Nutrientes

Ao contrário do que muitas vezes se pensa, no que diz respeito a nutrientes como as vitaminas e os sais minerais, mais quantidade não significa necessariamente melhor saúde, de acordo com as novas recomendações alimentares apresentadas pelas autoridades médicas norte-americanas. Um grupo de cientistas deste país reavaliou as recomendações alimentares em vigor de forma a reflectir nos conhecimentos actuais em relação a nutrimentos específicos.

Depois de analisada a investigação, que sustenta o papel dos nutrientes antioxidantes em manter o corpo saudável, os cientistas concluíram que uma dieta equilibrada pode fornecer, à maioria das pessoas, suficientes quantidades destes nutrientes. Os cientistas advertem também para o perigo que representam grandes doses dos mesmos: por exemplo, 2000 mg de vitamina C, 1000 mg de vitamina E, 400 microgramas de selénio podem ser prejudiciais para a saúde.

Estas novas conclusões podem deixar confusas muitas pessoas que tomam regularmente suplementos para combater doenças crónicas (como cancro, Alzheimer, doenças de coração). No entanto, enquanto muitos estudos comprovam que uma dieta à base de frutos ricos em antioxidantes, vegetais e cereais pode reduzir o risco de doença, há menos provas científicas que garantam que os suplementos alimentares consigam atingir os mesmos níveis de protecção da saúde.

As novas recomendações estabelecem níveis que vão de encontro às necessidades da maioria das pessoas, assim como um limite “máximo de tolerância” que informa os consumidores das quantidades de cada nutriente, que podem consumir em segurança sem prejudicar a sua saúde.

Os nutrientes são divididos em duas partes. Os macronutrientes que são os hidratos e carbono (carboidratos), as proteínas e as gorduras) e os micronutrientes, (vitaminas, minerais, água e as fibras). É nos macronutrientes que estão os valores calóricos dos alimentos que consumimos.

Do ponto de vista da botânica e da ecologia, os nutrientes básicos são o oxigénio, o dióxido de carbono e os sais minerais, necessários para a vida das plantas e dos outros seres vivos autotróficos.

Ex: A Vitamina E e C, o betacaroteno – a forma vegetal da vitamina A – e o selénio – um mineral presente nos crustáceos, mariscos e abacates são então micronutrientes.

Em: Saúde | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *