Vaginose Bacteriana

A vaginose bacteriana é uma infecção da vagina. Também é conhecida como BV e é uma das infecções vaginais mais frequentes. A vaginose bacteriana não costuma ser uma infecção séria, excepto se estiver grávida. Se estiver grávida, pode provocar aborto espontâneo e parto pré-termo. Normalmente, a infecção desaparece após cinco a sete dias de tratamento. Esta infecção pode recidivar mais do que uma vez.

Causas da vaginose bacteriana:

Não se sabe ao certo o que provoca a vaginose bacteriana. Normalmente, uma vagina saudável possui muitos tipos de germes “bons”. No caso da vaginose bacteriana, o número de germes bons é alterado. Os germes maus podem então avançar e provocar uma infecção. Existem muitas coisas que podem alterar o equilíbrio de uma vagina saudável. Algumas das causas podem ser a irrigação vaginal, certos sabões ou banhos de imersão, antibióticos ou a diabetes. A probabilidade de ter vaginose bacteriana aumenta proporcionalmente com o número de parceiros sexuais. O risco de ter uma BV aumenta se tiver uma DST (doença sexualmente transmissível). Os sprays ou pós da higiene feminina também podem ser uma causa para esta infecção.

Sinais e sintomas de vaginose bacteriana:

Pode ter um corrimento vaginal com uma cor branca ténue, cinzenta ou amarela e com um odor desagradável. O odor torna-se mais intenso após as relações sexuais. Outros sinais podem ser o prurido (comichão), o aspecto avermelhado ou a tumefação da vagina e da vulva (área à volta da vagina).

Como se Diagnostica:

O diagnóstico é feito com base nos sinais e sintomas clínicos associado aos seguintes achados: pH das secreções vaginais superior a 4,5; a microscopia óptica das secreções vaginais revela um número aumentado de clue cells, com ausência de leucócitos; a adição de KOH a 10% às secreções vaginais (teste de Whiff) liberta um odor a peixe.

Prevenção e Cuidados a ter:

  1. Guarde uma lista dos medicamentos que está a tomar e de quando e como é que os deve tomar. Leve a lista dos seus medicamentos ou os frascos de comprimidos quando for consultar o seu médico. Saiba porque é que toma cada um dos medicamentos. Peça informações ao seu médico relativamente ao seu medicamento. Não tome medicamentos sem falar primeiro com o seu médico.
  2. Tome sempre os seus medicamentos de acordo com as instruções fornecidas pelos médicos. Telefone ao seu médico no caso de julgar que os medicamentos não estão a ajudar ou se sentir que está a ter efeitos laterais. Não deixe de os tomar enquanto não falar com o seu médico.
  3. Pode utilizar um antibiótico para tratar esta infecção. O(s) seu(s) parceiro(s) sexual(ais) também pode(m) necessitar de tatamento. Tome os seus antibióticos até ao fim do prazo indicado pelo médico, mesmo se se sentir melhor.
  4. Mantenha a sua área genital limpa e seca. Tome banhos de chuveiro em vez de banhos de imersão. Utilize um sabão simples, sem perfumes
  5. Não utilize sprays ou pós para a higiene feminina. Não deverá tomar duches durante o tratamento, excepto se essa for a vontade do seu médico. Depois de ter eliminado a infecção, tome um duche apenas uma vez por semana.
  6. Não tenha relações sexuais enquanto estiver a ser tratada. Caso contrário, a infecção pode ser transmitida de si para o seu parceiro, e vice-versa.
  7. Utilize meias-calça ou cuecas com revestimento a linho na costura.
  8. Depois de urinar e de defecar, limpe da frente para trás, para evitar espalhar os germes.
  9. Fique longe de actividades que a façam transpirar, especialmente com tempo quente e húmido.

Contacte o seu médico se:

  1. Os seus sintomas se agravarem ou durarem por um período superior a sete dias.
  2. Tiver hemorragia vaginal que não seja menstrual.
  3. Os seus sintomas se manifestarem novamente após o tratamento. Tiver quaisquer problemas que possam ter sido provocados pelo medicamento que está a tomar.

Riscos e Complicações:

Vários estudos demonstraram uma associação entre vaginose bacteriana e o risco aumentado de doença pélvica inflamatória, doença inflamatória pélvica após aborto, infecção após cirurgia histerectomia e alterações na citologia cervical. Na grávida com vaginose bacteriana, verificou-se um aumento do risco de rotura prematura de membranas, parto pré-termo, coriamnionie e endometrite pós-cesariana.

Tratamento da vaginose bacteriana:

Pode utilizar um antibiótico para tratar esta infecção. O(s) seu(s) parceiro(s) sexual(ais) também pode(m) necessitar de tratamento.

Receba os novos artigos no seu email:

Em: Dermatologia, Saúde | Comentar

Deixe o Seu Comentário no Fórum

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *