Toranja

A toranja é um fruto de forma globular, ligeiramente achatada, de casca lisa ou rugosa, de cor amarelo pálido ou avermelhado. Consome-se principalmente como fruta fresca, e possui numerosas qualidades digestivas, estomacais e anti-sépticas.

A toranja é um fruto em forma de globo ou esfera, ligeiramente achatado, de casca lisa ou rugosa, grossa, de cor verde pálido que se torna amarelado no amadurecimento e que possui um sabor amargo.

A polpa está dividida em 10-12 gomos que também têm um sabor amargo, devido à presença de uma substância chamada naringina, e pode ser amarela.

Nas variedades avermelhadas, a cor da polpa varia de rosa a vermelho e o sabor é mais doce. O nome em inglês, Grapefruit, faz referência ao facto dos frutos crescerem em cachos (rácimos).

A toranja consome-se como fruta fresca e em sumo, sendo este a única utilização a nível industrial. Também pode ser utilizada na cozinha, para acompanhar carnes, como a de pato, frango, porco ou mesmo gambas.

Existe uma enorme confusão entre os frutos toranja e pomelo, pois muita gente pensa que se trata do mesmo fruto. Na realidada o pomelo, Citrus grandis, é um citrino diferente da toranja, cultivado exclusivamente em climas tropicais e quase não tem importância no comércio mundial.

Aparece à venda nos mercados do Hemisfério Norte no início do Inverno e mantém-se até Maio ou Junho, graças à sua conservação em câmaras frigoríficas.

É, como todos os citrinos, muito rico em vitamina C e possui muitas qualidades curativas, entre as quais se destacam a prevenção de certos cancros, e propriedades digestivas, estomacais, anti-sépticas, tónicas e diuréticas.

Tipos e Variedades de Toranja

Dividimos as variedades em dois grupos: as brancas, dentro das quais está a variedade mais conhecida ‘Marsh seedless’, e as variedades com cor como a ‘Ruby’ ou a ‘Star Ruby’.

Podemos dividir as variedades em dois grupos, as variedades brancas ou comuns como a ‘Marsh seedless’ e ‘Duncan’ e as variedades com cor ou pigmentadas, cuja popularidade vai aumentando. Dentro deste grupo destacam-se as variedades ‘Ruby’ e ‘Star Ruby’.

Identificaram-se muitas variedades brancas, mas a ‘Marsh seedless’ é a que tem maior importância comercial. As variedades pigmentadas possuem um pigmento chamado licopeno que as dota da sua cor característica.

A toranjas diferenciam-se das laranjas, pois nestas a cor deve-se às antocianinas. Além disso, durante a época de maturação da toranja as temperaturas são altas e favorecem o aparecimento do licopeno, coisa que não ocorre nos meses de Outono e Inverno, quando amadurecem as laranjas.

Algumas variedades de toranja:

Marsh seedless

A polpa do fruto possui umas vesículas pequenas e tem cor clara. A casca é mais grossa que o resto das variedades e o teor em sumo é alto e doce, embora seja um pouco ácido quando os frutos são do início da colheita. As toranjas não possuem sementes e o seu peso ronda os 260 g. Com o amadurecimento artificial em câmaras, os frutos perdem o aroma e mantêm-se ácidos.

Duncan

O fruto é bastante grande, achatado nos pólos. A polpa é tenra e rica em sumo. É uma variedade destinada, principalmente, à elaboração industrial de sumo.

Ruby

Esta variedade possui este nome devido ao tom rosa da sua casca e polpa. É um fruto sem sementes. É a variedade de referência para os consumidores que preferem as variedades coloridas.

Star Ruby

É a toranja de coloração mais intensa. É um fruto sem sementes, de casca muito delgada, com um elevado teor em sumo, de sabor mais doce e menos amargo do que a variedade Marsh.

As variedades de toranja produzidas sob a designação de Citrinos do Algarve, Indicação Geográfica Protegida, são a Marsh Seedless e a Star Ruby.

Planta – a Árvore da Toranja

A toranja cresce em árvores frondosas, sensíveis ao frio e exigentes em calor para formar frutos de qualidade, os quais crescem formando cachos. A toranja, Citrus paradisi, é um fruto com forma esférica, de 15 cm de diâmetro, de casca lisa ou rugosa, grossa, resistente, de cor verde que ao amadurecer se torna amarelo intenso e brilhante.

Tal como ocorre com a laranja, a polpa da toranja contém bastante sumo, possui poucas ou nenhumas sementes, está dividida em dez ou doze gomos, possui um sabor ligeiramente amargo e utiliza-se fundamentalmente como bebida.

As toranjas crescem em árvores de grande porte, com folhagem densa e espinhosa e de folhas perenes. As flores são grandes e brancas. É mais sensível ao frio que a laranjeira e é mais exigente em calor para formar frutos de qualidade, por isso os frutos de zonas tropicais, como Florida nos EUA ou Cuba, são muito apreciados.

Origem e Produção de Toranja

A origem da toranja não é muito clara, certos autores afirmam que se trata de um cruzamento natural entre laranjeira doce e o pomelo (citrino mais tropical) que teve lugar em Barbados, nas Índias Ocidentais perto de 1700.

Pensa-se que as sementes de pomelo foram introduzidas em Barbados pelas mãos de um capitão inglês chamado Philip Shaddock, em 1649, embora não existam referências deste fruto até 1823.

As toranjas produzem-se em zonas tropicais e temperadas, colhendo-se durante o Inverno. A produção destina-se ao consumo em fresco ou para a elaboração de marmelada e sumo. A produção mundial ronda as 4.700.000 toneladas, sendo a produção europeia da ordem das 49.000 toneladas.

No quadro seguinte mostram-se os dados da produção mundial:

  
PAÍS
  PRODUÇÃO (milhares de toneladas)   %
  1998   1999
  África   370   376   8
  Ásia   1.018   996   21
  Europa   49   49   1
  América do Norte   2.993   2.922   61
  Oceânia   21   21
  América do Sul   422   418   9
  TOTAL   4.873   4.782   100

Fonte: Fresh Produz Desk Book (2001)

Os Estados Unidos são o produtor líder a nível mundial, com mais de 50% da produção, da qual aproximadamente 45% se destina ao consumo em fresco. Outros produtores importantes são a Argentina, Cuba, Chipre, Israel, México, Moçambique e África do Sul.

Os primeiros dez países exportadores de outros citrinos, entre os que se inclui a toranja mas se exclui as laranjas, tangeleiros (híbridos de toranja e tangerina) e tangerinas são:

  
PAÍS
  EXPORTAÇÕES
  toneladas 1998   milhares de$1998
  Estados Unidos   388.099   195.673
  Israel   130.500   65.320
  Holanda   113.444   62.990
  Bélgica-Luxemburgo   86.345   51.996
  África do Sul   76.000   37.860
  Turquia   42.018   19.730
  Argentina   27.224   12.665
  Chipre   26.283   10.154
  Suazilândia   22.000   5.500
  Espanha   21.323   11.361

Exportação de outros citrinos)
Fonte: Anuário FAO do Comércio (1998).

Pode-se observar a diferença entre a exportação dos Estados Unidos e os restantes países exportadores, entre os quais se encontra Israel, um dos principais fornecedores da Europa.

Pode surpreender que países nórdicos como a Holanda e Benelux estejam entre os principais exportadores, isto deve-se ao facto de serem países ‘reexportadores’, ou seja, são portos de entrada e redistribuição na Europa.

Em Espanha o consumo de toranja não é muito significativo, embora tenha vindo a aumentar. A principal saída da toranja cultivada em Espanha é o mercado europeu, onde a qualidade das toranjas alicantinas, murcianas e valencianas é muito apreciada. Nos últimos anos, as províncias andaluzas, como Sevilla, Málaga e Almería, têm aumentado as suas produções para abastecer os mercados europeus.

O principal país importador de toranja é o Japão, com uma certa diferença para o segundo, como se pode observar no quadro:

  
PAÍS
  IMPORTAÇÕES
  Toneladas 1999   milhares de $ 1999
  Japão   262.416   233.645
  França   134.190   77.519
  Holanda   133.577   71.325
  Bélgica-Luxemburgo   107.711   55.627
  Alemanha   85.409   48.764
  Reino Unido   75.813   39.547
  Canadá   58.818   29.805
China   40.375   22.583
  Itália   37.019   18.717
Polónia   31.484   12.793

Mês de Colheita – Disponibilidade nos Mercados
A toranja aparece nos mercados do Hemisfério Norte no início do Inverno e a oferta mantém-se até Maio ou Junho, graças à sua conservação em câmaras frigoríficas.

