Suicídio - Portugal, estatísticas, motivações e sinais de alarme

Suicídio (estatísticas, motivações e sinais de alarme)

A palavra suicídio constitui o acto de se matar a si próprio intencionalmente. Existem cerca de 5.000 suicídios todos os anos na Grã Bretanha, por exemplo. Em Portugal, as cifras do suicídio apontam para cerca de 600 (em dez milhões de habitantes): ver os dados do INE no tratamento que lhes é dado pelo Núcleo de Estudo do Suicídio do Hospital de Santa Maria, dirigido pelo Prof. Daniel Sampaio. Aí pode igualmente consultar a comparação das taxas de suicídio em diversos países da Europa.

 

O suicídio é mais comum nos homens do que nas mulheres (75% dos suicídios pertencem a homens) abrangendo homens com uma taxa de risco mais elevada na faixa etária dos 25-34 anos, aproximadamente secundados por homens entre 35-44 anos de idade. As taxas de suicídio nos homens são mais altas do que nas mulheres em todos os grupos etários. No grupo dos 25-44 os homens estão quase quatro vezes mais susceptíveis do que as mulheres de cometer suicídio. O suicídio é responsável por 5% de todas as mortes nos indivíduos jovens. A tentativa de suicídio (também conhecido como para-suicídio ou agressão deliberada a si próprio) evidencia actos não mortais de agressão a si próprio que surgem devido a uma série de razões. As pessoas que tentaram o suicídio possuem um risco maior de morrer em consequência deste e o número de tentativas repetidas levadas a efeito aumenta a probabilidade de eventualmente morrerem por suicídio. As práticas principais utilizadas no suicídio são o enforcamento e intoxicação com psicotrópicos ou analgésicos. A taxa de suicídio global em Portugal tem descido lentamente desde o princípio dos anos 80. Contudo, em alguns países, o número de jovens que cometem o suicídio duplicou nos últimos dez anos.

Causas do suicídio:

O que leva uma pessoa a cometer suicídio? Há sempre razões pessoais, motivos únicos e irrepetíveis, de pessoa para pessoa. O que para alguns constitui um desafio, funciona noutros como convite à desistência de viver. De qualquer maneira é possível elencar alguns factores de risco:

  1. Doenças mentais, incluindo a depressão, ingestão de tóxicos e alcoolismo, distúrbios da personalidade, anorexia e esquizofrenia;
  2. Ruptura do apoio social e isolamento: encontram-se em risco os estudantes, presidiários, pessoas sem abrigo, imigrantes, pessoas idosas, refugiados;
  3. Desempregados;
  4. Episódios anteriores de auto agressão deliberada;
  5. As pessoas que no desempenho de determinadas profissões têm fácil acesso a práticas de suicídio (ex. venenos, medicamentos, armas) enfrentam taxas mais elevadas de suicídio do que a população em geral;
  6. Dores crónicas e incapacitantes ou doença;
  7. Antecedentes familiares de suicídio/distúrbio mental;
  8. Perda recente, como por exemplo luto, divórcio, separação, despedimento (Veja dor e perda);
  9. Experiências adversas na infância;

Nos factores acrescidos de risco das pessoas jovens incluem-se:

O que Procura?
Cosméticos Biológicos - Conheça algumas marcas
  1. Relações deficientes entre pais e filhos (incluindo formas deficitárias de comunicação na família e extremos de altas e baixas expectativas por parte dos pais e controlo das mesmas);
  2. Separação dos pais ou divórcio;
  3. Doenças mentais nos pais (depressão, distúrbios pela ingestão de tóxicos e comportamentos anti sociais).

Sinais e sintomas:

Apresenta a seguinte lista dos sinais de alarme, situações em que os jovens dão a entender a tentação de cometer suicídio:

  1. Depressão, melancolia, grande tristeza, desesperança e pessimismo (falar muito na morte, tudo parecer negativo, perdido, …);
  2. Insucesso escolar (por ex. por parte de quem era antes aluno interessado);
  3. Apatia pouco usual, letargia, falta de apetite;
  4. Insónia persistente, ansiedade ou angústia permanente;
  5. Abuso de álcool, droga ou fármacos;
  6. Grande impulsividade, agressividade;
  7. Dificuldades de relacionamento e integração na família ou no grupo;
  8. Afastamento ou isolamento social;
  9. Dizer adeus, como se não o(a) voltássemos a ver;
  10. Oferecer objectos ou bens pessoais valiosos;

Cuidados a ter:

No Reino Unido, um Plano de Prevenção Nacional do Suicídio foi lançado a 16 de Setembro de 2002 com o objectivo de reduzir o número de suicídios em Inglaterra pelo menos em 1/5 até 2010.

O plano baseia-se em aproximadamente seis metas:

  1. Objectivar grupos de alto risco ( ex. homens jovens)
  2. Promover o bem estar mental na população como um todo
  3. Reduzir a disponibilidade de materiais e substâncias vulgarmente utilizados ao cometer o suicídio
  4. Incrementar as reportagens de comportamentos suicidas nos media
  5. Estudos de apoio sobre o suicídio e comportamento suicida
  6. Melhores condições de acesso e análise de estatísticas sobre o suicídio com vista a controlar a evolução dos objectivos para reduzir o número de suicídios.

Existem múltiplos sites e organizações a que se pode dirigir quando tenha de lidar com problemas de suicídio. Entre eles, o Portugal em linha de Gia Carneiro Chaves, o SOS Voz Amiga, linhas telefónicas em Lisboa e no Porto para ajuda no solidão, angústia, desespero e prevenção do suicídio, o Telefone da Amizade, no Porto, o SOS – Palavra Amiga, em Coimbra, e a Voz de Apoio angústia, solidão, desespero, em Vila Nova de Gaia.

O que Procura?
Politica de Privacidade
loading...

18. Maio 2011 by admin

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *