Capacidade Gástrica do Bebê

A capacidade gástrica do bebê pode definir-se como sendo a capacidade que o bebê possui ao nível estomacal para ingerir, armazenar e digerir alimentos.

Como será normal e expectável, o estômago de um bebê não é do mesmo tamanho que o estômago de um ser humano adulto.

Um bebê tem um estômago muito mais pequeno e consequentemente a sua capacidade gástrica geral é muito mais reduzida do que a capacidade gástrica de um ser humano já em estado adulto.

Capacidade gástrica dos bebês

Embora a capacidade gástrica dos bebês possa variar entre bebês diferentes, a verdade é que existem alguns valores de referência que nos permitem saber mais ou menos qual será a capacidade gástrica do nosso bebê de acordo com a sua idade.

Vejamos então qual a capacidade média em diferentes idades:

  • Entre os 6 meses e os 8 meses de vida, os bebês possuem uma capacidade gástrica média que ronda as 250 gramas de alimentos por cada refeição que efectuem;
  • Entre os 9 e os 11 meses de idade, os bebês possuem uma capacidade gástrica média que ronda as 290 gramas de alimentos por cada refeição;
  • A partir do momento em que o bebê completa um ano de vida, e até sensivelmente completar dois anos de vida, a tendência é para que a capacidade gástrica média ronde os 350 gramas de alimentos por cada refeição.

Primeira papa do bebê

Para além da capacidade gástrica até aqui discutida, deveremos ter em conta também a capacidade de deglutição e digestão do bebê quando introduzimos novos alimentos.

Se até aos seis meses de vida o bebê ingere geralmente apenas leite materno, a partir desta altura poderemos começar a introduzir novos alimentos, preferencialmente de texturas macias e pouco complexas.

É por isso que aqui falamos de uma sugestão para a primeira papa do bebê.

A primeira papa que preparar para o seu bebê deverá ser uma papa preparada à base de vegetais. Idealmente, deverá ir adicionando gradualmente vegetais diferentes e novos às papas do bebê para conseguir averiguar aquele de que ele gosta, aqueles de que ele não gosta ou aqueles que eventualmente lhe possam vir a provocar algum tipo de alergia.

Idealmente, poderá e deverá até apontar os alimentos novos que vai introduzindo ao bebê e igualmente anotar eventuais reacções alérgicas ou reacções por parte do bebê referentes ao facto de ele ter ou não gostado.

A introdução de papas baseadas em farinhas ou doces deverá ser feita já mais tarde, e não logo aos seis meses de idade.

A justificação para isso é que o bebê tende a gostar de alimentos mais doces devido ao leite materno. Se esses alimentos forem introduzidos primeiro antes dos outros, o bebê terá depois alguma relutância em aceitar ingerir salgados.

Estima-se ainda que bebês que mamem da mama da mãe e ingiram leite materno têm tendência a adaptar-se de uma forma mais fácil e menos problemática à introdução de novos alimentos na sua dieta.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 15/01/2018 às 10:54 horas por: Diogo