Urticária

A urticária, também designada por alergia da pele, manifesta-se quando esta reage a qualquer coisa com que entre em contacto, quer por via directa, quer através do sangue. A urticária pode aparecer em qualquer parte do corpo, manifestando-se por erupções semeadas entre pele de aspecto normal.

As erupções desaparecem, geralmente após alguns minutos ou horas, mas podem voltar a aparecer no espaço de horas, dias, meses ou até anos. É comum nos bebés e nas crianças, mas qualquer pessoa é susceptível. A urticária não é contagiosa.

Causas da urticária:

Medicamentos, animais domésticos, alimentos, picadas de insectos ou infecções podem causar urticária. A urticária também pode ser provocada pelo frio, pela exposição solar, pelo exercício físico ou pelas plantas. Quando ingere ou contacta com qualquer coisa a que é alérgico, o seu corpo introduz na corrente sanguínea uma substância química denominada histamina.

Esta substância faz com que os seus vasos sanguíneos se dilatem, deixando passar líquidos e activando a produção de substâncias irritantes para o interior da pele. O risco de urticária é mais elevado se tiver familiares com o mesmo problema.

Sinais e sintomas de urticária:

A sua pele pode apresentar erupções vermelhas pruriginosas e inchadas denominadas por pápulas ou vergões. As pápulas podem mudar rapidamente de tamanho, forma e lugar. As erupções desaparecem, geralmente após alguns minutos ou horas, mas podem voltar a aparecer no espaço de horas, dias, meses ou até anos. Algumas pessoas têm reacções piores do que outras. As pápulas não são contagiosas.

Diagnóstico da urticária:

Existem testes cutâneos e análises ao sangue que permitem descobrir a causa da urticária. Em muitos casos, porém, a relação causa-efeito entre a exposição e o aparecimento dos sinais e sintomas típicos é suficiente para estabelecer o diagnóstico e apontar a causa.

Cuidados a ter:

Transporte consigo um kit com medicamentos de emergência para o caso de ter uma reacção grave, particularmente se já teve uma. Evite comer ou expor-se aos produtos que desencadeiam a urticária.

Riscos e Complicações:

A urticária pode constituir o primeiro sinal de uma reacção anafiláctica, também designada por choque ou alergia anafiláctica. Pode resultar do estado de irritação do corpo provocado pela toma de um medicamento ou ingestão de determinado alimento.

Algumas substâncias químicas ou outros elementos, tais como insectos, plantas ou ervas daninhas, podem originar uma reacção anafiláctica. As coisas às quais é alérgico são denominadas alergénios. Quando entra em contacto com um alergénio, o seu corpo tenta combatê-lo.

Uma reacção anafiláctica é a reacção que se verifica quando o seu corpo inicia esse combate. Uma reacção anafiláctica é uma emergência devido às reacções que condiciona. Podem surgir língua ou lábios inchados (angioedema), ou até dificuldade em respirar ou deglutir (edema da glote). Procure ajuda médica rapidamente, se tal se verificar.

Tratamento da anafiláctica:

A urticária desaparece, geralmente, sem tratamento. Contudo, poderá vir a necessitar de tratamento se tiver uma reacção grave. Apresentam-se, de seguida, os tratamentos que podem ser utilizados no tratamento da urticária.

Medicamentos: Diminuem a comichão, o inchaço e a vermelhidão da pele. Podem ser dados em comprimidos ou por forma injectável, de acordo com a gravidade da situação. Caso se trate de uma situação arrastada, poderá ser também necessário prolongar esta medicação.

Banhos de água morna ou fria: Podem aliviar a comichão. Também poderá colocar algum material frio, como uma toalha torcida e previamente mergulhada em água fria, sobre as erupções.

Não esfregue a pele: Esfregar a pele vai aquecê-la e originar a libertação de mais histamina, o que pode causar mais pápulas. Afaste-se do que quer que esteja a causar a urticária, se tiver identificado a causa.

Tipos de urticárias:

– Urticária física
– Urticária ao frio
– Urticária colinérgica
– Urticária papular
– Urticária aguda
– Urticária crônica
– Urticária Nervosa

Fotos de Urticária:

Urticária no pé

loading...
loading...

28. Maio 2011 by admin

22 Comentários no Fórum

  1. qual o melhor e ou tipo de exames para se detectar alergias ( tais como urticárias na pele ? )

  2. Estou grávida de dois meses, e estou com urticária o médico disse que pode ser por causa das alterações hormonais da gravidez. Não posso tomar corticoides porque pode prejudicar o nenê. só compressa de agua gelada, óleo de amêndoas no corpo e muita paciência os remédios que forma indicado pelo alergista foram, loratadina e polaramine.

  3. Tenho uma coceira que não sei o que é, urticária não é,
    pois os comentários que li a respeito, nem um se parece com a coceira que sinto. Acontece mais quando
    eu vou dirigir e é só nos pés e a preferência é o pé es-
    querdo da embreagem. começa com uma picadinha leve, daí vai aumentando como se tivesse um monte de
    insetos picando no mesmo lugar e não tem jeito mais
    de dirigir, tenho de dar um jeito de parar e ficar coçando uns vinte minutos . Já levo até um pedacinho de metal para coçar, que as minhas unhas
    não aguentam e não incha, não fica vermelho, nada.
    A pele fica normal, como se nada tivesse acontecido.
    Por favor me respondam.

