Desportos de Inverno

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018 - Publicado a 17 de junho de 2010

Desportos de Inverno – Importante prevenir e cuidar

Com a chegada da neve surge também a vontade de praticar os desportos típicos do Inverno. O snowboard, o ski, e até mesmo a patinagem no gelo, são algumas das actividades desportivas características da época do frio, as quais exigem, além de uma boa forma física, uma dieta capaz de fornecer toda a energia necessária à prática deste
tipo de actividades. O recurso a equipamento e vestuário apropriados, bem como a protecção solar, são elementos que também não devem ser descurados. Hoje nós falamos sobre os cuidados a adoptar para uma ida à neve em segurança e com saúde. Vejamos em particular alguns destes cuidados

1. Forma física
Os desportos de Inverno, são normalmente praticados em altitude, o que exige um esforço físico adicional. Quanto melhor for a forma física, maior será a resistência ao longo dos dias, diminuindo o risco de lesões e permitindo um maior aproveitamento das férias na neve, pelo que a prática de desporto deve ser uma actividade que se pratica de forma regular durante todo o ano e não sazonal. A maioria das lesões resulta também da falta de
aquecimento, pelo que exercitar os músculos e articulações antes da prática de desportos de Inverno é essencial. O uso de joelheiras, cotovelos, pulsos e tornozelos elásticos ajudam também a proteger as zonas mais susceptíveis à lesão. Fazer alongamentos depois de um dia de prática de desportos na neve, pode ajudar a uma melhor recuperação do cansaço e evita lesões musculares.

Procedimento em caso de lesão muscular
• Descansar e colocar gelo na zona lesionada.
• Elevar o membro lesionado.
• Usar um anti-inflamatório tópico ou sistémico pode ajudar a reduzir a inflamação.
Se não houver melhoras ao fim de 2-3 dias é recomendável consultar um médico.

2. Hidratação e alimentação
Em altitude e num ambiente mais seco os níveis metabólicos do organismo aumentam e, com este esforço suplementar, a desidratação pode surgir mais facilmente. É por isso importante a ingestão frequente de líquidos preferencialmente quentes. Além da hidratação, é recomendada especial atenção à alimentação, reforçando a ingestão de hidratos de carbono (massas, arroz, cereais) e glúcidos (frutos secos, marmelada, geleia, etc.), para uma reposição rápida de energia, e de alimentos com elevado teor em magnésio para ajudar na prevenção de cãibras. Uma suplementação alimentar rica em nutrientes fontes de energia e em magnésio, pode ser importante no combate ao desgaste físico associado aos desportos na neve.

Causas mais frequentes de cãibras
• Perda excessiva de água e sais minerais através da transpiração;
• Acumulação excessiva de ácido láctico no músculo em consequência de grande esforço físico;
• Deficiente aporte sanguíneo, geralmente no membros inferiores, causado por resfriamento, mudança brusca de temperatura ou problemas vasculares.

3. Vestuário
Quando a pele é exposta a ambiente mais frio, a temperatura corporal baixa. De forma a prevenir perdas importantes de calor, é recomendado o uso de roupa quente (preferencialmente de lã), mas leve, vestida por camadas, para permitir uma adaptação gradual do organismo às diferenças de temperatura. São indispensáveis as luvas e o gorro para proteger as extremidades. As botas, casacos, blusões e luvas devem ser impermeáveis.

4. Protecção solar
A elevadas altitudes o risco de queimaduras por exposição solar é maior, quer porque a neve reflecte a radiação quer porque a atenuação desta pela atmosfera é menor. Uma protecção solar eficaz passa pelo uso de um protector solar adequado ao tipo de pele, de protector labial e óculos de sol apropriados para a neve de boa qualidade.

Cuidados adicionaisMeteorologia: Nas montanhas as condições climatéricas podem mudar drasticamente. Deve por isso ser consultado o boletim meteorológico e os riscos de avalanche antes de cada dia de neve.
Equipamento: Fazer uma revisão ao equipamento permite a prática desportiva mais fácil e segura, ao mesmo tempo que reduz o risco de acidente. Usar sempre capacete, em especial nas crianças.
Principiantes: Para quem vai participar pela primeira vez neste tipo de desportos na neve é importante começar por ter aulas com instrutores devidamente qualificados.
Pistas: Identificar o grau de dificuldade das pistas e escolher a que melhor se adequa ao seu nível de conhecimento técnico.
Gerais: Conhecer e respeitar a sinalização bem como as regras do desporto que se pratica. Andar sempre em grupo e ter conhecimento do contacto de emergência.

Lesão… e agora?
As lesões provocadas pelo frio compreendem a hipotermia, situação em que todo o corpo arrefece, atingindo temperaturas potencialmente perigosas, o congelamento parcial, ou seja, quando partes do corpo são atingidas superficialmente, e o congelamento, em que alguns tecidos corporais ficam completamente destruídos. A excessiva exposição ao frio também pode provocar frieiras e pé-de-imersão. Quando a prática destes desportos implica subir a altitudes acima dos 2.800m podem surgir sintomas de mal-de-altitude ou mal agudo de montanha
com risco para a saúde, caso não sejam tomadas as necessárias medidas.

Tabela 1 – Identificação e tratamento das lesões pelo frio mais frequentes

Lesão Descrição Medidas
Hipotermia Exaustão, movimentos lentos e entorpecidos, tempo de reacção lento, confusão, perda de memória, tiritar, alucinações, sonolência. Nas primeiras fases, vestir roupa seca e aconchegante, dar bebidas quentes
e promover o aquecimento (saco-cama, com outra pessoa).
No caso de inconsciência envolver a pessoa numa manta seca e quente e, na medida do possível, levá-la para um lugar aquecido até à sua transferência para um hospital.
Congelamento
parcial
As zonas da pele congeladas tornam-se brancas e duras, posteriormente incham e provocam dor. A pele pode cair como se de uma queimadura se tratasse. Aquecer a zona congelada durante alguns minutos sem esfregar.
Congelamento A pele adquire uma cor avermelhada, incha e provoca dor, até que finalmente se torna negra. Envolver a pessoa congelada numa manta de protecção. Se for necessário caminhar até chegar a um local seguro, é preferível fazê-lo com os pés congelados . Os pés aquecidos são mais vulneráveis a danos ao caminhar.
Dar bebidas quentes.
Uma mão ou um pé congelados devem ser mergulhados em água a uma temperatura entre 37,7ºC e 40ºC.
A zona congelada deve ser lavada cuidadosamente, seca, envolvida em ligaduras esterilizadas e mantida meticulosamente limpa, para evitar infecções. Normalmente é administrado um antibiótico e a vacina
antitetânica.
Frieiras Inflamação dolorosa da pele que fica branca, fria, insensível, com comichão e, posteriormente, inchada e vermelha. Em casos mais graves, podem levar à formação de bolhas e dar origem a feridas. Melhoram com o calor pouco intenso e indirecto e com massagem suave e hidratação da zona afectada.
Pé-de-imersão Lesão provocada quando o pé permanece húmido, envolto em meias ou botas, exposto ao frio. O pé torna-se pálido, húmido e frio e a circulação diminui. Aquecer, secar e limpar suavemente o pé. É aconselhável mantê-lo elevado. Devem ser administrados antibióticos e, eventualmente, uma
dose de reforço da vacina antitetânica.
Mal de altitude ou Mal Agudo de Montanha Surge em consequência da hipoxia originada pela diminuição do nível de oxigénio presente no ar que se respira. Os sintomas surgem nas primeiras 48 h: dor de cabeça, dificuldade em respirar, fadiga, náuseas ou vómitos, dificuldade em adormecer e inchaço na face, mãos e pés.
Situação que acarreta risco pois pode causar edema cerebral ou pulmonar.
Subir a montanha de forma lenta e gradual, com paragens para permitir a “climatização” do organismo (1.000 a 2000 m por dia). Evitar esforço físico excessivo, ingerir muitos líquidos, evitar o álcool, não tomar medicamentos salvo indicação médica.

A prática de desportos de inverno deve ser bem preparada e desfrutada com saúde e em segurança. A neve e a montanha oferecem diversão, emoção e beleza, mas também é necessário conhecer os riscos e prevenir lesões. Ao alertarmos para estas situações promovemos uma atitude mais responsável nos adeptos destes desportos,
e mesmo para aqueles que não pratiquem desporto, disponibiliza-mos conselhos para que a época de frio seja vivida com bem-estar.