Cirurgia Plástica Mamária

Cirurgia plástica mamária

Ser mãe é, para muitas mulheres, um objectivo e um sonho. «Uma experiência única», que só elas têm o privilégio de viver. A gravidez é um período difícil, em que o medo, a ansiedade e a alegria são nota dominante. Para complicar, além dos sentimentos contraditórios que surgem diariamente, as futuras mamãs têm ainda de enfrentar as alterações que o corpo vai sofrendo ao longo da gestação. Há mulheres que aceitam essas alterações como o «preço a pagar» para serem mães, outras há que tentam corrigir o que mudou.

É importante a mulher gostar do que vê, quando se olha ao espelho. Faz bem à alma! Mas também é fundamental saber que se pode fazer alguma coisa para se sentir melhor.

«Quando recorrem a uma cirurgia, as mulheres querem, essencialmente, retomar o que eram antes da gravidez», afirma o Dr. José Carlos Parreira, cirurgião plástico, sublinhando: «Os resultados são muito bons e permitem à mulher recuperar a auto-estima.» O que acontece é que durante a gravidez a mama torna-se maior, devido ao aumento do volume da glândula mamária.

Depois do parto, tendo ou não amamentado, a mama diminui de tamanho. Porém, como a pele não retrai, verifica-se a sua queda (cientificamente chamada de ptose). Neste grupo, constituído maioritariamente por mulheres entre os 35 e os 40 anos, «o aumento isolado pode ajudar a camuflar alguma pequena queda da mama, mas nas pacientes com o envelope cutâneo laxo ou com queda acentuada o aumento isolado não serve», explica o cirurgião, acrescentando: «Neste caso, a remoção de alguma pele por cicatriz periareolar (cicatriz à volta da aréola da mama) pode ajudar a diminuir o excesso de pele ou melhorar a posição do mamilo.»

Actualmente, são usadas próteses em gel de silicone coesivo, ou seja, não líquido, porque os resultados estéticos são melhores e os riscos diminutos.

São próteses anatómicas, em forma de gota, que simulam muito melhor a forma natural da mama e que substituíram, em grande parte dos casos, as próteses redondas.

Pode-se, portanto, escolher entre uma prótese em forma de gota, que dá à mama um aspecto mais discreto e natural, ou uma prótese redonda, usada preferencialmente quando a mama não tem volume, apesar de ter forma. Neste caso, usa-se a prótese redonda para projectar a mama.

O que Procura?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *