Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

O que é? A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma doença a longo termo. Um dos tipos de DPOC é o enfisema. O enfisema ocorre quando há danos nos alvéolos pulmonares. Estes alvéolos pulmonares captam o oxigénio do ar. Quando os alvéolos pulmonares ficam danificados, não conseguem captar oxigénio suficiente. Isso poderá fazer com que ocorra dificuldade respiratória devido à falta de oxigénio nos pulmões.

Causas da doença

O fumo do tabaco é a causa mais comum de doença pulmonar obstrutiva crônica. Algumas doenças congénitas também podem provocar o enfisema. Pode ser provocado ainda pelo trabalho em minas ou outras actividades profissionais de risco inalatório.

Sinais e sintomas

O sinal mais comum é a dificuldade em respirar, a qual piora de ano para ano. Com o tempo poderá mesmo vir a sentir dificuldades em respirar em repouso. Poderá ainda expulsar alguma expectoração ao tossir. Os indivíduos com enfisema são habitualmente magros, respiram através dos lábios semicerrados ou podem ter o peito inchado, em forma de barril.

Diagnóstico

Clinicamente, através da existência de dificuldade respiratória com progressiva diminuição de capacidade de adaptação ao esforço. Funcionalmente, por menor teor de oxigénio no sangue, evolutivamente decrescente (por haver menos área pulmonar disponível para as trocas gasosas). Radiologicamente, por diminuição da transparência pulmonar decorrente da rarefacção do tecido pulmonar (são melhor observável através de uma TAC do tórax).

Prevenção – Cuidados a ter

Deixar de fumar. Não frequentar ambientes poluídos. Prevenir as infecções. Promover boa drenagem de secreções, evitando a sua acumulação e potencial infecção (beber bastantes líquidos e tomar medicamentos para as dissolver).

Riscos e Complicações

Evolução para insuficiência respiratória grave, a necessitar de oxigénio no domicílio. Eventual aparecimento de pneumotórax (ar na cavidade pleural).

Tratamento

Poderá necessitar de ser hospitalizado para lhe serem efectuados testes e administrados tratamentos para o ajudar a respirar. Não há cura para o enfisema. Mas pode ser tratado com medicamentos e tratamentos respiratórios. Deixe de fumar e tente manter-se afastado de situações que lhe possam provocar dificuldades respiratórias. Poderá assim evitar que o enfisema piore. Poderá ser útil levar vacinas para evitar a pneumonia e a gripe.

Fisiopatologia

A fisiopatologia da doença pulmonar obstrutiva crônica é muito complexa e não está ainda claramente identificada. A resistência ao fluxo de ar pode ser atribuída a vários fatores, tais como distúrbios muco ciliares, respostas inflamatórias e alterações estruturais. Em suma, o bloqueio e / ou estreitamento das vias aéreas pode ser causado devido à perda de elasticidade das vias aéreas, dano ou inflamação nas paredes das vias aéreas, secreção do muco nas vias aéreas superiores e diminuição da área de superfície para a troca do ar. Segundo estudos médicos, foi revelado que as respostas inflamatórias crónicas das vias aéreas sejam o principal fator que contribui para o desenvolvimento da DPOC.

A doença pulmonar obstrutiva crônica associada a inflamação induz a produção de neutrófilos, macrófagos e linfócitos. Estas células, juntamente com espécies reativas de oxigénio e enzimas proteases são as responsáveis ​​por causar danos nas vias aéreas (alvéolos). Ao fumar, o número de neutrófilos é maior do que o nível normal. Gradualmente, as vias aéreas são engrossadas, o excesso de músculos lisos e tecidos conectivos são produzidos pelo organismo, levando à fibrose nas vias aéreas. Todas essas respostas inflamatórias são causadas devido ao prolongado uso do cigarro e, às vezes, á exposição frequente a substâncias irritantes do pulmão.

A fisiopatologia da DPOC inclui, assim, o estreitamento das vias respiratórias, danos aos pulmões e outros tecidos de suporte, hiperatividade dos pulmões, a disfunção dos cílios das vias respiratórias e danos constantes das paredes alveolares. Como a  Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica progride, os pacientes manifestão, tosse, dificuldade na limpeza dos alvéolos e falta de ar (dispnéia). Conforme a pressão aumenta no peito, o paciente enfrenta uma maior dificuldade durante a expiração do ar, em vez da inalação.

Não há cura para a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, porque os danos nas vias aéreas não podem ser revertidos. No entanto, existem algumas opções de tratamento, a fim de controlar os sintomas falta de ar. O tratamento eficaz da DPOC é deixar de fumar, pode-se optar pela terapia de reposição de nicotina de forma a fazer face aos sintomas de abstinência. Outras opções de tratamento da DPOC incluem a oxigenoterapia (se necessário) e medicações, como corticóides e antibióticos (para a infecção no peito).

E você, já sofreu com esse problema? Deixe um comentário! Não esqueça de compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 2 Comentários
  1. Lara Pinheiro Reply

    Olá,bom dia…

    Gostaria de entender o que está acontecendo comigo em relação ao meu tratamento.

    Meu tratamento começou dia 01/01/16, com Seretide Diskus 50mcg/250mcg e antes, eu fazia uso de aerosol com Berotec e Atrovent…aguentava fumar, mesmo cansando, mas fumava… cheiro forte não me incomodava e depois do tratamento com Seretide, eu não suporto cheiro forte, aliás, nem precisa ser tão forte que eu não aguento e sem contar que fumar não aguento mais, tive que parar…isso foi ótimo.

    Porque será que fiquei tão sensível à cheiro forte?

  2. paulo roberto magalhaes Reply

    boa tarde ilmç srs,
    venho aqui pedir informações sobre tratamento de dpoc, sendo que estou fazendo uso de diversas medicações e não estão fazendo efeito, piorei muito depois de parar de fumar, uso atrovent sprayde 2omcg, onbrize de 300mcg, seebli de 50 mcg e foraseg de 12mcg+ 400mcg.

    nao estou compreendendo, quando fumava, nao tinha estas falta de ar constante como tenho agora, foi dia 37/12/2015 tive pneumonia que associada a dpoc, nao podia respirar,tomei antibioticos e fazia nebulizaçao,parei completamente de fumar,mas em lugar de melhorar minha respiraçao esta dada vez pior,e eu so me sinto bem estando sentado ou deitado,em movimento sinto muita falta de ar,gostaria de informaçoes de medicaçao domestica para amenizar esta falta de ar,
    agradeço vossa atenção e fico no aguardo da vossa resposta,

    paulo roberto magalhaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:56 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)