Cieiro nos lábios

Quando a pele não aguenta o frio surge o cieiro nos lábios.

Os lábios são uma zona extremamente sensível do nosso corpo que está bastante exposta ao meio ambiente. É exactamente o clima que favorece o aparecimento do cieiro, mais precisamente o tempo frio.

Desmistificando algumas crenças populares, o Dr. Cyrne de Castro, Chefe de Serviço de Dermatologia no Hospital de Santa Maria, explica que o cieiro não surge devido à carência de vitaminas: «É provocado pela perda de água. Quando há frio e vento, dá-se uma perda exagerada de água na pele, o que origina a pele seca.»

Sendo assim, a prevenção para esta situação incómoda passa por «aumentar a função barreira da pele com cremes emolientes e hidratantes que impeçam a perda de água através da sua camada superficial.

Estes cremes têm compostos que ajudam a reter a água no interior da pele». A solução é exactamente a mesma que é utilizada na prevenção. Outra forma de ajudar a que o cieiro passe mais rapidamente é não humedecer os lábios.

Acto que a maioria das pessoas se sente tentada a fazê-lo devido à sensação de secura que este problema provoca. Além disso, é conveniente não arrancar as peles secas com os dentes, «pois só agrava a inflamação», salienta.

É quem apresenta uma pele mais fina que tem cieiro com mais frequência. «Nestes casos a função barreira da pele está alterada, ou seja, diminuída, pois não retém a água.»

Se o cieiro persistir pode conduzir a situações mais desagradáveis, como «fissuras, devido à falta de elasticidade da pele, e também a formas de eczema de pele seca». Por essa razão, é necessário estar atento e não deixar agravar o problema.

Apesar de os lábios serem a região mais habitual para o aparecimento do cieiro, este pode ainda manifestar-se noutras zonas do corpo, como é o caso do dorso das mãos. Nestes casos, o tratamento a aplicar é o mesmo.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:00 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)