Abacate

O abacate (Persea americana Mill.) é um fruto exótico carnoso que se obtém do abacateiro. Nalgumas regiões da América do Sul é conhecido como Palta. Apresenta umas dimensões de 5-6 cm de comprimento. O seu peso normal oscila entre 200-400 g, apesar de se poderem encontrar frutos até 2 kg de peso. A epiderme é grossa e dura de cor verde, cujo tom depende da variedade. A polpa é oleosa de cor creme a verde amarelada, com um sabor parecido com o da noz. Possui uma única semente, arredondada, de cor pardo claro e 2-4 cm, que aparece coberta de uma delgada capa lenhosa.

O fruto é uma baga com uma semente, oval , de superfície lisa ou rugosa. A mudança de cor produz-se apenas em algumas variedades e a maturação do fruto ocorre apenas quando este se separa da árvore.

A polinização desta espécie é efectuada por abelhas e outros insectos de idêntico tamanho.

Este fruto caracteriza-se por uma elevada percentagem de gordura. É muito energético e desaconselha-se a sua ingestão no final da refeição. Concretamente, 100 g deste produto fornecem entre 128 e 233 kcal. É um fruto muito rico em minerais, principalmente potássio, ferro e fósforo. O abacate é um fruto muito pobre em hidratos de carbono, não tendo mais de 2 gramas por cada 100, quando, por exemplo, uma maçã tem até 14 gramas. No entanto é apelidado de ‘manteiga vegetal’ por ser muito rico, como já se referiu anteriormente, em gordura. Mas esta gordura é saudável, vegetal, insaturada e sem colesterol.

Pode-se consumir tanto em cru como cozido, utilizando-se mais como uma hortaliça do que como fruta. Falta-lhe um sabor doce ou ácido característico, o que permite a sua combinação com muitos pratos.

Os abacates podem ser adquiridos durante todo o ano. A cor da epiderme depende da variedade e não indica o grau de maturação do fruto. O momento óptimo para o seu consumo conhece-se pelo amolecimento da polpa, quando se pode untar como manteiga. Os que não estão totalmente maduros deixam-se 2 ou 3 dias a amadurecer à temperatura ambiente, podendo-se deter a sua maturação introduzindo-os no frigorífico. De qualquer modo, há que ter em conta que este fruto não suporta temperaturas muito baixas.

O momento óptimo de colheita dos frutos ocorre quando se atingiu a maduração comercial, que é o momento aconselhável para a sua comercialização e consumo. Um dos índices utilizados para determinar o grau de maduração é a percentagem de óleo dos frutos. Na Califórnia o teor mínimo de óleo para efectuar a colheita deve ser de 8% e em Israel de 10%.

É uma espécie subtropical exigente em condições climáticas, pelo que o seu cultivo se reduz a zonas com temperaturas superiores à isoterma de 16-17ºC, e que em Espanha corresponde à zona costeira entre Málaga e Almería.

O seu principal problema de comercialização é que uma vez colhido, o seu processo de maturação é muito rápido, pelo que é necessário seleccionar tecnologias pós-colheita que atrasem a crise climatérica e/ou a síntese de etileno.

Fotos antes e depois

Antes e depois de aplicar um óleo enriquecido com aminoácidos derivados do óleo de abacate e vitamina E

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:13 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)