Anemia Hemolítica Induzida por Drogas

Características do diagnóstico
Anemia hemolítica imune decorrente do reconhecimento do fármaco ou da membrana eritrocitária por anticorpos do hospedeiro.
Início agudo a subagudo; níveis elevados de LDH, hiperbilirrubinemia, reticulocitose.
Raramente, apresentação fulminante com anormalidades laboratoriais já mencionadas mais hemoglobinemia-hemoglobinúria,
insuficiência renal e instabilidade hemodinâmica.
Teste de Coombs positivo com sangue do paciente; o teste de Coombs utilizando eritrócitos reagentes só é positivo na presença do fármaco ofensivo.

Diagnóstico diferencial
. Anemia hemolítica auto-imune
. Anemia hemolítica microangiopática (p. ex., coagulação intravascular disseminada, púrpura trombocitopênica trombótica)
. Hemólise tardia relacionada com transfusão
. Perda de sangue

Tratamento
Suspender o fármaco ofensivo.
Plasmaférese para os casos graves, especialmente quando o fármaco possui meia-vida sérica longa.
Imunoglobulina intravenosa, esteróides potencialmente benéficos.

Dica
Uma situação problemática em paciente de medicina interna: como muitos fármacos podem causá-la, e visto que os pacientes típicos fazern uso de muitos fármacos, a única maneira de ter certeza é eliminar os fármacos um por um até observar melhora.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:25 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)