Amoreira Branca (Morus alba): 12 Benefícios Surpreendentes

Publicado por Equipe Editorial a 9 de janeiro de 2018 - Atualizado em 10 abril 2018

O uso da amoreira branca é uma prática herbária extremamente popular em todo o mundo, com muitos benefícios na saúde que muitos desconhecem.

Amoreira Branca (Morus Alba), 12 Benefícios Surpreendentes

O Que É a Amoreira Branca?

A amoreira branca é uma pequena variedade da amoreira, cientificamente conhecida como Morus alba,  nativa do norte da China.

A pequena árvore é famosa pelas suas folhas, uma fonte primária de nutrientes para bichos-da-seda, uma grande indústria nesta região do mundo. No entanto, na medicina tradicional, as folhas, frutos e a casca são utilizados de várias formas, devido ao seu elevado teor de flavonóides, e outros nutrientes essenciais, como a vitamina C, cálcio, proteínas e ferro.

Os ingredientes ativos mais importantes da planta incluem: luteolina, ácido cafeico, ácido gálico, resveratrol, moracina, entre outros.

As folhas secas da árvore são tipicamente transformadas em chá, enquanto a fruta tende a ser seca / desidratada e consumida diretamente.

O óleo essencial das folhas é extremamente potente e recomendado para pessoas com algumas condições de saúde, especificamente a diabetes.

Atualmente a árvore está presente em muitas outras regiões do mundo, inclusive nos Estados Unidos.

Constituintes da Morus Alba

A Amora Branca é Um Pequeno Fruto De Uma árvore Nativa Do Norte Da China, A Morus Alba, Uma Planta Que Contém Muitos Compostos Ativos E Flavonóides único

A Morus alba contém muitos polifenóis naturais e flavonóides, com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, anti-câncer, antibacterianas e anti-envelhecimento [ R , R ].

Em comparação com os caules e frutos, as folhas contêm mais compostos fenólicos e flavonóides [ R ].

Alguns dos compostos presentes na Morus alba incluem [ R , R , R , R , R ]:

  • Rotina
  • Apigenina
  • Luteolina
  • Morina
  • Isoquercitrina
  • Antocianinas
  • Resveratrol (e seus derivados, como oxyresveratrol)
  • Ácido cafeico
  • ácido gálico
  • Umbeliferona
  • Ácido clorogênico
  • Kuwanon C e G [R]

Além disso, contém muitos constituintes exclusivos da planta:

  • Moracina tem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e anticancerígenas [ R ]
  • O albol A é tóxico para as células cancerígenas e pode induzir a morte celular (apoptose) [ R ]
  • A alosteróide tem propriedades antioxidantes e antiulcerosas [ R ]

Benefícios Da Amoreira Branca

Os principais benefícios da amoreira branca incluem a sua capacidade em tratar a diabetes, estimular o sistema imunológico, reduzir a fadiga, aliviar a ansiedade, entre outros.

Anti-inflamatório

A extensa variedade de compostos ativos e ácidos voláteis presentes nas suas bagas brancas dá-lhes propriedades anti-inflamatórias, tornando-se ideal para pacientes com artrite, bem como pessoas que sofrem de inflamação crônica, gota, enxaquecas, ou síndrome do intestino irritável (SII).

Impulsiona o sistema imunológico

Os Frutos da Morus alba possuem compostos que aumentam a atividade dos macrófagos e potencializam a resposta imune [ R ].

Os extratos das folhas da Morus alba ativam o sistema imunológico. Nas células de camundongos, os extratos estimularam a atividade do NO e da PGE2. Também ativou outras citocinas (TNF- α, IL-1β , IL-6 e IL-10) que aumentam a resposta imune [ R ].

Saúde do coração

Pesquisas descobriram que comer amoras brancas pode ajudar a diminuir os níveis totais de colesterol, elevando os níveis de HDL, as “boas” gorduras, reduzindo assim o risco de aterosclerose, ataques cardíacos, acidente vascular cerebral, doença cardíaca coronária, entre outros.

O extrato da planta reduz a pressão sanguínea através de uma via de óxido nítrico. O extrato ativa as proteínas PERK e HSP 90. Isso ativa a transmissão da eNOS e reduz a pressão arterial [ R ].

Ao melhorar esses parâmetros, a planta mantém o coração saudável e previne doenças cardíacas.

Depressão

Um dos componentes ativos da casca da amoreira branca possui qualidades antidepressivas conhecidas quando preparado em forma de chá. Antes de usar este chá de ervas regularmente, consulte o médico, especialmente se já estiver tomando algum medicamento antidepressivo.

A planta aumenta o GABA e reduz a dopamina, que produz efeitos anti-ansiedade [ R , R ].

Em camundongos, o extrato reduziu os comportamentos induzidos pelo estresse e teve efeitos anti-ansiedade [ R ].

Pode ajudar a prevenir a obesidade

A combinação de Morus alba e outros extratos vegetais inibiu o apetite e reduziu os níveis de gordura [ R , R ].

Ao melhorar o metabolismo da gordura, a planta ajuda a reduzir o ganho de peso e pode prevenir a obesidade [ R ].

A planta também protege contra doenças relacionadas à obesidade. Em camundongos, o extrato de folhas manteve os níveis de Nrf2 equilibrados, que equilibra a produção de gordura, produz enzimas antioxidantes e previne doenças do fígado gordo relacionadas à obesidade [ R ].

Clareia a pele

Tanto a casca da raiz quanto as folhas podem clarear a pele [ R ].

O Mulberroside F, composto presente na planta, inibiu a formação de melanina e a atividade da tirosinase em células. Esta acção pode impedir a pigmentação na pele, podendo ser potencialmente usada em cosméticos para clarear a pele [ R ].

Diabetes

Esta planta é talvez mais conhecida pelos seus efeitos sobre a diabetes; o ingrediente ativo da amoreira branca, vulgarmente referido como DNJ, é capaz de desligar ou abrandar o processamento de açúcar no corpo, resultando em níveis de açúcar no sangue mais manejáveis. Este benefício pode melhorar muito a qualidade de vida dos pacientes diabéticos.

Risco de câncer

Os antioxidantes presentes nas folhas e bagas mostraram induzir a morte celular e prevenir o crescimento e replicação de células cancerígenas. Embora a maioria das pesquisas tenha se centrado nos efeitos do câncer colorretal, estão em andamento pesquisas adicionais para outros tipos de câncer.

O efeito anti-câncer da Morus alba surge devido aos compostos (morusina e Kuwanon C e G) que previnem o crescimento celular e aumentam a morte celular nas células cancerígenas [ R ].

O extrato da casca da raiz também diminuiu os níveis de proteína ciclina D1 nas células cancerígenas. Este benefício faz com que o ciclo celular pare. [ R ].

Resposta ao estresse

A resposta ao estresse no organismo é responsável por tudo, desde os níveis de ansiedade aos processos metabólicos, sendo que, usar este chá para equilibrar o sistema nervoso e resposta ao estresse pode ajudar na inflamação crônica, alterações de humor e tudo mais!

Fadiga

Se sofre de fadiga crônica, ou simplesmente deseja ter mais de energia, uma xícara de chá de amora branca pode estimular os níveis de energia física e mental.

Memória e função cerebral

O extrato das folhas da planta foi estudado extensivamente pelo seu impacto na memória e função cerebral. As pesquisas mostram que o uso do extrato pode estimular a atividade neural, o que poderá ajudar no tratamento do Alzheimer.

É antimicrobiana

As Folhas de Morus alba e  a casca da raiz são antimicrobianas devido aos seus flavonóides, alcaloides e estilbenoides. Também ajuda a parar patógenos orais, o que pode melhorar a saúde bucal [ R ].

Kuwanon G, presente na casca da raiz da planta, inibiu significativamente o crescimento de bactérias nas células. As bactérias (Streptococcus mutans, S. sobrinus e S. sanguis e Porpyromonas gingivalis) são causadoras de cáries e gengivite [ R ].

O extrato da planta também apresentou atividade antimicrobiana em camundongos (contra Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa, Candida albicans, Candida krusei, Candida tropicalis e Aspergillus flavus ) [ R].

Possíveis efeitos colaterais

Amora Branca

  • Dor de estômago [ R ]
  • Náuseas [ R ]
  • GasesR ]

Dosagem /Como tomar

Atualmente não existem dosagens recomendadas para suplementos de Morus alba. Num ensaio clínico realizado, a administração diária de 1 a 2,1 gramas de extrato de Morus alba não teve efeitos tóxicos [ R ].

Interações medicamentosas

Uma vez que o uso da planta pode diminuir os níveis de glicose, se usada em combinação com medicação para diabetes, pode aumentar o risco de hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue) [ R ].

Em ratos, verificou-se que a planta diminuiu a absorção e a concentração sanguínea de ciclosporina, um medicamento usado em pacientes transplantados. Pacientes com transplante de nervo, fígado ou rim devem evitar tomar suplementos de Morus alba [ R ].

Referências

https://www.sciencedirect.com/
http://onlinelibrary.wiley.com/
https://www.sciencedirect.com/
https://www.sciencedirect.com/
https://www.jstage.jst.go.jp/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
https://bmccomplementalternmed.biomedcentral.com/
https://www.researchgate.net/
https://www.sciencedirect.com/