Cancro de Pele Melanoma (melanoma cutâneo) - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Cancro de Pele Melanoma (melanoma cutâneo)

Cancro da Pele – Melanoma ou (melanoma cutâneo).

O que é:
O melanoma também é designado por melanoma cutâneo ou maligno. É um tipo de cancro.

Este cancro da pele tem início nas células da pele, denominadas melanócitos, situadas na camada superior da mesma. Os melanócitos possuem uma substância química designada por melanina. Esta confere à pele a sua cor. Os melanócitos também se encontram noutros tecidos do corpo, tais como o olho. O melanoma é o tipo de cancro mais grave. Pode começar no olho, mas também, ainda que mais raramente, a partir doutros tecidos.

As células normais subdividem-se (separam-se) de uma forma planeada, criando mais células apenas quando necessário. As células cancerígenas crescem e dividem-se, no entanto, sem obedecer a qualquer controlo ou ordem, criando, muitas vezes, uma protuberância ou inchaço, designado por tumor. O melanoma pode propagar-se a outras partes saudáveis do corpo, se não se encontrar o seu local de início. Quando isto acontece, é difícil controlar as células cancerígenas.

Causas do Cancro da Pele Melanoma (melanoma cutâneo)

Os médicos desconhecem a causa exacta do melanoma. Os factores seguintes podem, todavia, aumentar o risco de desenvolvimento de um melanoma.

Já teve melanoma antes.
Sofreu uma queimadura provocada pelo sol, acompanhada de bolhas, por 2 a 3 vezes, enquanto criança ou adolescente.
Tem uma pele de cor clara que ganha sardas facilmente.
A sua pele fica queimada em vez de bronzeada aquando da exposição ao sol.
Um familiar chegado teve melanoma.

Sinais e sintomas:

O melanoma aparece, muito frequentemente, em sinais já existentes. Também pode aparecer sob a forma de um sinal novo. Os homens ganham, muitas vezes, novos sinais na pele entre os ombros e as ancas (no tronco). As mulheres ganham, frequentemente, novos sinais nos braços e nas pernas.

Eis os ABCDEs de como o médico descreve um melanoma:

Assimetria: Um dos lados do sinal é diferente do outro.
Borda: A borda do sinal não é definida.
Cor: A cor pode variar entre o azul, preto, castanho ou vermelho.
Diâmetro: O tamanho do sinal é superior ao de uma borracha.
Elevação: A altura do sinal é superior à pele em redor.
Também é provável que tenha um melanoma se tiver um sinal com um dos seguintes problemas.
Muda de tamanho, forma ou cor.
Sangra ou liberta líquido (flui lentamente).
Dá comichão, é duro, tem a forma de um nódulo, está inchado ou mole.
Os melanomas podem aparecer nas palmas das mãos ou nas plantas dos pés. Também se podem manifestar sob os sabugos. São, muitas vezes, detectados em Africanos, Asiáticos e Hispânicos.
O melanoma do olho pode induzir à perda da visão (faculdade de ver) sem, no entanto, causar qualquer dor.

Diagnóstico – Como se Diagnostica:

Como é que os médicos sabem até que ponto o meu melanoma está adiantado? Os médicos precisam de apurar 2 coisas para saberem em que ponto se encontra o melanoma. Precisam de apurar a fase do cancro e o nível do melanoma. Poderá precisar, no início, de retirar uma amostra da protuberância ou inchaço. A isto se chama uma biopsia. O tecido será analisado com vista à detecção de eventuais células cancerígenas, o que permitirá apurar a gravidade do cancro.

Existem 4 fases (0 a IV) e melanoma reincidente (que regressa):

A fase 0 é a fase inicial e a fase IV (quatro), a mais avançada. Na fase IV, o cancro já se alastrou para outros órgãos do corpo. O melanoma pode espalhar-se para o cérebro, o pulmão, o fígado e os ossos. Também pode atingir outros órgãos ou os gânglios linfáticos. É possível tirar-se fotografias destas áreas para tentar detectar um cancro que se tenha alastrado. Um cancro que se tenha alastrado é designado por metástase e é mais difícil de tratar.

Há 2 níveis de melanoma: Os níveis são determinados pela espessura e profundidade do melanoma. Os melanomas mais finos têm mais hipóteses de serem curados do que os mais espessos. Um melanoma que não seja muito profundo tem mais probabilidades de ser curado.

Tratamentos:

Como é que o meu melanoma é tratado? O melanoma é tratado de diferentes formas, dependendo do facto de se ter ou não alastrado para outras partes do corpo.

Se o cancro não se tiver alastrado: A cirurgia é o tratamento mais comum para remover um cancro que não se tenha alastrado. Após a cirurgia não necessitará, em princípio, de mais nenhum tratamento, se o cancro não se tiver alastrado. Se o cancro se tiver alastrado poderá necessitar de fazer um ou mais do que um dos seguintes exames ou tratamentos.
Poderá necessitar de fazer os seguintes exames se o cancro se tiver alastrado:
Análises ao sangue.
Radiografia torácica.
Tomografia computorizada ou RM do cérebro.
Tomografia computorizada do peito.
Tomografia computorizada ou ultra-som do abdómen (barriga).
Digitalização nuclear dos ossos (fotografias).

Poderá necessitar de fazer um ou mais do que um dos seguintes tratamentos se o cancro se tiver alastrado. Medicamentos de quimioterapia para matar as células cancerígenas.
Terapêutica por radiação (raios X) para matar as células cancerígenas.
Medicamentos de terapêutica biológica para ajudar o sistema imunitário a combater o cancro.

Apoio: O melanoma constitui o género de doença capaz de lhe mudar a vida a si e aos seus familiares. Aceitar que tem cancro é difícil. Muito provavelmente, você e as pessoas que lhe estão mais próximas sentir-se-ão revoltados, tristes ou assustados. Estes sentimentos são normais. Desabafe com o seu médico, familiares ou amigos. Deixe que eles o ajudem. Incentive as pessoas que lhe estão mais próximas a falar com o seu médico sobre a forma como as coisas estão a correr em casa. Ele poderá ajudar os seus familiares a encontrar a melhor forma de apoiar uma pessoa com cancro.

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade