Anemia Aplástica - Sintomas, tratamento, causas, diagnóstico e prevenção
Fotos Antes e Depois

Anemia Aplástica

A anemia aplástica é uma doença extremamente rara e potencialmente fatal, em que a medula óssea não produz células de sangue suficiente.

As pessoas que sofrem de anemia aplástica têm baixos níveis dos três tipos de células do sangue:

  1. glóbulos vermelhos que transportam oxigênio
  2. glóbulos brancos que combatem infecções
  3. plaquetas, que ajudam na coagulação do sangue

anemia aplástica

A anemia aplástica é um problema que está relacionado com as células da medula óssea e as células tronco chamadas também de células mãe ou células estaminais.

As células estaminais são células básicas que se desenvolvem em três tipos de células do sangue.

Na anemia aplástica, as células-tronco são destruídas ou não se desenvolvem adequadamentese devido a alterações na medula óssea.

Causas

Existem vários fatores podem causar esse problema. Estes incluem:

  • exposição à radiação (doença da radiação)
  • quimioterapia
  • toxinas ambientais (pesticidas, benzeno, mostarda nitrogenada)
  • várias drogas, incluindo cloranfenicol (Chloromycetin), fenilbutazona (Butazolidin), sulfonamidas (Gantanol e outros), anticonvulsivantes, a cimetidina (Tagamet) e outros
  • determinadas infecções virais, incluindo hepatite B, parvovírus B19, HIV e mononucleose infecciosa (infecção viral por Epstein-Barr)
  • doença auto-imune no qual o organismo ataca o seu próprio sangue, as células-tronco.

Algumas pessoas são mais propensas a desenvolver a anemia aplástica devido a factores genéticos (herdados).

A anemia de Fanconi é uma doença hereditária que causa anemia aplástica e também algumas anormalidades físicas.

Algumas mulheres desenvolvem uma forma mais branda de anemia aplástica durante a gravidez, que tende a desaparecer após o parto.

Em 50 a 65% dos pacientes que sofrem de anemia aplástica, a causa da doença não está bem definida.

A doença afeta cerca de 25.000 a 40.000 pessoas tratadas com cloranfenicol (atualmente, pouco utilizado).

No entanto, aparece com muito menos frequência em doentes tratados com outras drogas.

Sintomas de anemia aplástica

De Acordo Com O National Heart, Lung, And Blood Institute, As Nódoas Negras, Hematomas São Um Sintoma De Anemia Aplástica

Os sintomas e sinais de anemia aplástica são:

  • pele pálida
  • fadiga
  • fraqueza
  • vertigem
  • tonturas
  • hematomas (nódoas negras)
  • taquicardia (pulso rápido)
  • sopro cardíaco
  • pequenas áreas de hematomas e sangramento na pele
  • sangramento anormal das gengivas, nariz, vagina ou trato gastrointestinal, ou sangue na urina
  • infecções

Diagnóstico

O médico irá verificar o seu histórico médico e pedir-lhe para descrever os seus sintomas. Algumas perguntas abordadas pelo médico:

  1. Você vive ou trabalha numa área de exposição a substâncias químicas tóxicas ou radiação?
  2. Quais são os medicamentos que toma?
  3. Já teve hepatite, mononucleose ou outras infecções virais?
  4. Existe algum histórico familiar de anemia aplástica ou de outras doenças do sangue?

O seu médico irá verificar se existem sinais de anemia aplástica. Em seguida, irá fazer exames de sangue para medir os níveis de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

Há suspeita de anemia aplástica quando os testes mostram que os níveis dos três tipos de células do sangue são extremamente baixos, embora as células pareçam normais.

Para confirmar o diagnóstico deve realizar um exame chamado biópsia de medula óssea.

Nessa biópsia, será recolhida uma pequena amostra da medula óssea, através da inserção de uma agulha no osso ilíaco, localizado abaixo da cintura em ambos os lados da coluna.

Essa amostra é examinada em laboratório.

Em geral, o hematologista (médico especialista em doenças do sangue) confirma o diagnóstico de acordo com os resultados das descobertas da medula óssea e exames básicos de sangue.

Duração da doença

A duração da anemia aplástica depende da sua causa, gravidade da doença, idade do paciente e da resposta à terapia.

A anemia aplástica é uma doença muitas vezes de curto prazo quando se desenvolve devido a exposição a determinados tipos de drogas, gravidez, mononucleose infecciosa ou radiação de baixa dosagem.

No entanto, outras vezes é um problema a longo prazo, quando a causa é desconhecida ou quando ela desenvolve-se como resultado de hepatite, certas toxinas (benzeno, solventes, inseticidas), certos medicamentos, altas doses de radiação ou doenças auto-imunes.

Prevenção

Você pode prevenir-se de algumas formas de anemia aplástica, evitando a exposição a toxinas, radiação e drogas que podem causar doenças.

Para evitar o vírus da hepatite B (uma das causas da anemia aplástica), pode vacinar-se contra este tipo de hepatite.

O HIV (vírus da imunodeficiência humana) e a hepatite B pode ser prevenida, se você fizer sempre sexo “seguro” e evitar o uso de drogas intravenosas.

Tratamento para anemia aplástica

O tipo de tratamento para a anemia aplástica depende de sua causa e gravidade.

Se é uma morbidade a curto prazo relacionada com drogas, gravidez, doses baixas de radiação ou a mononucleose infecciosa, é provável que recupere sem qualquer tratamento.

No entanto, os sintomas podem ser tratados.

Por exemplo, os episódios de sangramento podem ser tratados com transfusões de plaquetas e glóbulos vermelhos, enquanto que as infecções podem ser tratadas com antibióticos.

É possível que as mulheres com formas moderadas de anemia aplástica recebam prescrições de contraceptivos orais para que não haja tanto fluxo menstrual.

Em casa, você deverá usar sabonetes anti-sépticos, fazer a barba com máquina elétrica, em vez de lâminas para evitar sangramentos causados pelos cortes desnecessários e, não deve praticar desportos de contato.

Além disso, o seu médico poderá receitar também laxantes para a obstipação quando causa hemorragia retal.

Os dois principais tratamentos para a anemia aplástica grave e a anemia aplástica crônica é o transplante de medula óssea e a terapia imunossupressora.

O transplante de medula óssea é a terapia mais eficaz, mas as hipóteses de morrer durante o tratamento aumenta com a idade. Portanto, esta terapia é ideal para crianças, adolescentes e adultos jovens.

Além disso, o tratamento é seguro quando o paciente tem um irmão que tem um tipo semelhante de medula óssea para fazer a doação.

Apenas cerca de 30 por cento das pessoas que necessitam do procedimento tem irmãos que podem ser doadores. Em alguns casos, recorrem a um doador que seja compatível, mas não relacionado ao paciente.

No entanto, a taxa de complicações é maior quando o doador não é um irmão.

Alguns pacientes são tratados com drogas imunossupressoras, em vez de transplantes de medula óssea.

Estes medicamentos incluem Globulina antitimócitos ( Timoglobulina), conhecida como ATG, globulina antilinfócito (ALG), prednisona (Deltasone, Orasone, Meticorten) e ciclosporina (Neoral, Sandimmune, SangCya).

A produção de células do sangue também é estimulada pela eritropoietina (hormônio), o fator estimulador de colônia para granulócitos (G-CSF) ou outras drogas de fatores de crescimento hematopoético.

Quando chamar um profissional

Chame imediatamente o seu médico se você notar nódoas negras na pele ou se desenvolver hemorragias nasais frequentes, sangramento nas gengivas, sangramento menstrual intenso ou sangramento retal.

Previsão

O prognóstico da anemia aplástica depende de sua causa e gravidade, assim como a saúde e a idade do paciente.

Os casos são secundários a certos medicamentos, gravidez, doses baixas de radiação ou a mononucleose infecciosa são frequentemente complicações a curto prazo (anemia, sangramento, aumento de infecções) geralmente pode ser tratada.

É provável que as mulheres que desenvolvem anemia aplástica durante a gravidez também apresentem o problema em gestações futuras.

A aplasia medular pode ser fatal quando severa e crónica.

Entre 70 e 90% dos pacientes que receberam transplantes de medula óssea a partir de um dador da família sobreviveram.

As taxas de sobrevivência são muito mais baixas nos doentes que recebem um transplante de um doador que não está relacionado com a familia.

Quando não é possível realizar um transplante de medula óssea, cerca de 50% dos pacientes respondem bem à terapia imunossupressora.

No entanto, os sobreviventes de longo prazo que recebem essa terapia estão mais propensos a desenvolver cancro, especialmente leucemia aguda.

Informações adicionais

A anemia aplástica e Fundação Internacional do MDS, Inc. (Anemia Aplástica Fundação Internacional e síndrome mielodisplásica) PO Box 613 Annapolis, DM 21404-0613 Telefone: (410) 867-0242 gratuito: (800) 747-2820 Fax: (410) 867 -0240 www.aplastic.org

National Heart, Lung, and Blood Institute NHLBI ( National Heart, Lung and Blood) 6701 Rockledge Drive PO Box 30105 Bethesda, DM 20824-0105 Telefone: (301) 592-8573 . nih.gov /

One Comment

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. Foi descoberto agora no meu irmão com 85 anos a ANEMIA APLÁSTICA, ele foi parar no hospital, tomou 9 bolsas de sangue. Voltou para casa, depois de uma semana passou mal, voltou ao hospital, nos exames, perceberam que os globos brancos tomaram a frente. O sintoma dele foi a vista turva e mal estar, muito cansaço, falta de ar. Os médicos já falaram que não há nada o que fazer. E que nem adianta mais transfusão de sangue, pois no exame, que fizeram ele está com a taxa normal de sangue para um organismo. Mas o problema é que a medula não está formando plaquetas necessárias no glóbulo vermelho.( Estou descrevendo há grosso modo) Sobre saem os glóbulos brancos.Nesse caso, qual seria o tratamento?

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade