Dentista 24 Horas - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Dentista 24 Horas

Atualizado em 13 Janeiro, 2018

Seja bem vindo/a ao espaço dentista 24 horas, onde ire-mos discutir varias materias sobre implantes dentarios, proteses dentarias, reparação labial, entre outras questões relacionadas com a saude dos seus dentes.

“Para ter uma boca linda e perfeita a solução pode ser um implante dentario”

Algumas pessoas esforçam-se por aumentar os lábios, corrigir o codigo de barras ou eliminar o sulco nasogeniano quando a melhor solução seria o recurso a implantes dentarios adequados. Neste primeiro artigo, ficará a conhecer a técnica de reparação do suporte labial que lhe pode devolver o sorriso de forma eficaz e relativamente simples.

NÃO É MAGIA! É UM DOS MAIORES AVANÇOS NO CAMPO DA CIRURGIA DENTÁRIA e é conhecido como uma técnica de regeneração óssea, mediante enxertos e a posterior colocação de implantes e coroas de porcelana. Além de proporcionar dentes mais funcionais que os extraídos, concederá ao seu rosto um aspecto muito mais jovem. Vamos então conhecer o passo a passo, para saber como pode obter
uma boca espectacular, através desta técnica.

Reparação labial + regeneração de osso

A colocação de dentes fixos numa posição que permita reduzir as estrias verticais por cima do lábio superior (“código de barras’) e o aprofundamento do sulco nasogeniano (ruga vertical entre o nariz e o lábio), tão característicos do envelhecimento ou da exposição continuada ao sol, pode levar à regeneração do suporte labial. Neste caso, os implantes são colocados numa posição mais anterior, permitindo um efeito parecido com o botox mas de uma forma permanente.

Por outro lado, a técnica de regeneração óssea consiste na utilização de enxerto do próprio paciente retirado do mento ou da zona posterior da mandibula para reparação do defeito. Deve recorrer-se a ela quando é necessário obter volume de osso suficiente para a colocação de implantes ou para repor algum defeito estético. Além desta técnica de osso autógeno (osso do próprio doente), usa-se cada vez mais osso de origem animal comprovadamente eficaz em muitos artigos de investigação científica.

Como se chega a este ponto?
O osso perde-se após extracção dentária, por doenças gengivais crónicas ou pelo uso continuado de próteses removíveis (as vulgares placas dentarias de pôr e tirar). Ao faltar um dente, o osso reabsorve-se e, se não for utilizado, atrofia por não receber a carga directa da mastigação através das raízes. Como consequência desta atrofia, após algum tempo, os lábios retraem-se e o sulco nasogeniano torna-se mais vincado.

O que fazer nesta situação?
“Eu recomendaria que não se deixe passar muito tempo entre a perda de um dente e a visita a um especialista pois, quanto mais cedo se encontrar uma solução, menos problemas encontraremos com o osso”. “Deve colocar-se imediatamente um implante antes que se dê um processo de perda óssea que complique o procedimento”.

Depois de se voltar a ter osso, como se conclui o processo?
Este processo conclúi-se com a colocação do implante (raiz) e a respectiva colocação da prótese fixa (coroa). Dentro desta solução, temos implantes de diversos tipos:

Implante de carga imediata – Realiza-se no mesmo dia da intervenção, imediatamente após a colocação do implante. O doente já sai do consultório com dentes. Só quando não é possivel é que não se faz (ou porque não existe osso suficiente e tem de se fazer a regeneração ou o doente é diabético descontrolado, grande fumador ou tem outro tipo de problemas).

Implante de carga tardia – É o implante cujo tempo de colocação é mais demorado e só depois se avança para a inserção de uma prótese definitiva.

Como se realiza a cirurgia?
Se fornecessario, em primeiro lugar, regenera-se o osso antes da realização do implante. Podem ser utilizadas diferentes tecnicas.

1– A primeira é conhecida como “enxerto em bloco” e utiliza-se quando há uma perda óssea muito grande. Consiste em extrair um pedaço do osso do proprio paciente na zona do queixo ou da área próxima dos dentes do siso. A sua consolidação demora quatro meses. Só em casos de malformações maxilo-faciais, grandes traumatizados ou cancro é que a extracção do osso será extra-oral.

2– A outra opção é a “tecnica da membrana”. É realizada através de uma incisão na gengiva que permite colocar material de enxerto em forma de pequenas partículas de osso sintético ou de origem animal, protegidas por uma membrana que, em muitos casos, pode ser de colageno reabsorvivel (em poucas semanas). A vantagem desta opção reside no facto de existir apenas um campo cirurgico, pois não se abre nenhuma outra zona da boca do paciente. No entanto, como desvantagem, pode referir-se o facto da consolidação ser mais demorada, chegando aos seis meses.

Onde realizar? – Clinica dentária dos carvalhos – Morada: Rua gonçalves de castro, 100, 2º- carvalhos (Porto), ou na Clinica Infante Sagres, Situada na rua luís braille, lote A3 R/C loja B – em Lisboa. Estas são apenas algumas clinicas dentarias, pois existem varias em todo o Portugal.

Estes procedimentos são dolorosos?
Não. Pelo contrário. “Recorre-se à anestesia local mas faz-se sedação com fármacos que tranquilzam o doente e quase o adormecem durante a intervenção”. Para além disso, os incómodos pós-operatórios são perfeitamente controlados com uma medicação anatgésica e anti-inflamatória suave, para que os pacientes não tenham qualquer dor nos dias seguintes e apenas uma leve inflamação que se resolve facilmente em três ou quatro dias.

Há que seleccionar bem os pacientes?
Evidentemente. A nicotina, por exemplo, dificulta a formação de novos vasos sanguíneos, prejudicando assim a cicatrização, além de implicar um calor intenso na zona da cirurgia, que também dificulta a cicatrização. Nos enxertos, é fundamental que o encerramento do processo seja perfeito. A combustão do tabaco reduz os níveis de oxigénio, sendo este o aspecto mais importante para a cicatrização adequada.

Quanto tempo dura um implante?
Os implantes têm uma duração longa e consistente. Alguns estudos científicos confirmam 95 a 98% de sucesso depois de 15 anos da sua colocação.

Quais os inconvenientes, riscos, complicações e contra indicações dos implantes?
São aqueles que se associam à técnica cirúrgica em geral. “Ainda que a cirurgia mais simples se realize com anestesia local, é importante controlar o estado de saúde prévio do paciente, como, por exemplo, diabetes não controlada e problemas cardiovasculares, por
outro lado, embora seja possível colocar implantes em pessoas com desequilíbrios emocionais e falta de auto estima, o que condiciona são os antidepressivos que se tomam devido a estes problemas e também as expectativas irrealistas quando falta a auto-estima. 

Para além disso, o factor de custo imediato pode ser um inconveniente, ainda que se trate de um óptimo investimento a médio e longo prazo, dada a eficácia deste tratamento.

Pode haver rejeição ao implante?
A rejeição é uma reacção do organismo perante algo estranho que produz alergia ou que o corpo é incapaz de incorporar.
De acordo com varios especialistas, a rejeição dos implantes ocorre apenas em 5% dos casos e os factores estimulantes desta percentagem são: diabetes e hipertensão não controladas, doentes psiquiátricos descompensados e fumadores que fumem mais de 15 cigarros por dia.

Nas infecções causadas por falha de higiene dentária e o facto de alguns fumadores não serem capazes de deixar o vício,” Se os
pacientes continuarem a fumar, podem colocar em risco os implantes pelo que deviam abandonar o hábito.

Quanto custa todo o processo?
O preço é variável, mas a regeneraçâo óssea com a colocação de implante e coroa ronda aproximadamente os 1800 €.

Ultimas novidades no espaço dentista 24 horas

Tratamento para dentes estragados e amarelados

Branqueamento Dentario britesmile

Artigos medicos:

implantes conicos

alargar canais curvos com seguranca e eficiencia

Atualizado em 13 Janeiro 2018

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *