Síndrome de Guillain-Barré

síndrome de Guillain-Barré (SGB) é uma doença rara que afecta os nervos do corpo tambem conhecida como polirradiculoneurite aguda. Os nervos transportam mensagens do cérebro para o corpo, como por exemplo quando e como se mexer. Os nervos também dizem ao cérebro o que sente quando toca em algo. Na Síndroma de Guillain-Barré existe uma inflamação dos nervos, que ficam inchados ou irritados. Esta lesão nos nervos pode impedir o envio de mensagens para o cérebro, o que dificulta o movimento e as sensações. Normalmente, a doença desaparece após algumas semanas ou meses.

Foto abaixo: fisioterapia na sindrome de guillain barre.

Causas da síndrome de Guillain-Barré:

Geralmente, a causa do Guillain-Barré é desconhecida. A maioria das pessoas fica com SGB após uma infecção ligeira, como por exemplo uma infecção dos pulmões ou dos intestinos. Pode ser provocada pelo seu corpo estar a atacar-se a si mesmo. Por vezes, a doença ocorre após uma vacinação ou uma cirurgia. O SGB não é uma doença contagiosa.

Sinais e sintomas síndrome de Guillain-Barré:

O SGB passa por três fases. Os sintomas começam muito rapidamente durante a primeira fase, que demora cerca de três semanas. Durante a segunda fase, não ocorrem, geralmente, alterações nos sintomas. Estes desaparecem lentamente durante a fase de recuperação, que dura quatro a seis meses, ou mais. Poderá ter um, ou mais, dos seguintes sintomas:

  1. Fraqueza muscular e início de perda de sensibilidade no corpo.
  2. Dificuldades motoras, que se iniciam nos pés e pernas e, com o tempo, afectam os braços e a cabeça.
  3. Dores musculares ou cãibras.
  4. Visão enevoada.
  5. Dificuldade em mover os músculos da face.
  6. Palpitações (alteração nos batimentos cardíacos).
  7. Problemas em controlar a urina ou as fezes.
  8. Prisão de ventre.

A seguir estão sintomas adicionais que significam uma emergência. Ligue para o 112 e chame uma ambulância para ir para o hospital mais próximo. Não conduza!

  1. Dificuldades em engolir ou em salivar.
  2. A fraqueza alastra-se para o abdómen (barriga) e para os músculos torácicos, dificultando a respiração.
  3. Sentir que não pode respirar fundo.
  4. Não respirar durante curtos períodos de tempo.
  5. Desmaiar.
  6. Ficar paralisado, de forma a não conseguir mexer qualquer parte do corpo.
  7. Choque (muita fraqueza ou desmaio, mãos e pés frios, frequência cardíaca rápida, suores).

Diagnóstico da síndrome de Guillain-Barré

Poderá ser necessário um, ou mais que um, dos seguintes testes para ajudar o médico a planear o tratamento:

Testes sanguíneos: Pode precisar de fazer análises ao sangue. O sangue pode ser colhido de uma veia na sua mão, no braço ou na dobra do cotovelo. Será analisado para ver como é que o seu corpo está a lidar com a doença. Poderá ter de tirar sangue mais que uma vez.

Raio X de tórax: É uma imagem dos seus pulmões e do coração. Os médicos utilizam-na para ver como é que os seus pulmões e o coração estão a lidar com a doença. Podem utilizar o raio X para procurar sinais de infecção, pneumonia ou outras alterações nos pulmões. O raio X de tórax também pode mostrar tumores ou costelas partidas, ou ainda líquido à volta do coração e dos pulmões.

EMG: Este teste também é chamado electromiograma. Mede a actividade eléctrica dos músculos em descanso e em actividade. Um EMG também analisa os nervos que controlam os músculos.

Monitor cardíaco: Consiste num electrocardiograma contínuo. É um teste indolor para ver como é que o coração está a trabalhar. São colocados eléctrodos em diferentes partes do corpo. Cada eléctrodo tem um fio que está ligado a um ecrã semelhante a uma televisão ou a uma caixa portátil (unidade de telemetria). Este ecrã, ou caixa, mostra um traçado dos batimentos cardíacos. Os médicos estudam este traçado, para procurarem problemas relacionados com a forma como o coração está a bater.

Punção lombar: Este procedimento também pode ser chamado punção espinal. Pode ser retirado líquido da espinha e enviado para um laboratório, para ser examinado. Poderá fazer este teste para certificar que não tem uma infecção na medula espinal. Os médicos também podem ver se existe uma hemorragia no cérebro. Por vezes pode ser administrado um medicamento na espinha, para tratar a doença.

Oxímetro de pulso: Esta é uma máquina que diz quanto oxigénio tem o seu sangue. É colocado um fio com uma pinça ou com uma fita adesiva no seu ouvido, dedo da mão ou dedo do pé. A outra extremidade do fio é presa a uma máquina. Os médicos utilizam esta máquina para ver se precisa de mais oxigénio.

Sinais vitais: Inclui medir a temperatura, medir a pressão arterial, contar as pulsações (contar o batimento cardíaco) e a respiração. Para medir a pressão arterial é colocada uma manga no seu braço que é apertada. A manga está ligada a uma máquina que faz a leitura da sua pressão arterial. Os médicos poderão ouvir o coração e os pulmões através de um estetoscópio. Os seus sinais vitais são medidos para que os médicos possam avaliar a forma como está a reagir.

Cuidados a ter:

Depois de ter alta:

Tome sempre os seus medicamentos de acordo com as instruções fornecidas pelo médico. Telefone ao seu médico no caso de julgar que os medicamentos não estão a ajudar, ou se tiver efeitos secundários. Não deixe de os tomar enquanto não falar com o seu médico. Se estiver a tomar antibióticos, continue até acabar o prazo indicado pelo médico, mesmo que se senta melhor. Guarde uma lista dos medicamentos que está a tomar e de como é que os deve tomar. Leve a lista dos seus medicamentos ou os frascos de comprimidos quando for consultar o seu médico. Saiba porque é que toma cada um dos medicamentos. Peça informações ao seu médico relativamente aos seus medicamentos. Se estiver a tomar um medicamento que provoque sonolência, não conduza nem utilize equipamento pesado. Telefone ao seu médico para fazer uma visita de acompanhamento. Anote quaisquer questões que tenha sobre o SGB e sobre a forma como está a ser tratada. Esta é uma forma de tirar as suas dúvidas na visita seguinte. Poderá ir para um hospital especial ou uma clínica especializada antes de ir para casa. Os enfermeiros e auxiliares ajudam-no a vestir-se e a comer até ficar mais forte.

Quando estiver pronto/a para ir para casa:

Poderá ter de fazer fisioterapia e terapia ocupacional quando chegar a casa. • Marque as suas sessões de terapia durante a altura do dia em que está menos cansado/a. Colabore com os terapeutas. É importante fazer os exercícios que eles recomendam. Poderá ser necessário colocar rampas especiais e carris laterais em sua casa. Isto ajuda-o/a a movimentar-se pela casa de forma segura. A seguir estão descritas algumas ideias para o/a ajudar a melhorar e a estar seguro/a, quer esteja em casa ou numa clínica especializada. Permaneça tão activo/a quanto possível. Faça exercício diariamente. Ajuda a fortalecer o coração, a baixar a pressão arterial e a manter-se saudável. Fale com o seu médico antes de começar, para ter a certeza que pode fazer exercício. Juntos podem planear um programa de exercício.

Não se isole. Tente ver os seus amigos e a família tantas vezes quanto as possíveis, sem se cansar demasiado. Poderá não ser capaz de distinguir as coisas quentes e as frias tão bem como antes do início do SGB. Experimente a água antes de tomar banho ou de lavar o corpo, para evitar queimar-se. Para evitar uma infecção nos pulmões, respire fundo duas ou três vezes e, de seguida, tussa. Faça isto de hora a hora, enquanto estiver acordado/a, mesmo se acordar durante a noite. Beba seis a oito copos (do tamanho de uma lata de 33 cl) de líquidos diariamente. Ou siga os conselhos do seu médico se tiver de limitar a quantidade de líquido ingerido. Os líquidos que deverá consumir são a água, sumos e leite. Limite a quantidade de cafeína a consumir, como por exemplo café, chá e bebidas gasosas. Fale com o seu médico antes de ser vacinado/a contra a gripe ou a pneumonia. Nunca é demasiado tarde para deixar de fumar. Fumar prejudica o coração, os pulmões e o sangue. Tem maiores probabilidades de vir a ter um ataque cardíaco, uma doença dos pulmões e cancro se fumar. Não só o ajuda a si como também ajuda os que o/a rodeiam. Se tiver dificuldades em desistir, fale com o seu médico sobre formas de deixar de fumar. Poderá sentir-se assustado/a, confuso/a e ansioso/a por ter a síndroma de Guillain-Barré. Poderá culpar-se e pensar que fez algo de errado. Estes sentimentos são comuns. Fale sobre eles com o seu médico, ou com alguém próximo de si.

Contacte o seu medico se:

  1. Tiver inflamações na pele.
  2. Tiver alterações na visão.
  3. Tiver inchaço ou dor nas pernas.
  4. Tiver problemas com as fezes.
  5. Tiver vermelhidão, prurido ou inchaço da pele. Isto pode ser provocado pelo medicamento que está a tomar.
  6. Tiver questões relativamente à sua doença ou ao tratamento.

Procure imediatamente ajuda se:

Tiver dificuldades respiratórias ou tiver dificuldades em raciocinar.

Riscos e Complicações:

Mesmo com o tratamento existe a possibilidade de continuar a ter uma ligeira fraqueza muscular. Sem o tratamento, o SGB pode provocar a morte. Se for tratado, as hipóteses de vir ter problemas a longo prazo são muito poucas. Telefone ao seu médico se estiver preocupado/a, ou se tiver questões relativamente ao medicamento ou ao tratamento.

Tratamento da síndrome de Guillain-Barré:

De início, será internado/a num hospital para que os médicos o/a possam examinar rigorosamente, vigiar a sua evolução e fazer o tratamento adequado. Em situações extremas poderá ser necessário efectuar respiração artificial. O outro tratamento depende do nível de fraqueza muscular.

Actividade:

Poderá ser necessário ficar na cama, podendo sair quando se sentir melhor. Enquanto não tiver autorização para sair da cama, poderá continuar a exercitar as pernas, bastando para isso levantar uma perna e desenhar círculos grandes com os dedos. De seguida faça o mesmo com a outra perna. Outro bom exercício é deitar-se de lado e fingir que está a pedalar. Este movimento faz com que as suas pernas fiquem mais fortes e evita a formação de coágulos. Pare se sentir cansaço.

O seu médico dir-lhe-á quando é que pode sair da cama. Telefone ao seu médico antes de se levantar pela primeira vez; se sentir fraqueza ou tonturas, sente-se ou deite-se imediatamente. De seguida ligue ao seu médico.

Campainha: Poderá utilizar a campainha quando precisar do médico ou enfermeiro. Algumas boas razões para o fazer são: dores, dificuldade respiratória ou querer levantar-se da cama.

IV (soro): Um IV é um tubo colocado na sua veia para administrar medicamentos ou líquidos.

Opções de tratamento: O seu tratamento pode ser alterado se o SGB não estiver a evoluir favoravelmente. Na maioria das vezes esta alteração é decidida após os exames. Poderá fazer alguns dos seguintes tratamentos, individualmente ou em simultâneo:

Respirar fundo e tossir: Este exercício de respiração ajuda a evitar uma infecção dos pulmões. Deverá respirar fundo e tossir de hora a hora, enquanto estiver acordado/a, e mesmo se acordar durante a noite. Respirar fundo ajuda a abrir as vias que vão para os pulmões. Tossir ajuda a trazer as secreções dos pulmões para expectorar/escarrar. Respire fundo e sustenha a respiração enquanto possível. De seguida, empurre o ar para fora dos pulmões, com uma tosse forte. Coloque numa toalha o que tiver eliminado com a tosse. Respire forte dez vezes seguidas, de hora a hora, enquanto estiver acordado. Não se esqueça de acompanhar cada respiração com tosse.

Cateter Foley: É um tubo que pode ser colocado na bexiga para drenar a urina. A bexiga é o órgão onde é acumulada a urina. O cateter também lhe poderá dar a sensação de ter de urinar. Relaxe e o cateter drena a urina por si. Quando o cateter for retirado, pode urinar à vontade. Não puxe o cateter, pois poderá magoar-se ou sangrar. Não dê um nó no cateter, pois assim a drenagem é impossível. Não levante o saco de urina acima do cateter. Se o fizer, a urina volta à bexiga. Isto pode provocar uma infecção.

Medicamentos:

Anticoagulante sanguíneo: Este medicamento evita a formação de coágulos no sangue. Os coágulos podem provocar tromboses, ataques cardíacos e a morte. Os anticoagulantes sanguíneos podem ser administrados, em primeiro lugar, por via IV ou através de uma injecção no abdómen (barriga). Mais tarde, pode tomá-los por via oral, ou continuar por injecção. Os anticoagulantes sanguíneos podem facilitar o aparecimento de hemorragias ou de feridas. Se se barbear, utilize uma máquina de barbear eléctrica. Utilize uma escova de dentes macia para escovar os dentes. Se o fizer, evita sangrar da pele ou das gengivas.

Laxantes: Poderá tomar laxantes para evitar ficar com prisão de ventre. Prisão de ventre significa que tem dificuldade em evacuar. Os laxantes tornam as fezes mais moles, para não precisar de forçar a evacuação.

Oxigénio: Poderá necessitar de uma dose extra de oxigénio durante a sua doença ou lesão. Poderá ser administrado através de uma máscara plástica sobre a sua boca e nariz ou pode ser administrado através de sondas nasais (tubos curtos e finos no seu nariz). Diga ao seu médico se o oxigénio estiver a secar o nariz ou se as sondas nasais o incomodarem. Não tire o oxigénio sem pedir primeiro ao médico. Se o fizer, o seu corpo poderá não ter oxigénio suficiente.

Plasmaferese: O plasma do sangue é retirado e tratado, para remover os anticorpos. O plasma limpo é depois reposto no sangue por via IV.

Cinesiterapia respiratória: Este tratamento ajuda a libertar as secreções nos pulmões. O terapeuta bate-lhe levemente nas costas e no peito com as mãos. Desta forma desprende as secreções, facilitando a tosse. Ou o terapeuta pode utilizar uma máquina para bater levemente no peito e nas costas. A cinesiterapia respiratória pode facilitar a respiração e ajudá-lo/a a sentir-se melhor.

Meias de pressão: Estas meias elásticas apertadas evitam que o sangue fique nas pernas e que cause coágulos.

Ventilador: É uma máquina especial que pode respirar por si. Poderá ter um tubo endotraqueal (tubo ET) através da boca ou do nariz. Ou, um tubo chamado traqueal, pode passar por uma incisão (corte) na frente do pescoço. O tubo ET ou traqueal está ligado a um ventilador. Então, o oxigénio pode ser-lhe administrado através do ventilador.

Em: Outros Temas | 1 comentário

One Comment

  1. minha filha teve essa doença a 15 dias atras mais graças a Deus ela tomou a Imunoglobulina e se recuperou logo mais os medicos disse que ela é realmente um milagre que poderia ter morrido ..

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *