António Costa

António Luís dos Santos da Costa nasceu em Lisboa a 17 de Julho de 1961. António Costa é filho do escritor Orlando da Costa, um escritor português autor de diversas obras de poesia e de teatro, as mais relevantes das quais: “A Como Estão os Cravos Hoje” em 1984 e “Os Netos de Norton” em 1994.

A sua mãe, Maria Antónia Palla, foi jornalista.

Curiosamente, o meio-irmão de António, Ricardo Costa é também ele um conhecido jornalista português, antigo diretor da SIC Notícias e atual diretor do jornal “Expresso”.

António Costa Antes e Depois e Biografia

1980

António Costa estudou Direito, na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

No seu percurso universitário, António Costa demonstrou a sua capacidade de liderança e a sua queda para o associativismo, ao tornar-se dirigente da Associação Académica entre 1982 e 1984.

Mais tarde foi diretor da Revista da Associação Académica da Faculdade de Lisboa – AAFDL entre 1986 e 1987.

Os seus estudos só ficaram completos com uma pós-graduação em Estudos Europeus, no Instituto Europeu, da Universidade Católica. Concluídos os seus estudos, exerceu advocacia durante alguns anos, até decidir apostar em pleno na sua carreira política.

António Costa integrou a Juventude Socialista durante a sua juventude e mais tarde, tornou-se militante do Partido Socialista.

Tornou-se deputado na Assembleia Municipal de Lisboa em 1982, mantendo essa função até 1993.

1990

Em 1991, tornou-se deputado à Assembleia da República, na VI Legislatura, sendo eleito pelo Círculo Eleitoral de Lisboa.

Nos quatro anos desta legislatura, António Costa foi um deputado particularmente interventivo, apresentando mais de 20 projetos de lei.

António Costa voltou a ser eleito deputado à Assembleia da República na legislatura seguinte, voltando a ser eleito pelo círculo de Lisboa.

Em 1993, apresentou-se como candidato à presidência da Câmara Municipal de Loures, mas acabaria por ser derrotado, e tornar-se vereador.

Entre 1987 e 1990, António Costa também foi membro do Secretariado Nacional do Partido Socialista, voltando novamente a integrar esse organismo a partir de 1994.

Integrou o XIII Governo Constitucional de Portugal, liderado por António Guterres, inicialmente como secretário de Estado e a partir de 1997, como ministro dos Assuntos Parlamentares.

António Costa manteve-se no governo seguintes, mas desta vez como ministro da Justiça, cargo que ocupou até 2002.
Entre 1997 e 1999, acumulou a pasta dos Assuntos Parlamentares com a organização da Expo 98, sendo assim um dos responsáveis pelo sucesso que foi o evento.

2000

Entre 2001 e 2004, chefiou o Grupo Parlamentar do Partido Socialista. De 2004 a 2005, esteve no Parlamento Europeu, como eurodeputado e como vice-presidente.

Em 2005, voltou a integrar as listas do Partido Socialista ao governo. Com a vitória de José Sócrates, António Costa recebeu a pasta de Ministro de Estado e da Administração Interna, que assumiu entre Março de 2005 e 17 de Maio de 2007, altura em que abandonou a função, para se candidatar às eleições autárquicas da Câmara Municipal de Lisboa.

Na eleição intercalar da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa liderou a lista do Partido Socialista e teve como principal opositor, Carmona Rodrigues, da lista I “Lisboa com Carmona” e Fernando Negrão, do Partido Social Democrata.

Costa venceu com 29,49% dos votos, contra os 16,55% de Carmona e os 15,85 de Negrão e tornou-se Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Nas Autárquicas de 2009, Costa recandidatou-se, mas encontrou desta vez a oposição de uma coligação alargada, liderada por Pedro Santana Lopes. A coligação “Lisboa com sentido”, agregava o PPD/PSD, o CDP-PP, o MPT e o PPM.

Numa eleição que se afigurava como altamente competitiva, António Costa conseguiu a vitória com mais de 40% dos votos, contra apenas 15%, da lista de Santana Lopes.

O resultado alcançado por Costa em Lisboa, foi sempre o melhor resultado de sempre, do Partido Socialista, naquela cidade.

A partir de 2008, António Costa passou a integrar o programa “Quadratura do Círculo”, da SIC Notícias.

Trata-se de um programa de debate, centro em questões de cariz político e económico, no qual Costa é um dos comentadores residentes, juntamente com José Pacheco Pereira e António Lobo Xavier.

