Castelo de Vide

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018 - Publicado a 24 de junho de 2010

Uma das mais bonitas vilas do Alto Alentejo, no Outono, é Castelo de Vide. Com as suas estradas ladeadas por castanheiros, que assumem uma tonalidade dourada nesta época do ano, é um bom local para passear e descobrir.

A presença humana nesta região remonta ao Paleolítico, época dos achados arqueológicos mais antigos. Desde então, existem provas da existência de povoados neolíticos e medievais, que sobreviveram em estruturas como o castelo, o burgo, o forte de S.Roque, a sinagoga, a judiaria e as muralhas que envolvem a vila. Os monumentos a visitar são por isso muitos. Existem quatro estações arqueológicas na região: a dos Mosteiros, onde se encontram vestígios neolíticos, romanos e medievais; a da Meada, onde poderá encontrar menires e construções romanas; a de Santo Amarinho, onde poderá visitar vestígios medievais e a necrópole megalítica dos Coureiros. Na vila propriamente dita, o centro histórico permite-lhe observar muitos edifícios antigos, ou com vestígios medievais, podendo ainda visitar o Centro Municipal de Cultura, onde se encontram os achados arqueológicos da região.

A região de Castelo de Vide possui uma grande riqueza natural em cursos de água e serras, que os amantes da natureza gostarão de descobrir. O rio Sever e a Albufeira de Póvoa e Meadas são os dois principais recursos hídricos que poderá visitar. As serras, que possuem uma densa e variada vegetação constituem uma boa sugestão para passeios: a Senhora da Penha e os miradouros da Serra de S.Mamede estão à espera dos visitantes.

As águas de Castelo de Vide foram reconhecidas em 1726 pelas suas propriedades terapêuticas e desde então, as diferentes fontes e cursos de água natural já foram estudadas, classificadas e comercializadas. A partir de 1984, a Câmara Municipal começa a explorar as águas medicinais da região, estando em fase de remodelação as termas, onde se procede a tratamentos para as mais diversas doenças do aparelho digestivo e metabolico-endocrinas.

Enquanto estiver nesta região alentejana, não deixe de provar as delícias gastronómicas que Castelo de Vide tem para oferecer. A cozinha regional inclui pratos como cachafrito de cabrito, molhinhos em tomatada ou migas com entrecosto. Os afamados enchidos desta região são a morcela, o chouriço, a farinheira, o paio enguitado ou o paio branco e na doçaria, o destaque vai para a boleima, as queijadas, o bolo finto e o toucinho do céu.

Muitas são as sugestões do que poderá fazer e visitar em Castelo de Vide. Uma tarde ou uma semana, para divertir-se e passear, será sempre pouco o tempo para o que pode encontrar nesta encantadora vila alentejana.

O que mais impressiona é a atmosfera da vila, a envolvente paisagística, a pacatez, as ruelas íngremes da zona medieval a subir para o castelo. Depois da Praça D. Pedro V (onde avultam a Igreja de Santiago com boa ornamentação azulejar, os paços do concelho e o posto de turismo com boa documentação), suba ao castelo pelas ruas Maria de Baixo, do Penedo, Maria de Cima, onde irá encontrando portais góticos.

Desça do castelo, excelente miradouro, na direcção da placa que assinala a Judiaria e aprecie os cantos do bairro judaico e a sinagoga. Desça até ao Largo da Fonte. Pelo redor deite uma olhadela à aldeia de Póvoas e Meadas, com a barragem e valioso espólio arqueológico (cidade romana da Ammaia). Há um roteiro arqueológico, percursos a pé pela serra, reservas de caça e de tudo isto se pode informar no posto de turismo.