da melancia! Com informações científicas!
    http://www.youtube.com/watch?v=-dWUwtiWgjI

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *