Cor da Urina (Urina Verde, Roxa, Laranja, Azul)

Publicado por Equipe Editorial a 20 de março de 2015 - Atualizado em 15 janeiro 2018

A coloração da urina pode sofrer diversas variações. Ocasionalmente, determinadas alterações podem estar associadas a algumas doenças. Outras vezes, a mudança de cor da urina não chega a ser considerada como um indício de que algo está errado com o organismo.

Cor da Urina (Urina Verde, Roxa, Laranja, Azul)

Além disso, é importante lembrar que mesmo saudável, o corpo tende a produzir urina com diferentes tons, mas sempre com predominância do amarelo. Desse modo, caso a coloração da urina fuja do amarelo e recaia em outros tons, como esverdeado, avermelhado, roxo, e azulado, o indivíduo deve procurar por atendimento médico imediato.

Na sequência, serão abordadas as razões que levam a urina a apresentar colorações que fogem muito do espectro amarelado, fazendo com que ela se torne laranja, roxa, vermelha, azul, rosa, verde, ou ainda amarela, mas extremamente escura.

Urina amarelada, mas escura

O comum é que a urina varie sua cor sem sair do amarelo. Assim, ela pode apresentar um tom amarelado mais ou menos intenso. A tonalidade clara da urina está diretamente relacionada ao nível de hidratação do organismo. Logo, quando ela se torna mais escura, pendendo para um tom castanho escuro, esse aspecto denota que a urina está com um nível de densidade acima da média, o que acontece em virtude do baixo volume de água disponível para se misturar a ela.

Nem sempre a cor mais escura da urina se trata apenas da ausência de água em quantidades adequadas. Uma das causas pode residir no desenvolvimento de determinadas doenças, como a hepatite. Enfermidades como essa estimulam a liberação de bilirrubina em excesso na urina, deixando-a com uma aparência escura, em um tom castanho. Às vezes, a coloração se assemelha à cor típica do chá mate.

Outra possibilidade para o escurecimento da urina é a presença de pequenas doses de sangue.

E dentre os remédios que podem provocar o mesmo efeito, o mais frequente é o Metronidazol.

Urina alaranjada

A elevada concentração da urina pode igualmente resultar em outras colorações. Uma delas é o tom alaranjado. Entretanto, quando a urina apresenta essa tonalidade – quase sempre – significa que houve uma pequena dissolução da urina original, que deve estar avermelhada. Trata-se de um efeito gerado pelo sangue.

Entretanto, existem outros motivos para a ocorrência da urina alaranjada, que pode surgir após o consumo de alimentos específicos, como amoras, cenoura, e beterraba. O mesmo se aplica aos produtos industrializados que contenham corantes nas cores vermelha, ou laranja.

Em se tratando de remédios, os que deixam a urina alaranjada com mais frequência são a Nitrofurantoína, o Pyridium, e a Rifampicina. Além deles, o consumo de vitamina B2 (essencialmente riboflavina), ou qualquer outra vitamina do complexo B aumenta as chances da urina exibir um aspecto alaranjado.

Urina com coloração roxa

A urina roxa tende a ser resultante de alguma infecção urinária. Na maior parte das vezes, tal infecção é ocasionada por bactérias como a Pseudomonas aeruginosa, Enterococcus, Klebsiella pneumoniae, Escherichia coli (E. coli), e Providencia stuartii.

Mais rara, a urina com coloração roxa é registrada com maior frequência nos pacientes internados em virtude de uma infecção urinária, principalmente quando eles necessitam utilizar cateter vesical.

Por outro lado, a urina também pode se tornar roxa devido à influência de determinados alimentos, como beterraba e amora.

Urina esverdeada

Já a urina esverdeada é reflexo do consumo de corantes, mais particularmente o azul de metileno.

Com relação à interferência da dieta alimentar, o destaque fica com o aspargo, que pode provocar essa coloração esverdeada.

Casos de pacientes que apresentem urina com tonalidade verde em decorrência de alguma infecção urinária são bem insólitos. Todavia, não é uma possibilidade totalmente desprezada. Quando ocorre, a infecção do trato urinário costuma estar relacionada à bactéria Pseudomonas aeruginosa.

Urina avermelhada ou rosada

Apesar de quase sempre ser produzida devido a alguma hemorragia que afete as vias urinárias, a urina avermelhada pode igualmente ser provocada pelo tipo de dieta alimentar, ou por remédios.

Dentre as medicações que podem tornar a urina vermelha, os primeiros da lista são aquelas que possuem feito laxativo, substancialmente quando a fórmula do produto contém Senna (planta medicinal), além do Pyridium. O uso regular de remédios com a função de inibir o processo de coagulação sanguíneo, como a heparina, e a varfarina, pode acarretar a chamada hematúria, caracterizada pela urina de tom avermelhado.

Pacientes que se mantenham bem hidratados no decurso do dia conseguem reduzir a intensidade da cor vermelha. Nestes casos, ela passa a apresentar uma coloração laranja, ou rosa. De forma geral, a urina pode oscilar entre as tonalidades avermelhada, rosada, e alaranjada. Essa variação é consequência do volume de água ingerido, já que quanto maior a quantidade de água mais diluída a urina será.

Por fim, a urina avermelhada também pode ser causada por uma doença denominada metahemoglobinemia.

Urina azulada

Com frequência, a urina se torna azulada devido ao consumo do corante azul de metileno e de remédios. No entanto, de modo semelhante à urina esverdeada, a mudança de cor da urina do amarelo para o azul pode estar atrelada à ação da bactéria Pseudomonas aeruginosa.

Entre os medicamentos que deixam a urina azulada estão o Triantereno, o Viagra, a indometacina, e a amitriptilina.

Também cabe lembrar que a doença genética intitulada síndrome da fralda azul, que afeta os processos metabólicos, faz com que os bebês recém-nascidos apresentem urina azul.

Urina preta ou castanho escura

Quando a urina não está diluída o suficiente, ou quando ela contém alguma porcentagem de sangue, ela fica propensa a se tornar mais escura. Caso o indivíduo apresente icterícia, por exemplo, a urina também pode ficar extremamente escura.

Com relação aos remédios que podem gerar o mesmo efeito destacam-se o Metronidazol, Cloroquina, Hidroquinona, Levodopa, e Metildopa.

Embora incomum, a presença da alcaptonúria (um tipo de doença hereditária) também está vinculada ao escurecimento desproporcional da urina.

Demais mudanças no aspecto da urina

Não é só a coloração da urina que pode destoar do padrão considerado normal. Existem alguns outros aspectos que também exigem atenção, uma vez que podem estar correlacionados a doenças graves.

Dessa forma, quando a urina parece ter sido dissolvida no leite, na verdade a tonalidade branca pode evidenciar a liberação de pus pelo organismo. Já caso a urina contenha excesso de espuma, esse detalhe pode apontar para a ocorrência de uma disfunção dos rins. Enquanto isso, o odor muito forte da urina pode ser um indício do desenvolvimento de cálculo renal.

Deve-se ressaltar que a cor uma urina considerada saudável é amarelada, mas bem clara. O normal é que ela também seja inodora, possua um volume de espuma bem restrito, e não provoque incômodo ou dores ao ser excluída pelo organismo.