Cafeína Durante a Gravidez

Publicado por Equipe Editorial a 4 de outubro de 2017 - Atualizado em 16 janeiro 2018

Estar grávida pode ser muito cansativo, mas a cafeína durante a gravidez pode causar uma complicação perigosa que pode colocar tanto a mãe quanto o bebê em risco.

No entanto, a cafeína não é estritamente proibida durante a gravidez, por isso é importante entender os fatos sobre o consumo de cafeína, bem como a quantidade que você pode beber e possíveis riscos que você corre.

Quando se trata de uma gravidez, o cuidado deve ser sempre a dobrar e a grávida deve seguir sempre as instruções médicas.

Cafeína Durante A Gravidez

Você Deve Consumir Cafeína Durante a Gravidez?

Estar grávida é um momento maravilhoso na vida de qualquer mulher, mas durante os nove meses, existem muitos momentos de incômodo, o que afeta em muito os níveis de energia física e mental.

Muitas vezes, quando você teve poucas horas de sono é natural tomar uma xícara de café para começar o dia, mas esse tipo de dependência pode ser prejudicial durante a gravidez quando consumido em excesso.

No entanto, as mulheres grávidas podem limitar o consumo de cafeína a 200 mg por dia.

Lembre-se de que a cafeína é um estimulante, o que significa que aumentará os níveis de energia, bem como seu metabolismo, o que pode aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial.

Enquanto o exercício suave é encorajado em mulheres grávidas, ainda é importante manter o controle desses sinais vitais, para reduzir o estresse no bebê.

Além disso a cafeína também é um diurético, que pode impactar ainda mais a pressão sanguínea, o equilíbrio dos fluidos, a frequência de micção e os níveis de hidratação.

A razão pela qual este é um assunto tão discutido durante a gravidez é por existirem vários estudos conflitantes sobre o assunto.

As discussões incluem testes que não encontraram correlação entre as complicações da gravidez e outros que têm uma ligação clara entre o consumo excessivo de cafeína e condições como baixo peso do bebê ao nascer, parto prematuro e problemas de desenvolvimento.

Em resposta à questão de se você deve ou não tomar cafeína durante a gravidez, a resposta é sim, você tem permissão para consumir cafeína em pequenas quantidades, mas, se possível, é melhor evitar completamente este composto químico quando possível.

Como a Cafeína Durante a Gravidez Afeta Você e Seu Bebê?

Existem diversas formas pelas quais a cafeína durante a gravidez pode afetar você e o seu filho.

Como mencionado acima, a cafeína é um estimulante e diurético, que pode ter efeitos no aumento de pressão, por exemplo.

A gravidez altera drasticamente a química e os níveis hormonais do corpo, e a adição excessiva  de cafeína pode ser perigosa.

O que mais preocupa é que a cafeína pode afetar diretamente o desenvolvimento do feto.

Todos os nutrientes que o bebê ingere vem da mãe, e a cafeína também pode ser um estimulante para a criança.

Isto pode ocorrer na forma de descanso e sono inadequados, atividade excessiva ou movimentos no útero, ou mesmo efeitos colaterais mais sérios, como distúrbios do desenvolvimento.

Uma mulher grávida precisa de um sono ininterrupto e de qualidade, mas com níveis elevados de cafeína no corpo essa qualidade do sono pode ser afetada.

Há aqueles que afirmam que qualquer quantidade de cafeína é perigosa durante a gravidez, mas isso não foi provado com resultados de pesquisa explícitos.

O corpo é capaz de processar a cafeína com segurança durante a gravidez, desde que você consuma com moderação.

Embora a cafeína tenha um efeito maior sobre você do que sobre seu bebê, algumas pesquisas descobriram que o consumo excessivo de cafeína pode retardar a taxa de fertilidade e levar a uma gravidez tardia.

Se você e seu parceiro estão tentando engravidar, uma das melhores maneiras de melhorar suas chances é reduzir sua ingestão de cafeína.

Qual a Quantidade de Cafeína é Segura Durante a Gravidez?

Ingestão De Cafeína Durante A Gravidez, Afeta O Bebê, Quantidades Seguras E Alimentos

Ainda há alguma contestação sobre a quantidade de cafeína considerada segura durante esta fase, mas um nível geralmente aceito é de 150 a 200 mg de cafeína por dia.

Isso é aproximadamente o tamanho de uma xícara média de café.

Para algumas pessoas, essa única xícara de café é suficiente para mantê-las, ou pelo menos matar o desejo de tomar um café por dia.

Para outras mulheres, mudar o consumo de cafeína até um nível adequado ou mesmo menos pode demandar maior esforço.

O ponto importante é que o café não é a única fonte de cafeína na dieta de uma pessoa, embora constitua a maioria do consumo de cafeína em muitas partes do mundo.

O chá também cafeína e muitas vezes é bebido continuamente ao longo do dia em muitos países.

De um modo geral, não mais do que 3 xícaras de chá verde são recomendadas por dia.

Quanto aos refrigerantes, que são notoriamente viciantes, não se deve consumir mais de 4 latas por dia.

Além disso, se o refrigerante é a sua principal fonte de cafeína da sua dieta, certifique-se de evitar variedades com alto teor de açúcar e sódio, pois também podem ter efeitos negativos sobre a sua gravidez.

Quais alimentos e Bebidas Contêm Cafeína?

Existe uma série de alimentos e bebidas que contêm cafeína, por isso, se você está grávida, lembre-se de estar ciente de todas as fontes potenciais, e não apenas do seu café da manhã.

Alguns alimentos comuns na dieta em um dia normal que incluem a cafeína são:

  • Chocolate
  • Certos sabores de sorvete
  • Barras de cereais com cafeína
  • Café
  • Chá
  • Bebidas energéticas
  • Refrigerante
  • Água infundida com cafeína
  • Barras de doce
  • Chocolate quente
  • Analgésicos
  • Pílulas para perda de peso

Ao longo do dia, esses alimentos com cafeína podem ajudá-la a manter um nível de energia normal.

Por outro lado, por questões de segurança tente alterar a sua dieta em vez disso, adicionando carboidratos complexos ou gorduras saudáveis, o que também pode mantê-la acordada e comprometida.

Enquanto as barras de chocolate e as latas de refrigerante podem parecer uma pequena quantidade de cafeína, um ou dois de cada ao longo do dia é igual a mais do que uma única xícara de café.

É importante fazer um acompanhamento médico para ajustar a sua dieta, e torná-la, se possível, livre de cafeína, afim de evitar problemas e desequilíbrios nutricionais.

Referências

http://psycnet.apa.org/
http://www.sciencedirect.com/
http://www.sciencedirect.com/
http://www.sciencedirect.com/
http://psycnet.apa.org/
http://europepmc.org/
http://onlinelibrary.wiley.com/