6 Doenças e Problemas de Saúde Causadas pela Deficiência de Ferro no Organismo - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

6 Doenças e Problemas de Saúde Causadas pela Deficiência de Ferro no Organismo

Algumas doenças causadas pela falta de ferro no organismo como a anemia, apresentam sintomas como fadiga, que, muitas vezes são confundidos com o cansaço normal.

Não deve ignorar esses sinais pois pode acabar agravando a situação e originar palpitações cardíacas, falta de ar, e condições bem piores a longo prazo.

Perda de cabelo, pica (alotriofagia ou alotriogeusia), úlceras na boca, zumbido e síndrome das pernas inquietas, são eventos que podem estar ligados a uma deficiência de ferro.

Doenças E Problemas De Saúde Causadas Pela Deficiência De Ferro No Organismo

Preocupado por estar com uma eventual falta de ferro no organismo? Esta carência, embora não muito comum na população em geral, pode ser uma possibilidade real para alguns grupos, sendo as mulheres grávidas e as crianças os grupos considerados de maior risco.

O ferro desempenha um papel prestigioso na manutenção da função normal do corpo, formando a hemoglobina, permitindo o fluxo normal do sangue e o transporte de oxigênio pelo corpo e produzindo muitas enzimas e proteínas no corpo. Ao ignorar esta carência poderá vir a observar sintomas bem graves.

Embora muitos de nós conheçamos algumas doenças relacionadas à deficiência de ferro, como a anemia, existem outras condições, como a queda de cabelo, e a Pica, um distúrbio psicológico caracterizado por um apetite estranho por substâncias não nutritivas, como gelo (pagofagia); cabelo (tricofagia); papel (xilofagia); gesso cartonado ou tinta; metal (metalofagia); pedras (litofagia)…..

O organismo não produz ferro. Essencialmente absorve-o da comida que ingerimos. Abaixo indicamos a quantidade de ferro que realmente necessitamos todos os dias:

  • Mulheres adultas com menos de 50: 18 mg
  • Homens adultos com menos de 50: 8 mg
  • Mulheres grávidas: 27 mg
  • Mães lactantes: 9 mg
  • Homens e mulheres adultos com mais de 50: 8 mg

Apenas 10-30% do ferro ingerido é usado pelo corpo. Os níveis de ferro são regulados e absorvidos no sistema gastrointestinal, sendo mantida uma reserva do nutriente de forma a garantir níveis adequados durante todo o dia.

O ferro corporal total nos homens é em média de 3,8 gramas. Nas mulheres esta quantidade é de cerca de 2,3 gramas, com variações em cada indivíduo.

Perdemos aproximadamente 1 mg do mineral através das fezes, pele, e membranas mucosas. Além disso, as mulheres perdem também algum ferro através do sangue menstrual e durante o parto e pós-parto.

Por vezes existem condição de saúde que tornam o corpo menos capaz de absorver e armazenar ferro ou fazer com que o corpo perca mais ferro.

A puberdade e a gravidez são depois, 2 fases da vida, em que o indivíduo precisa de receber mais ferro que o normal.

Depois existem os casos “mais normais”, em que simplesmente a ingestão de alimentos ricos em ferro é reduzida.

Todos eles têm algo em comum, resultam na falta de ferro.

1. Anemia por deficiência de ferro

Lembre-se que, uma ligeira carência do mineral e uma forma leve de anemia por deficiência deste, podem por vezes passar despercebidos e não causar qualquer sintoma. Os sintomas começam a apresentar-se à medida que a carência piora.

A deficiência de ferro pode causar uma condição conhecida como anemia ferropriva. Então, como saber quando o corpo não recebe o suficiente do mineral através de dieta ou suplementação?

Existem alguns sinais reveladores que podem ajudar. Se tiver algum dos sintomas listados abaixo, pode ser necessário realizar um exame mais detalhado e, uma visita ao médico claro:

  • Cansaço
  • Falta de energia / letargia
  • Dores de cabeça
  • Dificuldade de concentração

Se a anemia progredir, também poderá notar os seguintes problemas:

  • A pele fica pálida
  • As unhas tornam-se quebradiças ou aparecem em forma de colher 8
  • Falta de ar
  • Dor da língua
  • Palpitações cardíacas / batimentos cardíacos visíveis
  • Coceira
  • Sabor da comida alterado.

A falta de ferro, bem como a anemia, podem trazer outros problemas. Abaixo listamos algumas doenças desencadeadas pela privação do nutriente.

2. Síndrome das Pernas Inquietas

Síndrome Das Pernas Inquietas

A síndrome das pernas inquietas (SPI) é frequentemente associada à diabetes, doença renal crônica, problemas na tiroide e artrite reumatóide. Infelizmente a deficiência do mineral no sangue também é uma das possíveis causas.

A Ferritina baixa pode fazer com que os níveis de dopamina dos neurotransmissores caia, originando o desenvolvimento de síndrome das pernas inquietas. Observe os sinais:

  • Um desejo irresistível de se mover (pernas e outras partes do corpo)
  • Desconforto nos membros inferiores
  • Sensações de dor / puxão / coceira / latejante / arrepiante / rastejante nas pernas
  • Dificuldade em adormecer
  • Acordar durante noite

Alguns sintomas típicos a serem observados são andar constantemente quando está em pé, movimentar as pernas quando está sentado ou mexer-se quando está deitado.

3. Zumbido e Perda Auditiva

Para ter uma ideia, nos EUA são mais de 50 milhões os americanos a experimentar o problema – zumbido nos ouvidos ou ruídos na cabeça. Uma estudo realizado descobriu que, quase 61% dos indivíduos com perda auditiva súbita tinham deficiência de ferro ou anemia por deficiência de ferro.  Você costuma ouvir estes tipos de sons:

  • Zumbido
  • Chiar
  • Sussurar
  • Rugindo
  • Pulsando (que pode estar em sincronia com os batimentos cardíacos)
  • Ondas do oceano
  • Grilos
  • Guinchar

4. Perda De Cabelo

Queda De Cabelo

Observou uma maior queda de cabelo ao escovar o cabelo ou durante o banho? Pode ser sinal de carência do mineral. Esta insuficiência pode causar perda de cabelo padronizada, semelhante à calvície masculina ou feminina

A queda de cabelo feminina padrão pode envolver :

  • Menos volume de cabelo perto da linha média, onde se separa o cabelo
  • Ampliação da área da linha média
  • Cabelo frágil e fino
  • O cabelo existente no topo da sua cabeça assume uma aparência mais transparente

5. Pica (Transtorno alimentar conhecido como alotriofagia ou alotriogeusia)

Pica é um desejo de comer produtos não alimentares, como gelo, sujeira, argila, cabelo ou papel, etc. As mulheres grávidas e as pré-adolescentes correm mais riscos.

O transtorno alimentar está ligado à carência do mineral. Um sinal típico de pica é o desejo de comer ou mastigar substâncias não-alimentícias como sabão, cabelo, tecido, lã, giz, pó de talco, metal, cinza, pedriscos, carvão vegetal, argila, gelo, amido, goma, terra, barbante ou papel.

Mesmo que o transtorno não seja causado pela deficiência do mineral, a absorção deste diminuirá devido à alta quantidade de substâncias não nutritivas presentes no corpo. A terapia com ferro pode, portanto, ajudar nesses casos.

Lembre-se que, o comportamento em colocar tudo na boca é normal em crianças por volta dos dois anos ou menos e não deve ser considerado pica, é uma fase normal do desenvolvimento.

6. Úlceras

úlceras Na Boca Causadas Pela Deficiência De Ferro

Um dos casos de úlceras orais ou úlceras na boca é o nível inadequado de ferro no organismo. As mulheres, em geral, tendem a ser mais propensas à carência.

Num estudo realizado em mulheres, em que foram observados os níveis de ferritina sérica (um indicador de anemia ferropriva), em pacientes com úlceras orais, verificou-se que esses níveis estavam reduzidos a 66%.

Portanto, se tem feridas abertas na boca, pode ser devido a uma escassez do nutriente.

Mulheres, crianças e vegetarianos correm risco de deficiência

Enquanto os que realizam uma dieta rica no mineral não são susceptíveis de ter tais problemas, algumas pessoas são mais propensas a desenvolver doenças por deficiência de ferro (veja abaixo). Esse risco aumenta quando a dieta é escassa no nutriente.

– Mulheres com sangramento intenso.

– Mães que amamentam.

– Mulheres que tiveram um bebê recentemente.

– Vegans e vegetarianos: até mesmo as dietas veganas / vegetarianas ricas no nutriente podem não ser as ideais, já que o ferro vindo de fontes vegetais (não heme) é menos facilmente absorvido pelo organismo.

– Qualquer pessoa com uma dieta baixa em alimentos ricos no mineral.

– As Crianças e bebês podem estar em risco uma vez que a carência pode ocorrer durante os períodos de rápido crescimento.

– As Crianças que consomem mais de 16 a 24 onças de leite por dia, uma vez que o cálcio pode dificultar a absorção de ferro.

– Qualquer pessoa que tenha feito um procedimento de bypass gástrico ou outros procedimentos bariátricos.

– Doadores de sangue frequentes.

Pessoas com determinadas doenças são mais suscetíveis à deficiência de ferro

Além das categorias de alto risco que acabou de ler, existem outros problemas de saúde que podem colocá-lo em maior risco.

Doenças gastrointestinais: As pessoas com doenças gastrointestinais como as listadas abaixo podem ser suscetíveis a níveis baixos do mineral:

Perda de sangue excessiva e outras doenças ou complicações: A hemorragia excessiva ou crônica também pode causar o desenvolvimento de algumas doenças por carência do nutriente:

  • Hemorragia nasal crônica
  • Gastrite
  • Esofagite
  • Úlceras do intestino ou do estômago
  • Hemorroidas
  • Diverticulite
  • Angiodisplasia
  • Problemas na bexiga causando perda de sangue
  • Problemas renais causando perda de sangue
  • Tumores no estômago, intestino delgado, cólon ou esôfago

Hemólise intravascular: A spessoas com hemólise intravascular também estão em risco. O problema surge do trauma nos pequenos vasos sanguíneos, causando a quebra dos glóbulos vermelhos e a liberação de ferro, que é então expelido do corpo como se fosse urina.

Alguns exercícios vigorosos como o jogging podem causar o evento. Também pode ocorrer por danificação das válvulas cardíacas.

Embora raro, alguns distúrbios sanguíneos como a hemólise intravascular difusa e a púrpura trombocitopênica trombótica também podem causar a perda de ferro.

Referências do artigo

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
http://www.irondisorders.org/
https://medlineplus.gov/
https://www.cdc.gov/
http://www.entnet.org/
https://ods.od.nih.gov/
https://medlineplus.gov/
https://www.nhs.uk/
https://www.ucsfhealth.org/
https://www.health.harvard.edu/
https://www.nhs.uk/
https://www.ata.org/
https://www.ninds.nih.gov/
http://www.hematology.org/
https://www.nationaleatingdisorders.org/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/

Atualizado em 22 Março 2018

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade

Isensão de Responsabilidade: A nossa plataforma foi criada com o objetivo de facilitar o acesso a informação de valor "Ciência com Saúde", baseada em estudos científicos. Tudo o que publicamos tem uma base científica. No entanto, nenhuma das publicações têm o objetivo de servir como diagnóstico, sendo sempre indicada consulta médica. O mesmo se refere a tratamentos, clínicas, suplementos e medicamentos indicados. A indicação, dosagem, e forma de uso é apenas ilustrativa, não estando indicada a automedicação ou suplementação sem antes haver indicação médica profissional. O mesmo se refere aos preços dos produtos por vezes indicados. Esses valores são baseados no ano de 2018 e servem apenas como informação auxiliar, não estando a nossa plataforma de nenhuma forma a ligada a essas empresas.