    Cordialmente, Maria Macedo Silva

  4. Tenho uma coceira muito intensa nas coxas, principalmente quando uso calça jeans, ou short jeans. Quando era criança tinha alergia a lactose, empolava toda. Hoje em dia essa alergia voltou, já faz uns três anos que ela vai e volta e sempre no mesmo lugar. Quando o calor começa ela piora .

  5. Tenho crise horríveis , principalmente aparecem abaixo dos seios. E observei que estas crises começaram de forma mais frequente com o excesso a glúten e lactose: Cortei completamente. Agora , são os embutidos: salsichas e outros.
    Agradeço a todos por compartilharem, contudo, sem exageros esta doença associadas a tantas outras são indisciplinas nossas no cuidado alimentar, fora que neste país a ausência de higiene deste as marcas mais simples as mais caras é fato, a ignorância e dedicação à pesquisa dos profissionais de saúde e, claro, aceitando ou não a ética de um ser que é reencarnado e é fácil transferi para a religião ou descrença quando em tudo há conseguência a cada ato executado! Não peçamos a Deus cura , e sim, disciplinemos e mãos a obra para o estudo!!!

  6. Bom dia galera, tenho 17 anos, e sofro de urticaria colinergica há 5 anos, quando eu era menor, eu brincava, jogava bola, corria e tudo mais, e não tinha nenhuma alergia, e suava bastante, meu lembro muito bem, que era inverno e estava de casaco descendo um morro, e quando cheguei em casa eu estava completamente tomado pela alergia, eu e minha mãe entramos em um desespero, e tomamos nossas providencias, fomos ao alergista e tudo mais, evitei muitos alimentos, tomei bastante anti histaminco, e ela ainda insistia em ficar no meu corpo, eu me considero uma pessoa bem desanimada depois que descobri isso, minha vida mudou, não posso fazer nada, nada mesmo que vá aquecer meu corpo, eu realmente já não sei mais o que faço, e espero que outro alergista que vou consulta agora me ajude e que tenha resultado, começei um tratamento com limao, para desintoquisicação do corpo, para que me ajude com essa alergia,e eu ainda tenho fé que vá desaparecer um dia pra sempre, e fico muito triste de saber que não há uma cura direta pra isso, as vezes me pego sozinho, e começo a chorar, que daqui a um tempo vou estar brincado com meu filho e essa alergia ira vir no mesmo momento, choro sempre quando ela aparece, e peço a Deus a cura para isso, por que sei que não aparece na nossa vida a toa,.. tem um por que :/

  7. Olá, me chamo Larissa tenho urticária Rs’
    Tenho 18 anos a minha primeira crise foi aos meus 12 anos (desse tipo de urticária). Aprendi a “conviver com ela” na verdade a aceitar; lembro bem foi no dia das mães Dia: 11/05/2008… Primeiro começou com uns inchaços na minha cabeça (parece com “galo”, quando batemos nossa cabeça) passei mal, tive náuseas, dor de cabeça cheguei a desmaiar, me levaram ao hospital, me aplicaram um medicamento que eu não lembro o nome. Sumiu os inchaços, mas, no dia seguinte a urticária apareceu, fiquei toda empolada e acabei voltando para o hospital.
    Fiquei meses sem saber o que eu tinha, comendo o que não devia, tomando medicamentos que não podia, enfim fazendo tudo que não era pra fazer. Tive três choques anafiláticos sem saber o que era e nem a dimensão do problema, eu e minha família ficamos desesperados (achei que fosse morrer).
    Até que consegui uma dermatologista, mas, ela me encaminhou para uma alergista Dr. Suelly Carvalho, logo ela me falou que era uma urticária me explicou tudo sobre o assunto, ai veio o tratamento, ficar sem comer muuuuuitas coisas, não me expor à luz do sol, não tem contato com animas e ursos de pelúcia, usar produtos somente de crianças, comida não muito temperada, ficar longe de poeira, não comer nada de rua, sempre levar uma toalhinha para limpar o que ia pegar na rua, enfim, fiquei em muito contato com o mundo externo.
    Tomei vários remédios Hixizene, Desalex, Fernegan e outros que nem lembro o nome, fiz vários exames até descobrir que tinha alergia a peixe, coco, poeira, acaro, remédios, barata, cachorro entre muitas e muitas coias, fiquei proibida de fazer muito esforço físico, qualquer dor que eu sentisse só poderia tomar Paracetamol, mas o remédio não fazia mais efeito, tinha que ficar com dor enfim… Sofri até preconceito mas já era até normal.
    Fiquei limitada d fazer alguns exames por causa das medicações, por exemplo, uma endoscopia, mas graças a Deus achei uma solução.
    Hoje “ela” já esta mais controlada graças a Deus, não tive mais choque anafilático, aprendi a viver com minhas limitações, porém, continuo com os medicamentos, às vezes tenho algumas crises, não fiquei curada de nenhuma reação (cachorro, peixe…), mas já acostumei, sempre tenho que ir ao médico para ver como esta fazer exames de rotina, há e sei também que no futuro vou ter algum problema devido ao excesso de medicamentos e sei que isso não tem cura.
    Bom isso é um pouco da minha “pequena” história Rs’ só tenho a dizer que não tenham medo, apenas procure tratamento, porque sem tratamento é muito perigoso. Há e sempre ande com remédio no bolso pro caso de alguma crise. Tchall

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *