Entenda as Causas de Hidrocefalia em bebês, crianças, adultos e idosos?

Publicado por Equipe Editorial a 14 de março de 2017 - Atualizado em 14 março 2018

A hidrocefalia é o acúmulo anormal de líquido cefalorraquidiano (LCR) no cérebro. Congênita ou adquirida, a hidrocefalia é causada por condições que afetam o movimento do líquido cefalorraquidiano.

Os desencadeantes do evento podem ser um parto prematuro, defeitos do tubo neural, ventrículos aumentados, hemorragia ventricular, traumatismo, tumor cerebral, infecções, cirurgia ou condições de saúde que afetam o fluxo sanguíneo.

Entenda As Causas De Hidrocefalia Em Bebês, Adultos E Idosos

Se é uma mãe grávida preocupada com um resultado de ultra-som não tão bom ou o pai de uma criança cuja cabeça está crescendo de uma forma estranha, provavelmente já ouviu falar sobre hidrocefalia.

A hidrocefalia é a acumulação anormal de líquido cefalorraquidiano (LCR) nos ventrículos do cérebro e pode afetar recém-nascidos, crianças e adultos.

A função do líquido cefalorraquidiano ​​é banhar o cérebro e a medula espinhal, oferecendo proteção e nutrição.

Também transporta os resíduos para fora dos tecidos circundantes.

A produção e absorção de líquido cefalorraquidiano é um processo contínuo. Enquanto o cérebro gera novo LCR em seus quatro ventrículos, o fluido antigo é absorvido pela corrente sanguínea.

Quando existe um desequilíbrio entre a taxa de produção e a taxa de absorção, o fluido se acumula, levando ao desenvolvimento de hidrocefalia.

O termo hidrocefalia é derivado da língua grega – “hidro”, o que significa água e “cephalus”, que significa cabeça.

Enquanto a “água na cabeça” costumava ser considerada uma descrição adequada para a hidrocefalia, é uma expressão errônea porque não é água, mas sim líquido cefalorraquidiano que envolve o cérebro.

Tipos

Existem duas formas dessa condição. A hidrocefalia onde a pressão se acumula devido à absorção insuficiente de líquido cefalorraquidiano é chamada de hidrocefalia comunicante.

O LCR flui através de canais específicos ao redor do cérebro e da medula espinhal. Se esses canais se bloquearem por alguma razão, os ventrículos aumentar de volume e exercem pressão sobre o tecido cerebral.

Os ventrículos inchados são responsáveis ​​pela cabeça anormalmente alargada de bebês nascidos com hidrocefalia. Esta é a hidrocefalia Obstrutiva (Não-comunicante).

A hidrocefalia nos bebês  (congênita) é bastante diferente da hidrocefalia que se desenvolve durante a infância.

E a hidrocefalia desenvolvida em pacientes idosos desenvolve-se por uma série de diferentes razões.

Embora as causas exatas ainda não sejam conhecidas pela medicina, algumas doenças podem atuar como gatilho.

Abaixo listamos as principais causas da hidrocefalia, com base nessas categorias / idade.

Causas da hidrocefalia congênita em bebês

A cabeça alargada clássica associada à hidrocefalia, geralmente é vista em bebês e crianças pequenas. A cabeça incha para acomodar o excesso de fluido.

Por vezes, os bebês nascem com hidrocefalia e o evento é atribuído a anormalidades no desenvolvimento fetal.

Esta forma de hidrocefalia geralmente é detectada / diagnosticada durante o exame de rotina antes do parto e inclui as seguintes causas:

1. Espinha bífida

A espinha bífida é um defeito do tubo neural que pode levar a este acumúlo de liquido. O tubo neural começa a crescer nos primeiros estágios da gravidez e fecha quando o feto tem cerca de quatro semanas de idade.

Mais tarde, ele se desenvolve no cérebro, na corda espinhal e nos nervos. Mas, às vezes, parte do tubo neural não consegue desenvolver ou não fecha.

Isso pode forçar o quarto ventrículo e parte do cerebelo a empurrar para baixo através da parte inferior do crânio na área da medula espinhal, restringindo o fluxo de LCR do quarto ventrículo e conduzindo assim a hidrocefalia.

2. Nascimento Prematuro

Algumas complicações durante um parto prematuro também podem causar hidrocefalia. Alguns bebês prematuros desenvolvem hemorragias no cérebro, levando ao bloqueio do fluxo normal de LCR.

3. Síndrome de Dandy-Walker

Esta é uma malformação rara do cerebelo, a parte do cérebro que controla o movimento. Nesta condição, o quarto ventrículo, que permite fluir a LCR entre as partes superior e inferior do cérebro e a medula espinhal, aumenta de volume, fazendo com que o líquido se acumule no cérebro.

Os sintomas podem ser vistos logo após o nascimento. Um bebê com síndrome de Dandy-Walker tem desenvolvimento motor lento, e a sua cabeça também se torna progressivamente maior.

4. Estenose aquedutal

Esta é uma anormalidade genética e uma causa comum de hidrocefalia congênita. Um bloco no aqueduto longo ou estreito ou canal entre o terceiro e o quarto ventrículos do cérebro evita o fluxo de LCR.

O acúmulo de líquido conduz ao avento. A obstrução pode ser causada por um tumor, infecção ou sangramento.

5. Cistos aracnóides

Estes são bolsas cheias de LCR e podem ocorrer em qualquer parte do cérebro.

Este defeito congênito geralmente é encontrado na parte de trás do cérebro em crianças.

Estas bolsas podem obstruir os caminhos estreitos através dos quais o LCR flui, resultando em hidrocefalia. Para além disso também se podem desenvolver como resultado de um trauma ou lesão.

6. Síndrome de Arnold-Chiari, ou má formação de Arnold-Chiari

A malformação de Chiari também pode ocorrer mais tarde na vida, devido a lesão, trauma, e infecção, envolvendo excesso de drenagem do fluido espinhal (malformação Chiari adquirida ou secundária).

Estes eventos ocorrem na base do tronco cerebral, onde o cérebro e a medula espinhal se encontram.

Chiari 1 é a malformação mais comum entre os quatro tipos existentes.

Nesta condição, a parte de baixo da parte de trás do cérebro cresce no canal espinhal.

À medida que pressiona contra o tronco cerebral e a medula espinhal, obstrui a drenagem do LCR, levando a hidrocefalia.

Os bebês com esta condição podem ter problemas respiratórios e dificuldade em engolir ou ficarem irritados quando alimentados.

Eles também podem vomitar com frequência e ter um pescoço rígido e braços fracos.

Causas da hidrocefalia adquirida em crianças e adultos

Uma vez que os ossos do crânio são maduros e fundidos, como nas crianças e adultos mais velhos, a hidrocefalia se manifesta não como uma cabeça inchada, mas como dores de cabeça dolorosas devido à pressão extra presente na cabeça.

Esta categoria de hidrocefalia desenvolve-se após o nascimento do bebê e também ocorre entre crianças mais velhas e adultos. É “adquirida” como resultado de vários problemas neurológicos, tais como:

  • Hemorragia nos ventrículos, denominada hemorragia intraventricular
  • Infecções, como meningite ou caxumba
  • Trauma na cabeça
  • Tumor cerebral

À medida que as crianças envelhecem, a hidrocefalia adquirida manifesta-se em sintomas como olhos olhando para baixo, movimentos estranhos, problemas de visão e equilíbrio, sonolência, dor de cabeça, perda de memória, incontinência e náuseas.

1. Hemorragia intraventricular

Este evento ocorre frequentemente com bebês prematuros, quando os pequenos vasos sanguíneos perto da superfície dos ventrículos se abrem.

O sangue que escapa pode bloquear os ventrículos, cicatrizá-los ou formar tampões dentro dos pequenos tubos chamados Granulação aracnóidea que normalmente absorvem os fluidos. Quando o fluido ​​não consegue ser absorvido, ele se acumula e conduz ao evento.

2. Meningite

A meningite, causada geralmente por uma infecção bacteriana (às vezes, viral), leva à inflamação das membranas do cérebro e da medula espinhal.

Isso resulta na cicatrização das membranas finas que revestem os vasos que transportam LCR. A hidrocefalia pode desenvolver-se se a cicatriz bloquear o fluido enquanto este flui através dos ventrículos ou das superfícies cerebrais.

3. Trauma

Se o tecido cerebral, os nervos ou os vasos sanguíneos forem danificados como resultado de lesões na cabeça, a inflamação pode entrar quando os vasos se quebram e o sangue entra nos canais de LCR.

Os locais onde o fluido é absorvido podem ser bloqueados por membranas cicatriciais ou células sanguíneas e o fluxo de líquido cefalorraquidiano interrompido provoca o evento.

4. Tumores cerebrais

Os tumores cerebrais em crianças geralmente desenvolvem-se em uma região conhecida como fossa posterior, localizada na parte de trás do cérebro.

À medida que o tumor cresce, ele enche ou pressiona o quarto ventrículo, impedindo o fluxo de líquido cefalorraquidiano, o que leva ao desenvolvimento do problema.

Os tumores que crescem em outros lugares do cérebro também podem bloquear ou pressionar os ventrículos, com o mesmo resultado.

Causas de hidrocefalia de pressão normal em pessoas mais velhas

O tipo de hidrocefalia diagnosticada em idosos em seus anos sessenta ou setenta, geralmente, recebe o nome de hidrocefalia de pressão normal (HPN).

Nessa condição, o acúmulo de LCR faz com que os ventrículos se dilatem. Isso coloca pressão sobre o tecido cerebral e pode levar a danos ou destruição de algumas áreas do cérebro.

O nome, no entanto, é enganador porque a pressão da LCR pode variar de baixo a alto e tem repercussões.

Os sintomas de HPN  manifestam-se muito gradualmente. Um sintoma notável é a dificuldade em caminhar, seguido da deterioração da função mental, da perda de memória, da pouca atenção, da tontura e da incontinência.

Nestes casos não é observado aumento do tamanho do cérebro.

A HPN pode desenvolver-se nas seguintes condições:

  • Se você teve um  lesão séria na cabeça
  • Por causa do sangramento no cérebro ou um aneurisma
  • Devido a meningite ou outras infecções no sistema nervoso central
  • Após cirurgia no cérebro (craniotomia)

As condições de saúde existentes, como diabetes, doenças cardíacas ou níveis elevados de colesterol no sangue, que afetam o fluxo sanguíneo, podem igualmente desencadear o desenvolvimento de HPN.

Os especialistas acrescentam, no entanto, que na maioria dos casos, a causa da HPN não é clara.

Embora a hidrocefalia não possa ser prevenida, conhecer a sua origem pode ajudar a obter a atenção médica certa.

Além disso, é importante perceber que o risco de hidrocefalia em bebês pode ser diagnosticado ou mesmo reduzido até certo ponto, garantindo que a gravidez seja bem monitorada pelo ginecologista.

Referências do artigo

https://www.hydroassoc.org/
http://www.ninds.nih.gov/
http://www.mayoclinic.org/