Bronquiolite

A bronquiolite é uma infecção do sistema respiratório, que se caracteriza por provocar uma inflamação e acumulação de muco nos brônquios e bronquíolos.

bronquiolite

Os bronquíolos são as ramificações que entram em ambos os pulmões e são responsáveis pela entrada e saída de ar nos alvéolos pulmonares.

Assim, é fácil perceber que uma bronquiolite pode ser bastante debilitante, pois dificulta bastante a capacidade respiratória do indivíduo.

Além de ser debilitante, a bronquiolite também é muito contagiosa, razão pela qual é importante conhecer-se a doença. A deteção precoce da bronquiolite permite iniciar um tratamento eficaz o quanto antes.

Causas da bronquiolite

Como se trata de uma doença de origem inflamatória, o principal responsável pelo seu aparecimento é um vírus, neste caso o vírus sicicial respiratório. Cerca de 70% dos casos de bronquiolite têm origem neste vírus.

No entanto, estudos mais recentes demonstraram que outros vírus vulgarmente conhecidos por provocarem as gripes e constipações comuns, também podem ser responsáveis por este problema respiratório.

Eles são o rhinovírus, adenovírus, influenza, parainfluenza, etenovírus, metapneumovírus, eterovíris e bocavirus.

Também é importante referir que uma bronquiolite pode ser provocada por dois ou mais dos vírus referidos, o que faz com que o quadro clínico possa ficar mais agressivo e difícil de tratar.

Existem ainda outras causas que estão diretamente relacionadas com o surgimento de episódios de bronquiolite, nomeadamente:

  • Intoxicação devido a gases tóxicos
  • Inalação de cocaína
  • Inalação de fumo (em incêndios), de gases tóxicos ou poeiras
  • Fumar
  • Outras infeções respiratórias
  • Reação à toma de algum medicamento

Quem é mais vulnerável a uma bronquiolite

O principal grupo de risco de bronquiolite são os bebés até aos 2 anos de idade, especialmente entre os 3 e 6 meses.

O seu sistema imunitário ainda fraco e a imaturidade dos pulmões fazem com que as crianças desta idade sejam mais afetadas pela doença em causa.

Os bebés prematuros e com problemas de saúde incorrem num maior risco de adoecer com uma bronquiolite.

Também há outros fatores que podem aumentar o risco da doença nos bebés, como:

  • Ser do sexo masculino
  • Estar exposto ao fumo de tabaco
  • Não ter sido alimentado com leite materno pelo menos até aos 2 meses
  • Frequentar uma escola (devido ao risco de contagio de outros bebés)

No entanto, a bronquiolite também pode afetar idosos polimedicados e/ou com sistemas imunitários enfraquecidos e até adultos saudáveis.

Sintomas e sinais de alerta da bronquiolite

Os sintomas iniciais da bronquiolite são bastante similares aos sintomas de uma gripe ou constipação comum, destacando-se:

  • Febre
  • Espirros
  • Tosse
  • Respiração acelerada
  • Alguma dificuldade em respirar
  • Cianose (cor da pele azulada em consequência da dificuldade em respirar)

No entanto, quando ocorre uma bronquiolite os sintomas referidos têm a tendência a ser persistentes e podem surgir outros, como:

  • Vómitos
  • Dor de ouvido
  • Olhos avermelhados
  • Redução do apetite
  • Irritabilidade

A deteção da doença tem de ser feita no consultório médico, através da observação do paciente.

Como tratar a bronquiolite

Por norma, a bronquiolite é uma doença que fica curada no período de 7 a 10 dias e a dificuldade em respirar melhora ao final do terceiro dia.

Esta é uma doença que, quando surge em adultos ou em crianças com mais de dois anos, não necessita de grande tratamento, podendo ser utilizados medicamentos apenas para aliviar os sintomas apresentados, como por exemplo um antipirético.

No que diz respeito aos bebés pequenos, poderá ser necessário utilizar medicamentos com a função bronco-dilatadora (para facilitar a respiração) e corticoides (anti-inflamatório fortes).

Em situações mais graves, pode ser necessário fazer um internamento hospitalar do bebé para acompanhar a evolução da doença. O fornecimento oxigénio e ventilação mecânica serão utilizados sempre que surgir essa necessidade.

Também existe um medicamento específico para tratar a bronquiolite dos bebés, mas só é utilizado sob prescrição médica e em casos de maior necessidade.

Há muitas crianças que depois de tratarem a bronquiolite continuam a apresentar alguma dificuldade em respirar, emitindo um som similar ao produzido por um asmático. Este quadro clínico é conhecido como sibilância recorrente pós-bronquiolite e exige acompanhamento médico.

Os exercícios de fisioterapia que são focados no sistema respiratório podem ser uma boa opção para esses casos.

Em qualquer situação em que surge uma bronquiolite é importante:

  • Ingerir muitos líquidos para evitar desidratação
  • Fracionar as refeições para não ficar muitas horas sem comer
  • Usar soro fisiológico para facilitar a desobstrução nasal

Como prevenir a bronquiolite

A melhor forma de prevenir a doença é evitar o contato com outras pessoas que tenham a doença.

Atualmente, não existe qualquer vacina de prevenção para a bronquiolite, mas já existe um medicamento que pode ser usado com indicação médica em bebés com maior risco de infeção.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 01/10/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 1/10/2018 às 12:22 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)