Alimentação á base de vegetais

Publicado por Equipe Editorial a 7 de junho de 2010 - Atualizado em 13 janeiro 2018

Alimentação á base de vegetais

O vegetarianismo é uma prática alimentar antiga que voltou a ganhar força na década de 70, com base em preocupações como a saúde, a ecologia e os animais. Hoje, a dieta é seguida por pessoas que buscam uma alimentação saudável e com motivações diversas como religião, economia e filosofia. “É considerado vegetariano quem elimina do cardápio o consumo de carne (boi, frango, peixe, frutos do mar)”, explicam as nutricionistas da Home Diet, Gisele Maluf e Karine Moritaca.

Engana-se quem acha que há somente um tipo de vegetariano. “Eles são divididos em diferentes categorias. Existem aqueles que além dos vegetais consomem ovos, leites e derivados; outros que ingerem certos alimentos de origem animal, como carnes de aves, peixes e frutos do mar e os vegetarianos restritos que não consomem produtos de origem animal, incluindo ovos, leite e derivados, gelatina e mel. Estes restringem também o uso de lã, couro, cosméticos e de produtos que tenham sido testados em animais”, esclarece Gisele.

Segundo as nutricionistas, existem algumas vantagens em seguir uma dieta vegetariana como: controle de peso; redução do risco de doenças cardíacas e intestinais; redução do desenvolvimento de câncer.

Apesar de todos esses benefícios, a alimentação vegetariana pode privar a pessoa de certos nutrientes, vitaminas e minerais. “São as doenças carenciais que ocorrerão de acordo com o tipo de dieta ingerida, de quanto é restritiva e da aceitação da pessoa aos cuidados médicos. Deve-se dar uma atenção maior à dieta de gestantes, mulheres em fase de ama-mentação, crianças, adolescentes e idosos vegetarianos, devido a necessidade de nutrientes, vitaminas e minerais que essa população exige. É preciso acompanhamento médico e nutricional”, alerta Karine.

Portanto, não existe dieta milagrosa. Para atingir o equilíbrio de uma alimentação saudável é preciso variar os tipos de alimentos e dosar as quantidades. “Incluindo aí, as pessoas adeptas da alimentação vegetariana. Seria recomendável realizar exames periódicos e se houver necessidade, uma suplementação dos nutrientes em defasagem. Logicamente isso deverá ter a orientação de especialistas”, recomendam Gisele e Karine.