Dieta Mediterrânica

Dieta Mediterrânica – Sabores do Mediterrâneo – Uma Alimentação saudável pode prolongar a expectativa de vida.

Originária dos hábitos e da alimentação de países banhados pelo Mar Mediterrâneo como Itália, Espanha, Grécia e Portugal, a dieta mediterrânica baseia-se no consumo de grandes quantidades de frutas, verduras, legumes e oleaginosas; na ingestão moderada de vinhos e baixa de doces.

Relacionada ao aumento da expectativa de vida, sua invenção foi atribuída ao médico norte-americano Ancel Keys, em 1945, que constatou a redução de doenças cardiovasculares e um número baixo de hipertensos, diabéticos e obesos entre os habitantes daquela região.

Desenvolveu-se então um estudo das tradições alimentares da ilha de Creta, na Grécia e do sul da Itália, tendo como resultado a pirâmide da Dieta Mediterrânica.

Os alimentos e a pirâmide
De acordo com o professor de Ciência da Alimentação da Universidade Sapienza de Roma, Carlo Cannella, “é difícil julgar se uma alimentação é boa ou ruim, o que deve ser considerado é a quantidade ingerida”.

A combinação das porções diárias de cada grupo alimentar deve ser levada em conta na busca pelo equilíbrio e bem-estar e, consequentemente, no aumento da expectativa de vida.

Na base da pirâmide está o consumo de frutas, verduras, cereais, massas, além da prática de atividade física.

À medida que se aproxima da ponta, a tendência é reduzir a quantidade consumida, como queijos, iogurtes, carnes e embutidos (salame, peito de peru e mortadela); por fim a ingestão de doces está no topo e a recomendação é de poucas doses num cardápio alimentar.

Bebidas
O vinho faz parte do cardápio dos costumes mediterrânicos. Ele contém flavonóides, um aliado da saúde devido aos seus fatores antioxidantes.

De preferência, ele deve ser consumido em doses pequenas (cerca de três taças para os homens e duas para as mulheres), diariamente e sempre durante as refeições.

A água também é um importante recurso para os adeptos de uma culinária rica. A quantidade ingerida varia de acordo com cada indivíduo.

Recomenda-se de seis a oito copos ao dia. Após uma atividade física também se faz necessário repor a energia do corpo com água.

Cannella recomenda a utilização de alimentos predominantemente locais, frescos e da época. Incentiva ainda a criação de uma pirâmide alimentar brasileira com produtos típicos da região.

“Comer é uma emoção, procure ver como o alimento o emociona, se isso não estiver mais ocorrendo, significa que você não está mais com fome”, complementa.

Dieta Mediterrânica – Os benefícios do Azeite

Se é verdade que cada vez se come pior com a expansão do império global da fast food, existem alguns oásis que fazem a excepção à regra. As vozes que cantam as vantagens da dieta mediterrânea têm vindo a aumentar.

Nesta canção o papel de destaque é oferecido ao azeite.

Este ingrediente, tão típico da cozinha portuguesa, revela ser muito eficaz na prevenção das doenças cardiovasculares, nomeadamente no combate à arteriosclerose.

O azeite é uma gordura vegetal monoinsaturada, não tendo por isso qualquer efeito nocivo sobre os níveis de colesterol no sangue.

Não podemos, nem devemos, eliminar o consumo de gorduras da alimentação, pois elas são indispensáveis para a manutenção e protecção do organismo.

Mas é aconselhável optar por aquelas que apresentam maiores benefícios para a saúde.

Se, para além disso, são mais saborosas e emprestam o seu gosto aos alimentos, como é o caso do azeite, não há que hesitar!

» Conheça os Benefícios da Dieta Cetogênica

O que Procura?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *