Queda de Cabelo nos Tratamentos de Combate ao Cancro

Relação entre a queda de cabelo e as formas de tratamento do cancro. Quimioterapia, radioterapia, terapia hormonal e terapia biológica.

Os tratamentos de combate ao cancro contemplam, geralmente, terapias de carácter mais agressivo, que podem afectar a saúde do paciente nos mais diversos níveis, combatendo assim o cancro mas potenciando o desenvolvimento de uma enorme diversidade de outras complicações de saúde.

Entre essas complicações, destaca-se a questão do enfraquecimento dos folículos capilares, o que geralmente representa uma das principais preocupações partilhadas entre pacientes que são obrigados a submeter-se a estes dolorosos métodos de combate ao cancro.

Ao contrário daquilo que se possa pensar, nem todos os medicamentos envolvidos na quimioterapia provocam a queda de cabelo. No entanto, sendo que alguns deles visam como objectivo inibir o desenvolvimento das células cancerígenas, é perfeitamente normal que, para além das células nocivas, também as sadias sejam, por vezes, afectadas, originando assim efeitos colaterais por vezes extremamente desagradáveis, como é o caso da queda de cabelo, que costuma ser um dos mais comuns de todos eles. Esta queda poderá ser total ou parcial, o que irá variar imenso consoante os casos.

Em determinados casos, o fenómeno é praticamente imperceptível, dando apenas origem a uma queda de cabelo muito moderada. Já noutros, a queda poderá ser extremamente acentuada, resultando na perda total de cabelo. Geralmente, o grau, tempo de aparecimento e impacto da queda dependerá imenso dos medicamentos prescritos, dosagem tomada e qualidade da resposta do paciente ao tratamento.

Felizmente, este efeito colateral é reversível, na medida em que, geralmente, os cabelos voltarão a crescer logo após a finalização do tratamento, e em muitos casos, até a mesmo algum tempo antes. Há casos em que o cabelo poderá não voltar a crescer, mas regra geral, costumam ser extremamente raros.

Caso o tratamento de combate ao cancro seja efectuado através de radioterapia, também é possível verificar-se alguma perda de vitalidade nos folículos capilares. No entanto, a queda acentuada só acontecerá caso o couro cabeludo se encontre parcial ou totalmente no campo de tratamento. Nestas situações, a velocidade de recrescimento dependerá sempre da dose de irradiação recebida, o que geralmente resultará num tempo de espera pelo crescimento que poderá variar entre os 6 e os 12 meses.

O que Procura?
Causas da pele seca ou ressecada

Para além da quimioterapia e radioterapia existem também outros tratamentos muito populares no combate ao cancro, como é o caso das terapias hormonais e terapias biológicas. Não provocando tanto a queda de cabelo quanto a quimioterapia e a radioterapia, estes tratamentos podem, por sua vez, tornar os cabelos mais ralos, secos e frágeis.

Consequências psicológicas

A queda de cabelo é um fenómeno que poderá exercer um impacto tremendo na auto-estima e confiança pessoal do tratamento. Podendo contribuir para afectar negativamente a aparência visual do paciente, e sendo visto como algo extremamente inestético, a queda de cabelo, em muitos casos, colocará em causa a estabilidade psicológica do individuo sujeito ao tratamento, o que resultará num embate extremamente nocivo na sua individualidade e personalidade, o que poderá acabar por alterar a percepção que a pessoa possui de si mesma.

Apesar dos impactos psicológicos negativos fazerem-se sentir na maior parte dos pacientes de cancro, independentemente do seu sexo ou idade, não há dúvida de que são as Mulheres quem mais sofrem com este efeito colateral dos tratamentos de combate ao cancro. A perda total de auto-estima poderá dar origem a depressões profundas que, muitas vezes, criarão a necessidade de um bom acompanhamento psicológico por parte de um especialista.

É possível prevenir a queda dos cabelos durante a quimioterapia?

Levando em conta as modificações psicossociais que estes tipos de tratamento poderão exercer no paciente, existem já diversas técnicas desenvolvidas com o intuito de amenizar a intensidade da queda de cabelo em pacientes de cancro. Infelizmente, ainda nenhuma destas técnicas se conseguiu revelar como 100% eficaz no combate a este problema.

Coifa térmica “capacete de gelo”

Apesar de muitas das técnicas utilizadas nos dias de hoje não serem totalmente eficazes, existem já medicamentos que conseguem, de forma já bem comprovada, diminuir drasticamente o ritmo da queda de cabelo. No entanto, no tratamento da queda originada pela quimioterapia e radioterapia, um dos mais simples e populares utilizados nos dias de hoje é a utilização de uma coifa térmica, também conhecida como “capacete de gelo, capacete refrigerador ou touca térmica“. Esta coifa tem como objectivo diminuir o fluxo de sangue nos folículos durante o paroxismo da concentração do medicamento quimioterápico, limitando assim a sua absorção a nível celular.

O que Procura?
Conheça os melhores cremes anti-idade

A eficácia do método dependerá imenso do tempo de utilização da coifa em cada sessão. Caso seja superior a 90 minutos, as probabilidades de sucesso poderão até revelar-se superiores a 76%. A única razão que faz com que a utilização deste método seja ainda reduzida nos dias de hoje são os efeitos colaterais, que poderão variar entre cefaleia, sensação de frio, desconforto e mal-estar.

Após iniciado o tratamento, que medidas poderão ser adoptadas para prevenir o enfraquecimento do cabelo?

Existem determinados cuidados que, quando devidamente adoptados, poderão contribuir imenso para combater, não só o enfraquecimento, como também a queda total e parcial de cabelo durante o tratamento.

– Corte os cabeços antes de iniciar o tratamento. Isto diminuirá a tracção sobre o couro cabeludo, diminuindo assim as probabilidades de queda de cabelo.

– Use champôs pouco agressivos e de boa qualidade.

– Penteie sempre os cabelos com a maior delicadeza possível.

– Evite prender os cabelos, pois a tensão do elástico poderá danificá-los.

– Siga uma dieta o mais equilibrada possível.

– Evite tratamentos agressivos para o cabelo.

– Se o couro cabeludo for seco, utilize um bom hidratante.

– As fronhas sintéticas podem irritar o couro cabeludo. Para evitar isso, utilize sempre fronhas naturais, como é o caso das feitas de algodão ou linho.

Quais as melhores opções para disfarçar a calvice?

A maior parte dos pacientes durante o tratamento poderá sentir-se extremamente desconfortável relativamente à sua aparência. Para contornar esse desconforto, existem determinados recursos que são comummente utilizados, como é o caso de chapéus, lenços e perucas. Nenhuma destas soluções substitui a ausência de cabelo, mas não deixam de ser uma boa ajuda a curto prazo.

Ler Também:

Implante Capilar
Remédio Caseiro para a Queda de Cabelo
Tratamento para Calvície
Finasterida
minoxidil
Alopecia Areata

loading...

30. Setembro 2012 by admin

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *