Coco: Tipos e Variedades

Distinguem-se dois tipos de variedades na espécie de palmeira Cocos nucifera: as alogâmicas (fecundação cruzada) e as autogâmicas (autofecundação).

As variedades alogâmicas designam-se por ‘grande coqueiro’ (ou Typica). As formas alogâmicas mais cultivadas dividem-se em dois grupos. Por um lado, plantas que dão um grande número de cocos, de tamanho médio e com fraco rendimento de copra.

Neste grupo podemos encontrar o coqueiro comum de África Ocidental, o das Ilhas Seicheles, o das Novas Hébrides, e o das Ilhas Laquedivas (Índia).

Por outro lado, plantas que produzem um número razoável de cocos grandes, dando cada um deles uma percentagem elevada de copra.

O coco ‘Ramona’, o de Ko-Samul (Tailândia), o do Haiti, o Kappadam (Índia) e o de San Blas (Panamá), pertencem a este último grupo. Dentro das variedades autogâmicas encontram-se uns coqueiros mais pequenos que os anteriores.

São denominados variedades ‘anãs’. Podem ter de 10 a 12 m de altura. São muito precoces e produzem um grande número de cocos de pequeno tamanho. Os coqueiros anãos classificam-se segundo a cor da inflorescência e a do fruto: ‘anão verde’ (‘Plumilla’), ‘anão amarelo’ (‘Eburnea’) e ‘anão vermelho’ (‘Regia’).

Estas variedades produzem grande quantidade de cocos, mas com pouca copra. Devido à sua precocidade, são de grande interesse nas operações de selecção.

Os híbridos ‘Anãos’ x ‘Grandes’ demonstraram ser muito produtivos. Os híbridos de maior interesse são: ‘PB 121’, ‘Anão Vermelho’ x ‘Tahiti’, ‘Anão Vermelho de Camerún’ x ‘Oeste Áfricano’ e ‘Anão Vermelho de Camerún’ x ‘Rennell’. Existem muitos outros tipos de coqueiros que têm sobretudo interesse botânico.

Actualmente utilizam-se maioritariamente os híbridos ‘anãos’ mais precoces e com um rendimento de copra por hectare muito mais elevado na idade adulta (5 a 6 toneladas por hectare, aos seis anos de idade).

Também se consomem os frutos de outras palmeiras que não são da espécie Cocos nucifera, entre os quais se destacam:

Índice do Artigo:

O que Procura?
Ugli: Os 10 Benefícios para a Saúde, + Nutrientes

Coco-d0-mar (Lodoicea maldivica)

Foto De Coco Do Mar Lodoicea Maldivica

É um coco enorme de quase 25 kg. Originário do arquipélago das Seicheles e de outras Ilhas em frente à costa de Madagáscar. Tem um tamanho cerca de três vezes superior ao de um coco de tamanho médio.

Pijiguao, Coco-Pupunha (Bactris gasipaes)

Pijiguao Coco Pupunha Bactris Gasipaes

Tem um raio de 6 cm aproximadamente e agrupa-se em cachos de uns 100 cocos de 10 kg de peso. A utilidade advém do seu teor em amido.

‘Corozo corojo’ (Bactris minor ou Bactris guineensis)

Corozo Bactris Guineensis

A palmeira desta variedade alcança uns 30 m de altura. Distribui-se pela franja tropical do Panamá até à costa ocidental indiana, até à Colômbia e Venezuela. As suas folhas descrevem um elegante arco e os cocos não superam os 4 cm e estão cobertos de uma pele branca. O sumo é a principal utilização desta fruta.

‘Palmira’ (Borassus flabellifer)

Proveniente da Ásia, é cultivada sobretudo na Índia e Norte da Malásia. O coco é redondo, com os extremos um pouco achatados, e não é difícil desprender a pele que o cobre. No seu interior, a polpa é branca e estão três sementes e um pouco de água, dependendo do grau de maturação. Extrai-se uma bebida deliciosa da polpa triturada e passada por um lenço.

‘Salaca’ (Salacca edulis)

É originária do Sudeste da Ásia e hoje cultiva-se na Tailândia, Malásia e Indonésia. A palmeira eleva-se até 5 m do solo e tem uma copa imponente, formada por ramos que chegam a ter 7 m de comprimento.

O fruto é redondo ou oval e é do tamanho de um figo grande. A pele escamosa imita com o desenho um telhado, é dura e fina e tem um tom branco ou vermelho escuro, segundo a variedade.

O miolo tem um sabor agridoce e é ligeiramente adstringente, sobretudo se não está muito madura. Está dividida em três partes cobertas por uma membrana de textura cerosa, e que alberga no seu interior um caroço ou semente castanha e oval que não é comestível.

Os frutos maduros podem-se conservar alguns dias em lugar fresco, mas deixando-os de molho com casca em água com sal e açúcar, duram semanas.

O que Procura?
As 7 Melhores Alternativas / Opções a Usar para Substituir o Azeite

As variedades de coco provenientes da palmeira Cocos nucifera são os seguintes:

Coco da Índia (Cocos nucifera)

Coco Da India Cocos Nucifera

É o fruto de palmeira (denominada coqueiro) mais conhecido. Provém da Melanésia tropical, no arquipélago do Oceano Pacífico.

Actualmente o coqueiro converteu-se numa das principais culturas dos países tropicais. A noz de coco pesa 2,5 kg e na realidade o fruto é uma drupa.

Outros Nomes Populares: Coco, Coco-da-baía, Coco-da-praia, Coqueiro-anão

‘King coconut’ (Cocos nucifera var. aurantiaca)

Esta variedade dourada ou alaranjada chama-se por vezes de ‘coco de beber’, porque tem muito mais leite e é mais aromática e refrescante do que o coco normal. No entanto, tem menos polpa.

A casca não é tão dura e pode-se abrir facilmente. A palmeira alcança 30 m e tem os ramos compridos. O tronco é muito elástico e os frutos, de cor dourada, agrupam-se em grandes rácimos com 20 nozes ou cocos.

Uma árvore pode dar 60 cocos ao ano. Esta variedade é valorizada pelo seu ‘leite’, ou seja pela água que tem no interior dos cocos.

14. julho 2011 by admin

One Comment

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. Vocês colocam o nome do coco, o nome científico, a diferenciação de um e outro, a região, a origem, mas vocês não tem coragem de colocar fotos ao lado das explicações, porque no final das contas queremos saber qual é qual no mercado e comprá-los.
    Trabalho totalmente inútil.

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *