Bebé cheio de febre – Aprenda a baixar-lhe a febre

Aprenda a baixar-lhes a febre

A primeira reacção de uma mãe que verifica que o seu filho está com febre é quase sempre a mesma: ligar imediatamente para o pediatra ou correr para o hospital. Mas a verdade é que, na maior parte dos casos, não há razão para entrar em pânico.

Mais tarde ou mais cedo, todos os pais são confrontados com esta situação. O bebé está cheio de febre. O que fazer? A febre é um sinal de que nem tudo está bem com o seu filho. Mas não só. A febre é também a forma que o organismo encontra para combater algumas infecções. Por essa razão, é mais importante tomar uma atitude de vigilância do que de pânico.

Defender de invasões
A temperatura normal do corpo situa-se perto dos 37º mas a de uma criança pode variar entre os 36 e os 37,5º. A nossa temperatura é regulada através do nosso cérebro, mais exactamente do hipotálamo. É este “termóstato” que assegura o nosso equilíbrio térmico que deve rondar os 36,4 e os 37º de manhã e os 37 e os 37,9º à noite. Isto porque factores exteriores ao nosso organismo, como por exemplo a atmosfera, podem influenciar a temperatura do corpo. Além destes estímulos, o corpo está também preparado para enfrentar algumas invasões. Através da febre, o organismo tenta defender-se de vírus, bactérias ou qualquer outro invasor do corpo.

A febre não é mais do que a plano de ataque que o organismo põe em prática para combater o “inimigo”. Este é o processo normal num adulto, mas numa criança o sistema de regulação da temperatura ainda não está desenvolvido e por isso pode pregar alguns sustos aos pais. No caso dos recém-nascidos, uma pequena alteração pode ser suficiente para provocar uma mudança de temperatura. Vestir-lhe mais roupa que a necessária, deixá-lo num espaço mais quente que o habitual podem ser motivos para que o corpo reaja fazendo subir a temperatura do corpo. Na maior parte dos casos, esta ligeira subida de temperatura não significa absolutamente nada e num esfregar de olhos volta tudo ao normal.

Por todas estas razões, e por estranho que pareça, podemos mesmo falar das vantagens da febre. Além de ser um meio natural de defesa do organismo que elimina algumas toxinas através da respiração, alerta-a para o estado de saúde do seu bebé.

Uma questão de temperatura
Se a temperatura não for muito elevada (entre os 38 e os 38,5º) e a febre não for acompanhada de nenhum outro sintoma (vómitos, diarreia, etc.) não haverá razão para alarmismos. Fique atenta e se a situação se mantiver por mais de 24 horas é aconselhável procurar um médico. Se a febre for alta deve tentar baixá-la para diminuir o desconforto do bebé e reduzir o risco de hipertermia e desidratação. Pode-se considerar que a criança tem febre quando apresenta valores superiores a:

37,8º de temperatura oral;

38º de temperatura rectal;

37,2º de temperatura axilar.

Sempre que o bebé tiver febre deve tomar bastantes líquidos (água, sumo ou leite) para evitar uma desidratação. No entanto, no caso de a febre ser acompanhada por qualquer outro sintoma ou ser muito alta deve consultar o médico de imediato. Em casos em que a temperatura corporal ultrapasse os 41º, passa a considerar-se que existe uma hipertermia ou hiperpirexia. Resulta do desequilíbrio entre a produção e a perda de calor e atinge com mais frequência crianças com menos de dois anos de idade porque ainda têm os mecanismos de regulação da temperatura um pouco imaturos. A hiperpirexia é bastante grave e pode causar alterações neurológicas, por isso deve dirigir-se de imediato ao hospital.

Como baixar a febre?

– dispa o bebé e deixe-o apenas com uma camisola de manga curta. Pode parecer pouco, mas não é;

– coloque a criança num ambiente pouco aquecido;

– se tiver em casa algum remédio com paracetamol (receitado pelo médico e indicado para a criança) pode dar-lho para que baixe a febre. O paracetamol é o medicamento mais usado para baixar a febre e existe em forma de supositórios (lactente: 125mg; infantil 250 mg e júnior 500 mg), xarope (200 mg por 5 ml) e comprimidos (500 mg);

– dê-lhe um banho morno (nunca de água fria) ou passe um pano com água morna pelo corpo.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 1 Comentário
  1. Miguel Mateus Reply

    Foi muito interessante saber mais sobre a febre em bebes porque o meu filho teve febre muito alta e teve convulsões que foram muito preocupante ao ponto de minha esposa pensar que o menino xta a morrer por causa da intensidade das convulsões…obrigado pelo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:54 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)