O jornalista Carlos Andrade modera e completa o quarteto. O programa é emitido todas as quinta-feiras, depois das 23 horas.

António Costa é casado com Fernanda Maria Gonçalves Tadeu desde 31 de Julho de 1987. O casal tem dois filhos: Pedro Tadeu da Costa, nascido em 1990 e Catarina Tadeu da Costa, nascida em 1993.

Como curiosidade, refira-se que António Costa é primo em segundo grau de Sérgio Castelo Branco da Silva Vieira, conhecido advogado e político de Moçambique, que já foi no passado ministro, e do excêntrico José Castelo Branco, conhecido membro do jet-set português e negociador de arte, que se popularizou por ter participado em vários reality shows televisivos.

2010

Pouco dado a polémicas, António Costa viu o seu nome envolvido no polémico “Caso das Secretas”, quando se soube que tanto ele, como o seu irmão, haviam sido investigados pelo SIS (Serviço de Informações de Segurança).

Apesar do documento centrar-se sobretudo na vida do seu irmão, diretor do jornal “Expresso”, António Costa também viu o seu nome ser referido várias vezes.

A grande polémica que marca o atual mandato de António Costa, passa pela problemática das fronteiras dos concelhos de Lisboa e de Loures, devido à criação da freguesia do Parque das Nações, que possui território em ambos os concelhos.

Sendo também necessário referir a polémica expansão do terminal de contentores de Alcântara, que fez correr muita tinta no município de Lisboa e que originou bastante contestação por parte dos partidos da oposição.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Esta matéria tem 4 Comentários
  1. Paula Reply

    Não sou militante de nenhum partido, só espero que consiga fazer melhor que os que por la passaram antes de si.

    Acabar com as promessas falsas, e não meta ao bolso $ do povo. Acabe com a baixeza de qualidade do nosso Portugal, ja chega de os outros países se rirem de nos. Sera que vai faze-lo? Veremos, nao seja outro “Socrates”.

  2. luisa Reply

    Na verdade, tenho em António Costa confiança. Acho que será um bom 1º ministro. È um homem sério.
    Força, António Costa.

  3. Anabela Martins Reply

    Drº. António Costa. Faço minhas as palavras do Jorge Cardoso. Compreendo cada vez mais as razões pelas quais escolheu a palavra confiança para a sua campanha. Confiança e segurança é o que nos transmite.
    Por mais malabarismos e aldrabices que o Passos Coelho tente, António Costa é tão genuíno que destrói todos os argumentos e mentiras que o referido senhor tenta utilizar descaradamente.
    Com os media todos contra, com todo o tempo de antena que dão à coligação, com quase todos os comentadores a tentarem elevar PC depois da enorme derrota do debate televisivo, mesmo com um 2º debate televisivo camuflado, hoje na TSF (?!) não conseguirão apagar os crimes contra os cidadãos de um estado democrático cometidos durante 4 anos.
    O que hoje ouvi no final do debate na rádio sobre educação revoltou-me imenso. Por favor Drº António Costa falta uma descrição detalhada de tudo o que o governo PS conseguiu antes do governo actual e que a mesma destruiu. Vem agora Passos Coelho dizer que vai fazer tudo aquilo que destrui ao longo de 4 anos? O ensino profissional, a educação de adultos ao longo da vida, o inglês e, o prolongamento do horário escolar e a criação dos ATL, a introdução das TIC no 1º ciclo, etc, etc, isto sem esquecer a obra fantástica do Prof. Mariano Gago no ensino superior e investigação. Como professora de Física reformada peço-lhe que dê enfase à importância da educação e da escola pública e também à necessidade de nos tornarmos cada vez mais independentes do petróleo através do apoio ao desenvolvimento das energias alternativas , como tão inteligentemente José Sócrates estava a tentar fazer. Cientifica e historicamente sabemos que a energia é a maior causa das querras no mundo lado a lado com o capitalismo selvagem do qual o actual governo é um (in)digno representante. Força Drº. Costa estamos consigo.

  4. Jorge Cardoso Reply

    Caro
    António Costa

    Não sou militante do PS nem de NENHUM PARTIDO, mas quero expressar-lhe o meu apoio, pois entendo que é a pessoa em Portugal com o perfil, experiencia, inteligencia e moderaçao capaz de satisfazer todos os portugueses e o dar bom rumo a Portugal.
    Bem haja e boa sorte.
    Jorge Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 5:06 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)