Para analisar a disponibilidade deste citrino no mercado, assim como os principais países fornecedores, tomou-se como exemplo o mercado de citrinos do Reino Unido:

  ORIGEM E VARIEDADE   MESES DE DISPONIBILIDADE NO REINO UNIDO
  ARGENTINA
  Marsh Seedless   Abril – Setembro
  Ruby Red   Abril – Setembro
  Star Red   Abril – Setembro
  CUBA
  Marsh Seedless   Setembro – Janeiro
Ruby Red   Meados Setembro – finais Fevereiro
  CHIPRE
Marsh Seedless   Outubro – Junho
  Rio Red   Novembro – Abril
Star Ruby   Outubro – Junho
  EGIPTO
  Marsh Seedless   Novembro – Abril
  GRÉCIA
várias   Novembro – Maio
  HONDURAS
Marsh Seedless   Setembro – Novembro
Ruby Red   Setembro – Novembro
  ISRAEL
Marsh Seedless   Outubro – Julho
  Toranja white   Novembro – Maio
Toranja red   Outubro – Dezembro
  Red Blush   Outubro – Novembro
Sunrise   Outubro – Julho
  Sweetie   Outubro – Fevereiro
ITÁLIA
  White   Outubro – Dezembro
  MEXICO
Variedades vermelhas   Agosto – Novembro
  ÁFRICA DO SUL
Marsh Seedless   Meados Maio – finais Outubro
Rosé   Meados Maio – Setembro
  Star Ruby   Meados Maio – Setembro
  ESPANHA
  Marsh Seedless   Meados Outubro – Março
  TURQUIA
  Henderson   Finais Outubro – Julho
Marsh Seedless   Finais Outubro – Julho
  Rio Red   Finais Outubro – Julho
  Ruby Red   Finais Outubro – Julho
  Star Ruby   Meados Outubro – Maio
  ESTADOS UNIDOS
  Marsh Seedless   Princípios Outubro – Junho
  Ruby Red   Princípios Outubro – Junho
  URUGUAI
Marsh Seedless   Junho – Agosto
  Star Ruby   Junho – Agosto
ZIMBAWE
  Marsh Seedless   Maio – Outubro
Rosé   Maio – Outubro

Fonte: Fresh Produz Desk Book (2001).

Embalagens

A forma mais usual de encontrar as toranjas no mercado é em sacos de malha de 1 ou 2 kg e em bandejas de poliestireno expandido com 6 ou 8 unidades. Também é muito comum a venda a granel, ou seja por unidades, vendendo-se também toranjas que são etiquetadas individualmente.

Podemos encontrar as toranjas em vários tipos de embalagens. As unidades que estão pré-embaladas nos supermercados, frutarias, etc., podem ser bolsas ou sacos de malha com capacidade entre 1 ou 2 kg.

Nos mostradores da secção de frutas, é menos frequente encontrar as toranjas em tabuleiros de livre acesso ao consumidor, como acontece com outros citrinos, tais como laranjas ou tangerinas.

Em numerosos centros comerciais e com a intenção de economizar espaço nas despensas do consumidor e tornar o produto mais atractivo, as toranjas apresentam-se em bandejas de 2 ou 4 unidades de poliestireno expandido cobertas com plástico expandido.

Regulamentos de Comercialização

As toranjas a comercializar devem estar inteiras, sãs, sem podridões ou outras alterações que as tornem impróprias para consumo. As toranjas dividem-se em três categorias, Extra, I e II, e em função do tipo de defeitos que apresentam classificam-se em cada uma das categorias.

As toranjas colocam-se em embalagens correspondentes à categoria e devem estar correctamente marcadas e etiquetadas. Existe a norma FFV-14, CEPE/ONU referente à comercialização e controlo de qualidade comercial de toranjas, entre outros citrinos. As normas CEPE/ONU são normas de referência, mas não são de cumprimento obrigatório.

Segundo estas normas os frutos devem estar intactos, livres de cortes ou deteriorações que afectem a qualidade, praticamente limpos, livres de pesticidas, livres de danos causados por baixas temperaturas, livres de cheiros ou sabores estranhos. Devem ser colhidos com um grau de desenvolvimento e maturação apropriados, de modo a que, após o transporte e manuseamento, cheguem em óptimas condições ao local de consumo.

A maturação das toranjas está definida pelos seguintes parâmetros:
Teor mínimo em sumo: 35%.
Teor mínimo em açúcar: 9% para a variedade Oroblanco.

A cor das toranjas deve ser a típica da variedade, embora a fruta com um tom verde amarelado é permitida se alcança o teor mínimo em sumo. Como todos os outros citrinos, as toranjas classificam-se em três classes ou categorias:

Classe Extra
Integra os frutos de qualidade superior, livres de defeitos, à excepção de alguma ligeira anomalia que não afecte a aparência geral do produto, a qualidade ou a apresentação na embalagem.

Classe I
Os frutos de Classe I devem ser de boa qualidade e possuir as características típicas da sua variedade. Podem apresentar ligeiros defeitos de cor, forma ou alguma anomalia na casca produzida durante a maturação.

Classe II
Nesta categoria incluem-se os frutos não incluídos nas classes anteriores, mas que cumprem os requisitos mínimos de qualidade.

O tamanho dos frutos é determinado pelo diâmetro máximo da secção equatorial. No caso das toranjas e dos seus híbridos, este diâmetro deve ter no mínimo 70 mm.

No que se refere à apresentação, o teor de cada pacote deve ser uniforme e conter toranjas da mesma origem, variedade comercial, qualidade, tamanho e grau de maturação. A parte visível de cada pacote deve ser representativa de todo o conteúdo e deve proteger os frutos adequadamente. Os materiais usados no interior do pacote devem estar limpos e a impressão de caracteres gráficos tem de realizar-se com tinta não tóxica e adequada ao uso alimentar.

As toranjas embaladas estão dispostas em filas ordenadas para a categoria Extra, em caixas sem ordenar para as categorias I e II, ou em pacotes individuais de livre consumo de peso inferior a 5 kg. Cada embalagem deverá levar, em letras legíveis e visíveis no exterior, a identificação da empresa embaladora, a natureza do produto: variedade, tipo, origem, classe comercial e uma marca de controlo oficial (facultativo).

Critérios de Qualidade

Gestão atmosférica pós colheita:

As toranjas têm de ser colhidas no estado de plena maturação, tal como os outros citrinos. Da mesma maneira que para as tangerinas, não podem armazenar-se a temperaturas muito baixas pois aparecem defeitos na casca.

A toranja é um fruto que deve ser colhido em plena maturação para assegurar a melhor qualidade, já que este citrino não amadurece em câmaras. Todos os citrinos não amadurecem em câmaras porque não contêm amido de reserva, assim os frutos que apenas têm açúcares mais simples devem colher-se quando já estão maduros.

Tal como para os limões e limas, a toranja não pode ser armazenada a temperaturas abaixo de 10ºC, uma vez que aparecem manchas na casca, ou seja defeitos. Por isto, normalmente as toranjas são armazenadas a temperaturas entre 10-15ºC e a uma humidade relativa de 90-95%.

Esta humidade alta, como acontece nas tangerinas, serve para evitar a perda de água, a qual não é reposta uma vez que o fruto já foi colhido.

Existem estudos sobre a resposta da toranja em câmaras de atmosfera controlada. Pode-se referir que um armazenamento em câmara com 2% de oxigénio e temperaturas abaixo dos 5ºC reduz os danos por frio. No entanto, a utilização de atmosferas controladas não está muito difundida devido ao seu elevado custo económico.

Alguns problemas pós colheita:

As toranjas são muito sensíveis ao frio e em numerosas ocasiões aparecem manchas escuras na casca. Pode aparecer outro tipo de descolorações na casca, acompanhadas de sementes negras no interior, neste caso devidas à acção de diferentes fungos.

As toranjas tal como as tangerinas são muito sensíveis às baixas temperaturas e propensas a lesões provocadas pelo frio. Os sintomas externos podem ser descolorações da casca e um aumento da susceptibilidade a um envelhecimento precoce.

No interior dos frutos danificados pelo frio, observa-se que a polpa à volta das sementes torna-se pálida e que os segmentos brancos que separam os gomos escurecem até ficarem castanhos. Estes danos causados pelo frio aparecem com maior frequência nos frutos mantidos, mais de um mês, a temperaturas entre o seu ponto de congelação, cerca de –3ºC, e 5ºC.

Podem ocorrer outros tipos de alterações nas toranjas provocadas por diferentes fungos, como o Aspergillus ou a Alternaria, que produzem uma ligeira variação na cor da casca e tornam as sementes do interior do fruto negras.

Benefícios da toranja para a saúde

A toranja fresca é baixa em calorias, contém folato, é uma boa fonte de fibra, potássio, flavonóides e é uma excelente fonte de vitamina C, a qual possui propriedades inibidoras do cancro e intensificadoras das funções imunológicas. A toranja vermelha e a rosa também contêm carotenóides, provitamina A e licopeno, com propriedades anti-oxidantes.

A fonte primária de licopeno na dieta humana é o tomate, embora estes tipos de toranja e a melancia também fornecem este composto. As dietas ricas em carotenóides estão relacionadas com uma diminuição do risco de contrair cancro e doenças cardiovasculares.

As toranjas também fornecem flavonóides protectores, como o canferol, tangeretina, nobiletina e rutina, considerados importantes para uma dieta equilibrada e saudável.

Beneficios Medicinais

  • Afecções Cardiovasculares
  • Anginas de Peito
  • Enfarte do Miocárdio
  • Excesso de Ácido Úrico (gota, cálculos, artrite úrica)
  • Curas Depurativas
  • Infecções
  • Obesidade

Tradições Populares

A toranja previne as doenças cardiovasculares, fortalece o sistema imunitário, previne as constipações, estabiliza a flora intestinal, activa o metabolismo e o crescimento celular e contribui para a perda de peso.

A toranja, devido a seu importante teor em ácido cítrico, exerce um efeito anti-séptico sobre as vias digestiva e urinária.

O seu consumo é recomendado para prevenir as doenças cardiovasculares e, devido ao efeito da vitamina C, utiliza-se para combater afecções venosas, varizes, hemorróidas e é recomendável para prevenir infecções e constipações. A substância responsável pelo sabor amargo abre o apetite e favorece a produção de bílis.

A toranja contém ácido fólico, especialmente importante na velhice, gravidez e lactação, já que é indispensável para o crescimento celular. A sua ausência provoca debilidade, fadiga e irritabilidade.

É um magnífico depurativo, se se toma ao pequeno-almoço. Em jejum é o remédio mais eficaz para combater a clássica ‘ressaca’, após uma noite de excesso de consumo de bebidas alcoólicas.

Também contribui para a perda de peso. Há uns anos, em Espanha, foi efectuada uma grande promoção desta faceta do fruto, tendo-se recomendado beber um copo de sumo de toranja em jejum, o que deu lugar a aumentos importantes do consumo, que logo foram decrescendo.

As pessoas com predisposição a sensação de ardor no estômago e regurgitações ácidas devem evitar o consumo excessivo de toranja.

loading...

08. Junho 2010 by admin

8 Comentários no Fórum

  1. Onde posso encontrar toranja em Brasilia? Qual mercado ou feira?

  2. Peço informações sobre como tratar as varizes, pois minha mãe tem 83 anos e sofre muito desse mal, mas ela tem medo de fazer cirurgia. Nesse caso, o que me aconselham que ela faça para tornar amena as dores das varizes.por favor aguardo uma resposta em meu e-mail.

  3. TEM ALGUMA CONTRAINDICAÇAO A TORANJA?

    NO AGUARDO

  4. toranja é legal principalmente se é vendida no mexico

  5. Em São Paulo (capital) não é difícil de encontrar o suco de toranja industrializado (Ruby Grapefruit da empresa Ceres) nos supermercados da rede Pão de Açúcar.

    Boas compras!

  6. como eu faço para encontrar frutas de toranja no mercado?

  7. Como encontrar toranja no Rio de Janeiro. Obrigado.

  8. preciso de mudas de toranja de qualquer variedade para plantar no sitio a titulo de coleção agradeço muito quem me informar. muito grato. meu e-mail rh.b@ibest.com.br

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *