Pneumonia

A pneumonia é uma infecção aguda do pulmão causada por um microrganismo. Os microrganismos causadores de pneumonia são múltiplos e variam bastante com a idade da criança. Geralmente é difícil determinar com precisão o agente causador duma pneumonia, particularmente quando causada por uma bactéria. No recém-nascido, as pneumonias são geralmente devidas a microrganismos adquiridos da mãe ao nascer (Streptococo do grupo B, Escherichia coli, etc.). Depois deste período, os vírus são os agentes mais frequentes, principalmente o vírus sincicial respiratório, mas também vírus parainfluenza, influenza e adenovírus. Chlamydia trachomatis é um microrganismo adquirido da mãe ao nascer, que pode ocasionar pneumonia até aos 4 meses. Pneumococo é a bactéria mais frequentemente implicada na origem de pneumonia em todas as idades. Na idade escolar, as pneumonias virais são comuns sobretudo devidas ao vírus influenza, surgindo com importância crescente as infecções causadas por Mycoplasma pneumoniae e Chlamydia pneumoniae.

Quais são os sintomas de Pneumonia?
Os sintomas são variáveis não só com a idade da criança, mas também com o microrganismo causador.A maioria das pneumonias virais tem início gradual em 2-4 dias. Frequentemente algum familiar tem sintomas respiratórios. A criança fica constipada com obstrução nasal, progressivamente com tosse e febre (geralmente abaixo de 39º). Nos mais jovens é comum terem a respiração rápida (taquipneia) e por vezes dificuldade respiratória e pieira. Nas pneumonias bacterianas, é mais frequente que o início seja abrupto com febre alta (acima dos 39º). A tosse pode não existir no início, mas surge progressivamente; primeiro seca tornando-se produtiva com expectoração amarelada ou esverdeada. Muitas vezes a criança tem vómitos, pode ter diarreia e dor abdominal. Nalguns casos tem aspecto francamente doente.

Como se diagnostica a pneumonia?
Uma criança com febre, tosse e respiração rápida, particularmente se tem sinais de dificuldade respiratória ou aspecto doente, deve ser observada pelo médico assistente. Esta observação e em particular a auscultação poderão diagnosticar pneumonia. Sempre que haja necessidade, o diagnóstico poderá ser confirmado com uma radiografia do tórax. Por vezes, dependendo do estado clínico da criança, pode ser útil fazer análises para avaliar a possível causa da pneumonia e a repercussão sobre o estado geral.

Como se desenvolve a Pneumonia?
Em circunstâncias normais, as nossas vias aéreas superiores são habitadas por numerosas bactérias que aí vivem sem provocar doença. Pelo contrário, o aparelho respiratório inferior – ou seja, a traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos – é estéril; isto é, está livre de microrganismos graças ao sistema de defesas do aparelho respiratório. Quando estas defesas são ultrapassadas, os microrganismos podem alcançar o pulmão originando pneumonias. Geralmente os microrganismos atingem o pulmão por via inalatória. Mais raramente poderão chegar ao pulmão por outras vias, nomeadamente pela circulação sanguínea.

Tratamento da Pneumonia
Grande parte das vezes as pneumonias poderão tratar-se sem o internamento da criança. Nalguns casos, é necessário internar para fazer tratamento por via endovenosa, pelo menos até estabilização. Isto sucede nas crianças mais jovens, nas que vomitam, têm grande falta de ar ou aspecto gravemente doente. Também as que têm doenças pulmonares, cardíacas, neuromusculares, imunodeficiências, entre outras, deverão tratar-se em internamento.

Nas pneumonias virais, o tratamento é sintomático: paracetamol (para controlo da febre), desobstrução nasal, ingestão de líquidos e aerossóis com soro fisiológico (úteis para manter as secreções fluidas). Normalmente, a febre desaparece até ao quarto dia, a dificuldade respiratória melhora progressivamente e a tosse raramente persiste para além de uma ou duas semanas.

Nas pneumonias bacterianas, para além das medidas sintomáticas descritas, é necessário tratamento antibiótico. Este varia com a idade, estado clínico e causa presumível da pneumonia. Com tratamento adequado, é esperável que a febre desapareça em 48-72 horas, melhorando os sintomas restantes progressivamente.

Possiveis Complicações da Pneumonia
As pneumonias virais geralmente têm boa evolução e poucas complicações. Por vezes, após pneumonia causada por vírus sincicial respiratório, a criança pode ter sintomas respiratórios mais frequentes, sobretudo tosse e pieira durante 2 ou 3 anos. Algumas pneumonias raras causadas por adenovírus podem ser graves, com evolução arrastada e deixando sequelas (bronquiolite obliterante). As pneumonias bacterianas com tratamento adequado geralmente não se complicam. Nalguns casos pode surgir derrame pleural (líquido na pleura), empiema pleural (infecção com pus na pleura) ou abcesso pulmonar (cavidade com pus no seio do pulmão). Estas complicações exigem cuidados médicos mais intensos e muitas vezes tratamentos prolongados. Apesar disso, actualmente a maioria dos casos recupera lentamente sendo pouco frequentes sequelas importantes.

17. Junho 2010 by admin
Em: Outros Temas | 3 comentários

3 Comentários no Fórum

  1. Estou muito triste moro em VARZEA GRANDE MT, e meu corpo esta cada vez mais pior, nesse lugar nimguem conhece a doença sofro muito preconceito as pessoa não acredita na doença quando falo eu escuto coisas horriveis todos querem saber o que é mais ninguem conhece, fico muito triste com isso não da para esconder mais

  2. gostaria que me tirassem duvidas:a pessoa que ta fazendo o tratamento,se é casada quando ela pode ter relação com seu parceiro.

  3. gostei deu pra tirar algumas duvidas, vou procurar no AIDPI agora.

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *