Cirurgia Dermatológica - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Cirurgia Dermatológica

Atualizado em 13 Janeiro, 2018

Há 50 anos, a actividade cirúrgica dos dermatologistas resumia-se a algumas biópsias e electrofulgurações, apesar do seu conhecimento da biologia e patologia cutânea, não impedindo, contudo, a aplicação deste conhecimento na introdução de novas técnicas cirurgicas, nomeadamente a quimiocirurgia por Mohs, crioterapia por Zacarian, transplante de cabelo por Orentreich e o laser por Goldman.

Na década de 60, os procedimentos cirúrgicos vão entrar no quotidiano da atividade dermatológica, com o aparecimento de departamentos de cirurgia dermatológica nos serviços de referência, movimento iniciado nos USA mas rapidamente globalizado.

molusculo contagioso

No tratamento de tumores cutâneos, a utilização da cirurgia micrografica de Mohs, técnica específica da especialidade, constitui um recurso único e de grande utilidade nos tumores malignos mal delimitados ou recidivados.

Nos últimos 20 anos assistimos à multiplicação da atividade editorial de livros e revistas, assim como à constituição de vários grupos e sociedades nacionais e internacionais de cirurgia dermatológica.

Em Portugal, nos anos 90, torna-se obrigatória a formação cirúrgica no decurso do internato complementar e a Ordem dos Médicos reconhece a especialidade como médico-cirúrgica.

Os serviços de dermatologia reorganizam a atividade assistencial com a introdução da cirurgia, com progressiva autonomização na resposta às solicitações e em intercâmbio interdisciplinar com especialidades com interesses comuns, nomeadamente a cirurgia plástica e otorrinolaringologia.

A Cirurgia Dermatológica consiste no tratamento de problemas localizados na pele e mucosas, com o recurso a várias técnicas, efetuadas geralmente em ambulatório e sob anestesia local.

smartxideA Cirurgia Dermatológica representa uma evolução na afirmação da especialidade, com recurso a múltiplas técnicas pouco onerosas e de fácil utilização, com óbvias vantagens para os doentes e para os sistemas de saúde.

Muitas destas técnicas são bem conhecidas e utilizadas pelos dermatologistas mas não por outros especialistas cirúrgicos, como a crioterapia, curetagem, quimiocirurgia, dermoabrasão, peeling químico, terapêutica fotodinâmica, electrocirurgia, etc.

Na cirurgia convencional, a habilitação técnica dos dermatologistas é inquestionável quer nas excisões simples quer na reparação de grandes perdas teciduais.

No tratamento de tumores cutâneos, a utilização da cirurgia micrográfica de Mohs, técnica específica da especialidade, constitui um recurso único e de grande utilidade nos tumores malignos mal delimitados ou recidivados.

O dermatologista é eclético, conhecedor e estudioso da biologia e da dermatopatologia, que o releva para a superior capacidade diagnóstica da patologia cirúrgica, e experiente e versátil na escolha das diversas técnicas cirúrgicas.

Atualizado em 13 Janeiro 2018

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *