Amamentação pode reduzir risco de Diabetes

A amamentação pode reduzir risco de diabetes, é a conclusão de estudos recentes sobre as consequências da amamentação para a vida futura da mãe que tem um filho.

Na verdade, foram efectuados diversos estudos sobre este tema, concluindo que os diabetes de tipo 2 são efectivamente reduzidos nas mães que efectuaram a amamentação.

De uma forma mais concreta, estima-se que nos 15 anos que seguem o último parto da mãe, cada ano que a mãe pratica a amamentação com o seu bebê reduz em cerca de 15% o risco da ocorrência futura de diabetes do tipo 2.

Para além do efeito benéfico sobre o potencial desenvolvimento de diabetes de tipo 2, estudos comprovam ainda que o risco de cancro da mama, no endométrio e nos ovários é também significativamente reduzido.

A UNICEF afirma que a amamentação deverá ser feita no bebê de forma exclusiva durante os seus primeiros seis meses de vida, e idealmente continuada durante cerca de dois anos.

No entanto, existem algumas mulheres que, por diversos motivos, não conseguem amamentar os seus bebês. seja por falta de leite ou por outros motivos.

Contudo, nestes casos existe uma técnica que se chama relactação, que é uma técnica em que é colocado um biberão entre os dois seios maternos. Depois, é colocada uma sonda nasogástrica num dos seios.

Assim sendo, o bebé irá na verdade mamar do seio da mãe de forma normal, mas o leite irá ser proveniente do biberão em vez de ser proveniente da fonte natural de leite materno.

A produção de leite materno poderá ser estimulada através desta técnica, e ela continua a propiciar alguns dos benefícios aqui referidos.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Faça um comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 15/01/2018 às 10:53 horas por: Diogo