Secura Vaginal

A secura vaginal surge em consequência da perda de hormonas sexuais femininas, este problema afecta todas as mulheres, semanas ou anos depois da menopausa. A vagina perde flexibilidade e elasticidade. Menos irrigada pela circulação sanguínea, as secreções diminuem.

O resultado é uma lubrificação insuficiente e mais demorada que torna a penetração difícil e dolorosa. Ás dores durante a relação sexual damos o nome dispareunia. Felizmente a secura vaginal, ainda que inevitável, pode ter tratamento fácil.

Por vezes, antes da menopausa, este problema é causado por lavagens agressivas que destroem a flora vaginal ou pela colocação de tampões, mesmo quando não ocorre o período menstrual. Alergias a produtos de higiene íntima, micoses e outras infecções genitais podem, igualmente, conduzir à secura vaginal.

Tratamento da secura vaginal

O Que fazer? Um tratamento à base de hormonas estrogénicas, por via interna ou local (cremes ou óvulos) permite corrigir a carência hormonal. Mesmo quando o problema é antigo, dá excelentes resultados. Por outro lado, lubrificantes (vendidos nas farmácias) e um parceiro cuidadoso, que não tem pressa, podem também, e com eficácia, ajudar durante as relações sexuais. Não confundir esta perturbação com a “falsa secura” que pode acontecer em qualquer idade e que se explica pela fadiga, excesso de trabalho ou consequência de partos.

Quando o problema sexual esconde um problema conjugal

As mulheres que se dão mal com os companheiros acomodam-se facilmente aos seus fracassos e transformam a vida sexual num sacrifício. Por isso, nem sequer gostam que o companheiro recupere, por meio de tratamentos médicos, o vigor de outrora.

Por outro lado, o parceiro de uma mulher que não sente prazer tende a sentir-se culpado. Acaba por pensar que é um mau amante ou que o seu sexo é demasiado pequeno e que é ele a razão do problema. Uma preocupação que, a longo prazo, pode fazer aparecer, também nele, problemas sexuais.

Neste caso, cabe à sua companheira mostrar-se compreensiva e tranquilizá-lo sobre o seu desempenho. A comunicação no casal constitui a base da sexualidade. Jamais deve ser negligenciada.

Ler também:

-

20. Outubro 2010 by admin

10 Comentários no Fórum

  1. Gostaria de saber quantos dias seguidos tem que usar vagidrat?

  2. Estou usando vagidrat e estou me sentindo muito bem, o único desconforto é que na hora da penetração sai alguns cremes branquinhos, primeiro dia até assustei e ao mesmo tempo fiquei constrangida pq parece fungos, sei lá….mas tirando isso o vagidrat é muito bom.

  3. oi gente tenho 27 anos tenho secura vaginal será que eu tenho que usar o vagidrat?(

  4. Essa materia va min ajuda muito estou passando por esse desconforto é orrivel obrigado

  5. Vagidrat

    É no caso o 1º hidratante intravaginal livre de hormônios e eficaz, tem um mecanismo de ação simples porém inteligente,( ácido poliacrílico ), este mecanismo absorve da parte submucosa para a parte mucosa, hidratando naturalmente. Muitos pacientes podem se beneficiar com este produto: isterectomizada, climatério, menopausa, mulheres que usam anticoncepcionais que causam rececamento, vaginite atrófica no pós parto, dispareunia( dores vaginais na relação sexual ),restaura o ph, mulheres que tem ou com histórico de câncer , e tem muitas outras indicações que melhora a vida social da mulher moderna.

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *